Assinaturas Classificados
Assinaturas

Publicidade
bahia

Familiares pedem justiça durante enterro de funcionário do colégio Sion

06/06/2013 | 12:55 |
  • Comentários

O corpo de Eduardo Souza Viana, 39, funcionário do Colégio Nossa Senhora de Sion assassinado na segunda-feira durante uma tentativa de assalto, no bairro de Higienópolis, em São Paulo, foi enterrado na manhã de hoje (6) na Bahia.

O enterro, realizado por volta das 8h, foi acompanhado por cerca de cem pessoas que foram até o cemitério do povoado de Iguá, a 12 km da cidade de Vitória da Conquista, no sul baiano. Alguns parentes, emocionados, pediam que o corpo não fosse enterrado.

O corpo passou a noite na Igreja de Nossa Senhora da Conceição depois de ter sido velado ontem na casa dos pais de Eduardo, no mesmo povoado. Cerca de 300 pessoas foram ao local à tarde.

Parentes e amigos o descreveram como um "bom filho" e disseram que não se sentem seguros nem dentro de casa, mas que a violência de São Paulo assusta mais do que no interior do país.

O pai de Eduardo, Aurelino Suriano Paiva, 75, morou na capital paulista durante cerca de 20 anos e foi seguido pelos nove filhos, já moços. "Eu trabalhava de pedreiro e cada um teve uma profissão. Eduardo era um bom filho e criava os filhos dele muito bem", contou. Ele pediu justiça para os assassinos do filho. "Espero que as pessoas que fizeram isso com ele sejam presas. Meu filho tinha a vida pela frente, estava aumentando a casa e dizia que uma dia ia voltar."

Segundo Jussara Guina, 43, cunhada de Viana, ele gostava do emprego na escola e queria criar os filhos -de 6, 10 e 12 anos- na capital paulista. "Acho absurda essa violência que tem afetado a vida de pessoas humildes, honestas, trabalhadoras. Eu quero distância de São Paulo", disse.
"Estamos todos muito abalados. Se fosse acidente não seria tão traumatizante. A violência em São Paulo é histórica, entra ano e sai ano e continua havendo essas mortes absurdas", afirmou Wanderlan Amaral, 49, primo da vítima.

      • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
      • QUEM MAIS COMENTOU
      Publicidade
      Publicidade
      «

      Onde e quando quiser

      Tenha a Gazeta do Povo a sua disposição com o Plano Completo de assinatura.

      Nele, você recebe o jornal em casa, tem acesso a todo conteúdo do site no computador, no smartphone e faz o download das edições da Gazeta no tablet. Tudo por apenas R$ 69,30 por mês no plano anual.

      SAIBA MAIS

      Passaporte para o digital

      Só o assinante Gazeta do Povo Digital tem acesso exclusivo ao conteúdo do site, sem nenhum custo adicional ou limite.

      Navegue com seu celular ou baixe todas as edições no tablet - um novo jeito de ler jornal onde você estiver.

      CLIQUE E FAÇA PARTE DESSE NOVO MUNDO

      »
      publicidade