PUBLICIDADE

Animal

Como preparar a casa para o animal de estimação idoso?

Animais de estimação idosos precisam de mudanças na rotina e na disposição dos objetos em casa para melhorar a qualidade de vida

(Foto: Bigstock)(Foto: Bigstock)

Os sinais de que o animal de estimação está ficando mais velho são claros: pelos brancos no focinho e na cabeça; menos energia na hora das brincadeiras e dos exercícios; olhos mais secos, entre outros. Essas mudanças exigem adaptações na rotina e na casa do cachorro ou do gato idoso. Confira as sugestões da Karin Botteon, médica veterinária da Comissão de Animais de Companhia do SINDAN (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal):

Tapetes e escadinhas para cachorro e gato idoso

Cachorros e gatos mais velhos podem ter mais dificuldade em levantar, caminhar, subir no sofá. Use tapetes emborrachados que evitem que ele escorregue em pisos mais lisos e use escadas adaptadas para que eles subam, sem muita dificuldade, ao sofá ou a cama.

“O ideal é que o tutor evite qualquer tipo de obstáculo a esses animais, para que eles não tenham dificuldades de circulação pela casa ou sofram algum acidente, principalmente aqueles com alguma perda de visão”, reforça a médica veterinária.

Deixe potes com água pela casa

Animais com problemas renais sentem mais necessidade – e com maior frequência – de água. Como muitos têm dificuldades em se locomover pela casa e até sentem dor, deixe diferentes recipientes separados pela casa.

No caso dos gatos, a recomendação é para adaptar a caixa de areia. As bordas devem ser mais baixas para que a caixa não se torne mais um obstáculo para o animal, que pode ter algum problema ortopédico.

Mudanças de comportamento dos animais

Não se trata apenas de dormir mais ou ter menos disposição. Algumas doenças importantes influenciam no comportamento do animal, como doença renal crônica, osteoartrite, cânceres, doença periodontal, cardiopatia, entre outras.

Fique atento se o pet urina ou faz as fezes fora do local habitual (isso porque ele sentiu dor ou evitou se locomover até o local), se ele bebe muita água e se alimenta menos, se tem vômitos esporádicos e cansaço excessivo em brincadeiras ou passeios.

Para os gatos, fique de olho se eles deixam de subir em locais que costumam gostar. Isso pode significar problemas ortopédicos. Também perceba se há mudança na pelagem dos bichanos. Os gatos mantêm a higiene do pelo como hábito regular e a presença de um pelo eriçado, mal cuidado ou seco exige uma investigação.

Exercícios físicos leves

Prefira passeios mais curtos, em horários menos quentes do dia e acompanhe a disposição do animal de estimação. Evite exercícios que exigem muito esforço muscular ou ortopédico, além de físico.

Vá ao veterinário com mais frequência

Visitando o médico com mais frequência, ele poderá ficar atento a qualquer mudança nos exames e na rotina do animal. O diagnóstico precoce pode ajudar no tratamento e solução de muitas doenças.

Leia mais

Não dê chocolate ao seu pet!

Como dar banho em gatos: veja o passo a passo

Nomes de comida estão em alta para cães e gatos

PUBLICIDADE
array(6) { [0]=> string(5) "http:" [1]=> string(0) "" [2]=> string(23) "www.gazetadopovo.com.br" [3]=> string(9) "viver-bem" [4]=> string(6) "animal" [5]=> string(49) "como-preparar-a-casa-para-o-cachorro-e-gato-idoso" }