Assinaturas Classificados
Assinaturas

Rio+20

Publicidade
texto final

Negociações avançam, mas ainda faltam 62% para acordo geral na Rio+20

As divergências ainda são intensas e atingem principalmente recursos e conceitos básicos

16/06/2012 | 16:04 |
  • Comentários

A delegação do Brasil, que assumiu o comando das negociações na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), vai apresentar neste sábado (16) um documento consolidado sobre o que foi acordado até agora entre as delegações dos 193 países que participam do evento. Já foram negociadas cerca de 38% das propostas. Porém, as divergências ainda são intensas e atingem principalmente recursos e conceitos básicos.

Desde sexta-feira (15), os negociadores intensificaram os trabalhos, ampliando as reuniões para até as 23h. O objetivo das delegações foi adiantar ao máximo o texto preliminar a ser apresentado hoje para os brasileiros para a consolidação do documento final. Nos próximos dias 20 a 22, o material será examinado por cerca de 115 chefes de Estado e de Governo.

Na sexta, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, pediu aos grupos que redobrassem os esforços para a obtenção de acordos e para o fim dos impasses até a reunião de cúpula. O apelo gerou reações, mesmo que ainda faltem 62% do documento para serem negociados, segundo o diretor do Departamento de Desenvolvimento Sustentável, Assuntos Econômicos e Sociais da Rio+20, Nikhil Seth.

“[Ontem] as negociações estavam caminhando bem melhor do que há dois dias”, disse Seth, informando que mesmo indicando avanços nos debates, a porcentagem não reflete a disposição dos negociadores em chegar, rapidamente, a um acordo. “Muitos negociadores disseram que se sentem encorajados com o clima positivo e que certamente haverá avanços mais importantes com a provável conclusão do texto até o dia 19.”

Seth confirmou que as negociações ainda estão travadas por pontos estratégicos do debate, que não encontram consenso entre os representantes dos países desenvolvidos e dos países em desenvolvimento. As divergências recaem principalmente sobre questões como a implementação dos compromissos com o desenvolvimento sustentável, a transferência de tecnologias e a reafirmação e o aprofundamento de metas estabelecidas há 20 anos, na Rio92.

“Havendo acordo em relação a essas questões maiores, ocorrerá acordo em torno das outras questões. Não existe um grupo especial tratando da reafirmação de compromissos da Rio92. O tema aparece em vários parágrafos do texto. Ou seja, uma vez que essas questões divergentes estejam resolvidas, resolveremos esses colchetes rapidamente”, disse Seth, mantendo o otimismo sobre os acordos.

No entanto, Seth alertou que não é mais o momento para debates minuciosos e que as negociações entraram em uma nova modalidade. O governo brasileiro vai anunciar como, no comando das negociações, vai conduzir esses debates. As reuniões dos comitês preparatórios foram encerradas ontem à noite, mas alguns grupos continuarão tentando refinar o texto para que o documento seja concluído no dia 18 e submetido à Organização das Nações Unidas (ONU) no dia 19.

      • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
      • QUEM MAIS COMENTOU
      Publicidade
      Publicidade
      «

      Onde e quando quiser

      Tenha a Gazeta do Povo a sua disposição com o Plano Completo de assinatura.

      Nele, você recebe o jornal em casa, tem acesso a todo conteúdo do site no computador, no smartphone e faz o download das edições da Gazeta no tablet. Tudo por apenas R$ 69,30 por mês no plano anual.

      SAIBA MAIS

      Passaporte para o digital

      Só o assinante Gazeta do Povo Digital tem acesso exclusivo ao conteúdo do site, sem nenhum custo adicional ou limite.

      Navegue com seu celular ou baixe todas as edições no tablet - um novo jeito de ler jornal onde você estiver.

      CLIQUE E FAÇA PARTE DESSE NOVO MUNDO

      »
      publicidade