Assinaturas Classificados
Assinaturas

Publicidade

Tiago Recchia - GP, 19 / 9 / 2009

Tiago Recchia - GP,  19 / 9 / 2009 /
Na mira do leitor

A intertextualidade: cuidados e vantagens na produção dos textos

19/09/2009 | 10:55
  • Comentários

Recolho das janelas informativas da imprensa o material para analisar hoje o tema da intertextualidade, recurso poderoso sempre disponível às redações em geral. Aliás, você já reparou como a maioria dos blogueiros conta, muito mais do que produz material próprio, com a retaguarda do que outros já escreveram , desenharam, infografaram , fotografaram e filmaram? As opções para alimentar maior sentido ao que se deseja destacar são abundantes, mas há também situações e quem ofereça postagens autorais que compartilham com os demais o estilo pessoal, a concatenação das ideias e os arranjos visuais estabelecidos. É uma questão de escolha e de conveniência - e o leitor sempre ganha com o caminho bem selecionado pelo blogueiro. Observe.

Daniel Castellano/ Gazeta do Povo

Daniel Castellano/ Gazeta do Povo / As irmãs Laís e Lizandra aprenderam com a experiência da própria mãe, que engravidou aos 14 anos. Hoje, elas não querem nem saber de filhos Ampliar imagem

As irmãs Laís e Lizandra aprenderam com a experiência da própria mãe, que engravidou aos 14 anos. Hoje, elas não querem nem saber de filhos


Hoje, por exemplo, quero destacar a charge do Tiago Recchia, porque aprecio o traço inconfundivelmente elegante dos desenhos dele. Atente, sobretudo, à temática ressaltada, uma vez que está bem ao gosto das bancas nos vestibulares, portanto, a charge deverá seguir lépida e fagueira para o cardápio das análises do vestibulando. Costurar as informações fornecidas pelo IBGE e ainda revelar as impressões autorais do chargista são os dois itens que alimentam a escolha da ilustração na postagem de hoje. Vá nessa confiante.


Examine a infografia preparada pela Gazeta; a fonte é o PNAD 2008/IBGE, mas para ficar mais informado leia a reportagem Analfabetismo estacionou em 10% do André Gonçalves e Agencia Estado, também na Gazeta de hoje. Veja a costura informativa chegando na bandeja para você apreciar. Aproveite, porque esses dados reveladores apontam as direções para o seu olhar, seja ele de leitor interessado e curioso ou de vestibulando e inscrito no ENEM.


Examine a seguir o excerto:


"Em dez anos, o Paraná conseguiu reduzir em 35% o número de adolescentes que engravidaram. A informação consta da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) referente ao ano de 2008, divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geo­grafia e Estatística (IBGE). Em 1998, 62,3 mil meninas de 15 a 19 anos declararam ter filhos. Em 2008, este número caiu para 40 mil no estado. No Bra­sil, a redução foi menor: 18,2%. Em 1998, 1,15 milhão de adolescentes neste grupo de idade disseram ter filhos, contra 946 mil, em 2008.

A redução mostra uma consciência maior por parte dos jovens no que diz respeito ao uso de métodos contraceptivos, na opinião da chefe da divisão de promoção da saúde da mulher, criança e adolescente da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Patrícia Danielle Torres Matille. “Verificamos isso com o aumento da procura por atendimento para uso de contraceptivos nas unidades de saúde”, diz."


As informações acima foram retiradas da reportagem Cai o número de meninas grávidas, de Tatiana Duarte, na GP; agora analise a fotografia feita pelo Daniel Castelanno. São duas contribuições que articulam maior sentido ao tema da natalidade no Paraná. Ficar atento às costuras informativas e apreciar a intertextualidade presente ajudará ao estudante, ao blogueiro ou ao leitor interessado a tirar o bom proveito dos recursos intertextuais.



Quem fez, quando e onde foi publicada? - Uma constatação entristecedora para quem corrige redações na escola básica e também acadêmica é a frequente apropriação informativa sem a devida indicação da fonte, ou seja, quem fez, quando e onde foi publicada. As crianças e os jovens precisam desde as primeiras séries escolares a reconhecer o trabalho intelectual alheio, caso contrário aprenderão na escola, diante do afrouxamento das exigências dos colegas professores, a fazer do CtrlC e do CtrlV o alimento único da composição dos seus trabalhos de pesquisa e redação.


A intertextualidade é citação, a conhecida menção dos dados informativos de outras fontes e, quando bem empregada, revela ao leitor não apenas a capacidade articuladora do produtor do texto na condução das vozes autorais, mas também a seriedade e a justiça no trato das informações, concorda comigo?


Quer treinar a escrita sobre o tema de hoje?


>Na composição das suas redações e trabalhos de pesquisa qual o lugar oferecido às citações? Costuma utilizá-las com regularidade acentuada? Comente.

> Seus professores costumam mostrar como se articulam as informações intertextuais? Aprendeu a contar com a ajuda dos sinais de pontuação para melhor introduzi-las no seu texto? Há alguma orientação escrita sobre a elaboração de trabalhos de pesquisa na escola onde você estuda, sobretudo nas aulas de Redação? Responda e argumente.


Sugestões - Para bem elaborar a composição dos trabalhos escolares e aprender a explorar a intertextualidade sugiro aos estudantes e professores do ensino fundamental e médio as duas primeiras leituras abaixo; e, aos universitários, apesar de dirigida ao campo da saúde, a última indicação aponta a direção universal à pesquisa e produção de textos acadêmicos.


> A grande jogada: Manual construtivista de como estudar, de Celso Antunes, Editora Vozes


> Projetos de pesquisa: estratégias de ensino e aprendizagem em sala de aula, de Jorge Santos Martins, Editora Autores Associados


> Metodologia da pesquisa em saúde: fundamentos essenciais, de Neusi Tomasi e Rita Yamamoto, da UFPR

Até a próxima!

      • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
      • QUEM MAIS COMENTOU
      Publicidade
      Publicidade
      «

      Onde e quando quiser

      Tenha a Gazeta do Povo a sua disposição com o Plano Completo de assinatura.

      Nele, você recebe o jornal em casa, tem acesso a todo conteúdo do site no computador, no smartphone e faz o download das edições da Gazeta no tablet. Tudo por apenas R$ 49,90 por mês no plano anual.

      SAIBA MAIS

      Passaporte para o digital

      Só o assinante Gazeta do Povo Digital tem acesso exclusivo ao conteúdo do site, sem nenhum custo adicional ou limite.

      Navegue com seu celular ou baixe todas as edições no tablet - um novo jeito de ler jornal onde você estiver.

      CLIQUE E FAÇA PARTE DESSE NOVO MUNDO

      »
      publicidade