Assinaturas Classificados
Assinaturas

Publicidade

Reprodução Orkut

Reprodução Orkut / Rachel estava desaparecida desde a segunda-feira (3) Rachel estava desaparecida desde a segunda-feira (3)
Violência

Corpo de menina é encontrado dentro de mala na rodoviária de Curitiba

Rachel Maria Lobo Oliveira Genofre, de 9 anos, estava desaparecida desde segunda-feira. Ela sumiu após sair da escola onde estudava

05/11/2008 | 08:25 | atualizado em 05/11/2008 às 15:24
  • Comentários

O corpo de uma menina de 9 anos foi encontrado dentro de uma mala abandonada na Rodoferroviária de Curitiba por volta das 2h30 da madrugada desta quarta-feira (5). Rachel Maria Lobo Oliveira Genofre estava desaparecida desde as 17h30 de segunda-feira (3), quando saiu do Instituto de Educação, no Centro, onde estudava.

De acordo com a polícia, a menina era filha de uma professora e ia e voltava todos os dias sozinha da Vila Guaíra, onde morava, até a escola, de ônibus. O caso estava sendo investigado desde a segunda-feira pelo Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride), que contatou a mãe ainda durante a madrugada. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba.

Reprodução Orkut

Reprodução Orkut / Segundo a polícia, Rachel ia e voltava de ônibus sozinha todos os dias Ampliar imagem

Segundo a polícia, Rachel ia e voltava de ônibus sozinha todos os dias

RPC TV

Corpo estava em mala abandonada embaixo de uma escada da rodoviária

Segundo a polícia, a mala foi encontrada embaixo de uma das escadas do setor de transporte estadual, por uma família indígena, que estava morando no local havia duas semanas. Como estava atrapalhando o local onde dormiriam, os indigenas - que vieram de Ortigueira, no Centro-Oeste, para vender artesanato em Curitiba -, tentaram arrastar a bagagem.

O grupo estranhou o peso e chamou um fiscal da Urbanização de Curitiba (Urbs), que resolveu abrir a mala. Imediatamente o funcionário acionou a Polícia Militar (PM), que chamou o IML.

O corpo estava inteiro, ainda trajava o uniforme do Instituto de Educação, e apresentava sinais de estrangulamento e indícios de violência sexual. A família de indígenas disse, à polícia, estar com medo e ter a intenção de retornar a Ortigueira.

Rachel cursava a 4ª série no Instituto de Educação. Filha de pais separados, a menina morava com a mãe e os avós maternos na Vila Guaíra. Em outubro de 2007, quando estava na 3ª série, ela ganhou o terceiro lugar no XIII Concurso Infanto-Juvenil de Redação, promovido pela Seção Infantil da Biblioteca Pública do Paraná. Este ano recebeu o primeiro prêmio no mesmo concurso.

De acordo com o telejornal Paraná TV 1ª edição, as aulas foram suspensas nesta quarta-feira no Instituto de Educação.

Durante a manhã, dezenas de pessoas publicaram mensagens de consolo à menina e à família na página de recados de Rachel no site de relacionamentos Orkut. Procurada pela reportagem, a família não quis falar sobre o caso.

O velório deve acontecer a partir das 19 horas, na Capela Mórmon do Bacacheri, em Curitiba. O enterro do corpo da garota está previsto para acontecer as 10 horas de quinta-feira (6) no Santa Cândida.

Investigação

O delegado Naylor de Lima, da Delegacia de Homicídios, é quem comanda as investigações. A área interna da Rodoferroviária não possui câmeras de segurança e a falta de imagens pode dificultar a identificação do autor do crime.

Existe apenas sistema de monitoramento na parte externa do terminal. As câmeras são voltadas para os ponto de táxis e o objetivo é evitar assaltos aos taxistas. Mesmo sem mostrar o movimento de passageiros dentro da rodoviária, a polícia requisitou as imagens.

Em entrevista ao telejornal ParanáTV 1ª edição, o delegado disse que ainda não está descartada nenhuma hipótese para o crime.

A Urbs, que administra o terminal, informou que uma licitação foi aberta em setembro para aquisição de cameras de segurança. A previsão era de concluir o processo de compra do equipamento até o final deste mês.

Quem tiver informações que possam ajudar nas investigações sobre o assassinato de Rachel pode entrar em contato com a Delegacia de Homicídios pelo telefone 3363-0121. A identidade do informante será mantida em sigilo.

      • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
      • QUEM MAIS COMENTOU
      Publicidade
      Publicidade
      «

      Onde e quando quiser

      Tenha a Gazeta do Povo a sua disposição com o Plano Completo de assinatura.

      Nele, você recebe o jornal em casa, tem acesso a todo conteúdo do site no computador, no smartphone e faz o download das edições da Gazeta no tablet. Tudo por apenas R$ 69,30 por mês no plano anual.

      SAIBA MAIS

      Passaporte para o digital

      Só o assinante Gazeta do Povo Digital tem acesso exclusivo ao conteúdo do site, sem nenhum custo adicional ou limite.

      Navegue com seu celular ou baixe todas as edições no tablet - um novo jeito de ler jornal onde você estiver.

      CLIQUE E FAÇA PARTE DESSE NOVO MUNDO

      »
      publicidade