PUBLICIDADE

Animal

Cães com remelas, problemas à vista?

Secreção nos olhos dos cães pode ser sinal de infecção, inflamação ou alergia


Segurança - Os cintos de segurança para cães da Comercial Lupe são reguláveis e dão mobilidade para o conforto do animal. O cão poderá viajar sentado ou deitado, inclusive no colo do dono. O cinto é fixado no banco do automóvel. Os tamanhos pequeno e médio custam R$ 18 na Pet Show

Após uma boa noite de sono, é comum que os cães acordem com o canto dos olhos cheios de uma sujeirinha bem conhecida: a remela. Porém, muitas vezes um vazamento bastante semelhante a ela – mas com complicações à saúde do bichinho – pode passar despercebido pelos donos. Existem casos em que as secreções não são sinais de uma bela noite de sono, mas sim de que há algo mais a ser investigado. Podem ser indícios de uma infecção, alergia ou inflamação nos olhos.

O médico veterinário especializado em oftalmologia canina, João Alfredo Kleiner, do Hospital Veterinário São Bernardo, explica que é preciso apertar o botão de alerta ao menor sinal de sujeira nos olhos do pet. Nem sempre são de pouca importância. “Ela deve ser avaliada o quanto antes. Aparece nos quadros de uveítes (inflamações nos olhos), glaucomas (doença grave causada pelo aumento da pressão intraocular) e traumas, por exemplo”, diz.

E os problemas não se resumem a esses. Existem diversos outros fatores que causam secreções. Desde o atrito da pelagem com o olho do animal à conjuntivite. Não existe exceção à regra: qualquer raça está sujeita. Porém, os problemas acontecem mais frequentemente em poodles, lhasas, cocker spaniels, shih tzus, cane corsos, beagles, rottweilers, pugs, pequineses e sharpeis.

Para algumas dessas raças, pode haver ainda um desdobramento. No casos de pets de pelagem clara – sobretudo das raças poodle, maltês, lhasa apso e bichon frisê –, quando essas se­­cre­ções acontecem há um extravasamento no canto do olho que gruda nos pelos e na pele. Isso causa uma mancha no animal. “São as chamadas ‘manchas da lágrima’. Elas podem causar infecções e inflamações também nessa região da pele, as dermatites”, diz Kleiner.

Tanto as secreções quanto as manchas de lágrima são mais comuns em dias quentes, afirma a médico veterinário também especialista em oftalmologia canina, Augusto Campos, da clínica veterinária Ossos e Focinhos, de Ponta Grossa. “Esse é o período em que os problemas oculares mais atingem os cães. O ar seco é ambiente propício para reações alérgicas e inflamatórias. Deve-se redobrar a atenção em semanas com temperaturas acima de 25° C”, diz.

Visita ao médico

Para resolver o problema, o ideal é levar o pet ao veterinário. “Como há várias razões para esses vazamentos, é preciso saber a causa exata para fazer um diagnóstico adequado”, diz Campos.

Ao dono, cabe estar atento aos sinais. “A melhor dica é: quando perceber qualquer sinal de irritação ocular (vermelhidão), secreções em excesso, dor nos olhos (o cão não consegue abri-los com facilidade) ou perda de visão, deve-se imediatamente procurar ajuda”, diz João Kleiner. “O tratamento rápido e eficaz nas doenças oculares é essencial no sucesso terapêutico e na preservação da visão do pet.”

PUBLICIDADE