Assinaturas Classificados
Assinaturas

Publicidade
norte do paraná

Santo Antônio da Platina registra "chuva de aranhas"

Fenômeno curioso flagrado em uma propriedade rural do município do Norte Pioneiro tem como causa o desequilíbrio ambiental

08/02/2013 | 17:47 |
  • Comentários

A escassez de predadores naturais de uma espécie de aranha e a abundância de alimento para estes animais estão provocando um fenômeno curioso flagrado em uma propriedade rural localizada em Santo Antônio da Platina, no Norte Pioneiro do Paraná. Vivendo em árvores de médio porte, milhares de aranhas da espécie Anelosimus eximius, conhecidas também como tecedeira-sombria, construíram uma rede de teias entre cabos e postes de energia para capturar suas presas, normalmente insetos de médio porte. O tamanho da teia e número de aranhas impressionam e também assustam.




O flagrante do fenômeno foi feito pelo design de fotografias Érick Reis, 20 anos, que no último domingo, 3, registrava um casamento em uma chácara no interior de Santo Antônio da Platina. Reis percebeu a presença das aranhas e gravou um vídeo de quatro minutos que virou febre na internet nas últimas 48 horas. Até o final da tarde de ontem já eram mais de 15 mil visualizações. Batizado de “chuva de aranhas” o vídeo transformou Érick quase em uma celebridade ao passar o dia de ontem dando entrevistas para jornais e sites. “Eu nunca vi nada parecido. Quando percebi estava embaixo de uma chuva fina gravando aquela cena”, conta.

A reportagem da Gazeta do Povo esteve nesta sexta-feira (8) no local e encontrou as aranhas protegidas entre as árvores. O local fica à margem de uma estreita estrada rural e há poucos moradores por perto.

Apesar de estranho, o fenômeno não é tão incomum assim. O professores de biologia da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Luiz Carlos de Pontes Silva, explica que esses animais estão encontrando o ambiente perfeito para se reproduzir e desenvolver sem predadores naturais, como pequenas aves e morcegos. O especialista conta que realizou no ano passado um estudo na região em que percebeu o aumento da população de aranhas por conta do desaparecimento de árvores frutíferas que deram lugar a pastagens. Essas árvores eram abrigo de morcegos, principais predadores das aranhas.

Pontes Silva explica que normalmente são as fêmeas que tecem as teias, muito resistentes e semelhantes aos fios de seda. No entanto, essa época do ano é o período de reprodução deste tipo de aranha e os machos começam a tecer também suas teias para impressionar as fêmeas aumentando a área ocupada com os fios. A competição acaba formando um emaranhado de fios que se estendem por postes, fios de energia elétrica e árvores cobrindo dezenas de metros quadrados. No final da tarde os animais deixam as frestas das árvores e entre as folhas para capturar os insetos presos nas teias.

O biólogo também alerta que não é bom ficar perto destes animais. A picada dessas aranhas pode causar irritação e desconforto em adultos saudáveis, mas em crianças com menos de quatro anos, o veneno do aracnídeo pode provocar complicações e até choque anafilático. Apesar disso, esses animais não são considerados agressivos.

O agricultor Renato Teodoro Corsini já foi picado pela espécie, assim como seu filho. Ele revela que a criança, um menino de quatro anos teve que receber atendimento médico e mesmo assim sofreu por dias com espasmos e convulsões. “Tenho percebido a presença dessas aranhas em vários locais, principalmente perto de pastagens”, diz.
De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Santo Antônio da Platina não há registro recentes de acidentes com aranhas da espécie tecedeira-sombria.

      • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
      • QUEM MAIS COMENTOU
      Publicidade
      Publicidade
      «

      Onde e quando quiser

      Tenha a Gazeta do Povo a sua disposição com o Plano Completo de assinatura.

      Nele, você recebe o jornal em casa, tem acesso a todo conteúdo do site no computador, no smartphone e faz o download das edições da Gazeta no tablet. Tudo por apenas R$ 69,30 por mês no plano anual.

      SAIBA MAIS

      Passaporte para o digital

      Só o assinante Gazeta do Povo Digital tem acesso exclusivo ao conteúdo do site, sem nenhum custo adicional ou limite.

      Navegue com seu celular ou baixe todas as edições no tablet - um novo jeito de ler jornal onde você estiver.

      CLIQUE E FAÇA PARTE DESSE NOVO MUNDO

      »
      publicidade