PUBLICIDADE
Pesquisa

Restante do governo Dilma será ótimo ou bom para 61%

Para 24% dos entrevistados, o atual governo é pior do que o anterior e, para 16%, a presidente Dilma tem um desempenho melhor do que o de Lula

A maioria da população brasileira ainda considera que o governo da presidente Dilma Rousseff é igual ao do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas o porcentual de entrevistados que fizeram essa avaliação recuou de 60% em março para 58% em junho, segundo pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) feita em parceria com o Ibope e divulgada nesta sexta-feira (29). Para 24% dos entrevistados, o atual governo é pior do que o anterior e, para 16%, a presidente Dilma tem um desempenho melhor do que o de Lula. A pesquisa revelou também que 61% dos entrevistados consideram que o restante do governo Dilma será "ótimo ou bom". O índice representa três pontos porcentuais acima do que o último levantamento de março deste ano para o mesmo quesito.

No mesmo período, se manteve em 25% o porcentual dos que avaliam que os próximos dois anos do governo Dilma serão bons e em 10% os que disseram que serão péssimos. O patamar de 61% para o "ótimo e bom" do restante do governo é a quarta alta seguida desde julho de 2011, quando o indicador era de 55%, o mais baixo do governo Dilma. Em março do ano passado, a confiança na condução da gestão da presidente chegou o mais alto patamar, de 68%.

Na Região Nordeste está o maior porcentual dos entrevistados que esperam que o restante da administração Dilma seja "ótimo ou bom", com 66%. Na Região Sul, estão os menos otimistas, com 55% para essa questão.

Maneira de governar

Em relação à maneira de governar de Dilma, o porcentual de brasileiros que aprovam a presidente se manteve estável entre março e junho, com um porcentual de 77%. Foi mantido, portanto, o mais alto nível desde o início de seu governo nessa questão.

Na Região Nordeste, está a maior aprovação, de 82%, mesmo patamar da pesquisa anterior. Nas demais regiões, o porcentual subiu de 75% para 77%, dentro da margem de erro do levantamento, de dois pontos porcentuais para mais ou para menos.

Os que desaprovam a maneira de a presidente Dilma de governar somaram 18%, um ponto porcentual abaixo do resultado do levantamento anterior neste quesito.

Confiança

No mesmo período, a confiança no atual governo também se manteve em 72%. O porcentual só é menor do que o registrado no primeiro levantamento da gestão Dilma, em março de 2011, quando alcançou 74%. Os entrevistados que disseram não confiar no governo Dilma são 25%, um ponto porcentual acima do levantamento anterior.

Com 74%, a Região Nordeste, contudo, registrou uma queda de cinco pontos percentuais entre aqueles que não confiam na gestão da atual presidente. Descontada a margem de erro, de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo, pode-se dizer que o patamar para essa questão é o mesmo da Região Sul (75%) e das regiões Norte e Nordeste (76%).

A pesquisa com 2.002 entrevistados foi feita entre os dias 16 e 19 de junho em 141 municípios. O levantamento tem margem de erro de dois pontos porcentuais para mais ou para menos.

PUBLICIDADE
    • SELECIONADO PELO EDITOR
    • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
    • QUEM MAIS COMENTOU
    Assine a Gazeta do Povo
    • A Cobertura Mais Completa
      Gazeta do Povo

      A Cobertura Mais Completa

      Assine o plano completo da Gazeta do Povo e receba as edições impressas todos os dias da semana + acesso ilimitado no celular, computador e tablet. Tenha a cobertura mais completa do Paraná com a opinião e credibilidade dos melhores colunistas!

      Tudo isso por apenas

      12x de
      R$49,90

      Assine agora!
    • Experimente o Digital de Graça
      Gazeta do Povo

      Experimente o Digital de Graça!

      Assine agora o plano digital e tenha acesso ilimitado da Gazeta do Povo no aplicativo tablet, celular e computador. E mais: o primeiro mês é gratuito sem qualquer compromisso de continuidade!

      Após o período teste,
      você paga apenas

      R$29,90
      por mês!

      Quero Experimentar
    VOLTAR AO TOPO