PUBLICIDADE

Animal

Coelho é animal de apartamento, sim! E ele ama carinho

Animal silencioso e dócil, o coelho é uma boa opção para famílias que vivem em apartamentos

coelha_lilly_karyna_lamy2

Na hora de escolher um bichinho de estimação, a maioria das famílias opta por um cachorro ou gato. Pouca gente pensa nos coelhos, animais pequenos, silenciosos e (muito!) fofos. Claro, é importante lembrar que se trata de um animal exótico, com comportamento diferente da dobradinha tradicional cão/gato, mas que também é de companhia e se adapta muito bem a apartamentos, já que não precisa sair para passear.

Um coelho pode aprender o próprio nome e aceitar ficar no colo, mas não é regra. O comportamento varia de animal para animal, mas a maioria adora um carinho cuidadoso: uma boa coçadinha no pescoço ou agrados no pelo. Já pensou que delícia? Então veja as características e cuidados desse animal muito fofo (de novo!) e quem sabe um coelho pode virar seu novo companheiro. As dicas são do biólogo Thiago Sá, da Cobasi:

Raças e tipos
Existem diversas raças de coelho, mas elas se dividem basicamente em duas variedades: o comum e o mini. O comum pode chegar até a 10 kg e não é tão indicado para apartamentos porque precisa de uma gaiola maior para viver. Já o mini, ou anão, é mais popular como bichinho de estimação. O comportamento – dócil ou não, por exemplo – não varia de raça para raça, mas sim de acordo com o animal. As raças indicam as características externas, como coloração e tamanho do pelo, formato das orelhas e outros detalhes. A escolha é questão de gosto. O macho tem tendência a crescer mais e pode ficar territorialista com a maturidade sexual.

Comportamento e brincadeiras
Quando quer carinho, o coelho chega perto e se encosta ao lado do dono. Tem animais que toleram carinho na barriga, outros não. O ideal é o contato suave no pelo, um carinho leve na nuca. O coelho é um animal de solo, por isso, se for tentar acostuma-lo no colo, um bom começo é iniciar o contato sentado no chão. Aos poucos ele pode aceitar esse tipo de agrado. Todos os brinquedos destinados aos coelhos são para roer. Peças de madeira, principalmente. Deve-se tomar cuidado para não oferecer qualquer pedaço de madeira porque pode conter verniz e outros produtos tóxicos ao animal.

Ambiente e gaiola
Os coelhos precisam de espaço para se movimentar, eles dão pequenos saltos e não podem ficar trancados em gaiolas pequenas ou inapropriadas. As corretas são as chamadas “coelheiras”, desenhadas especialmente para eles. Uma gaiola considerada espaçosa é a que mede aproximadamente 1 m². É importante colocar uma “toca” na gaiola para ele se esconder. Pode ser uma caixa de sapato ou um vaso de fibra de coco invertido, com um buraco. Caso exista essa opção em casa, pode-se destinar um cômodo inteiro para ele, como um banheiro ou um quarto sem uso, com as devidas adaptações.

Passeio
O coelho é um animal de chão e gosta de explorar o ambiente, por isso é bom soltá-lo pela casa sempre que possível. É importante ficar atento porque os coelhos adoram roer pés de cadeiras, cabos e tudo mais o que veem pela frente. Não é um animal para passear na rua ou usar coleira. Deixe ele em casa. Coelhos também não podem sofrer de estresse.

Alimentação
O coelho se alimenta de uma ração específica feita à base de ingredientes de origem vegetal. É legal complementar a alimentação com folhas verdes escuras (como as de beterraba, rabanete, chicória, couve, etc.) ou pedaços de cenoura, nabo ou rabanete. Isso serve como um agrado para os coelhos. Eles ficam felizes em comer algo além da ração. A água deve ser sempre filtrada e oferecida em abundância, no bebedouro próprio para coelhos, que fica preso à gaiola, ou outro recipiente adequado.

Cuidados
Coelhos não podem tomar banho, é um risco para o seu sistema imunológico, que é bastante sensível. Ele faz a higienização sozinho, mas é possível utilizar lenços umedecidos para limpar as patas ou a área genital, caso estejam sujas. Os coelhos não têm cheiro, apenas sua urina e fezes. Por isso, a serragem que fica embaixo da bandeja da gaiola deve ser trocada diariamente. Ele não deve ter contato com os excrementos. Não é uma prática comum, mas a castração pode ser feita em veterinário especializado em exóticos. Bem cuidados, coelhos vivem em média 8 anos.

Depoimento: A produtora de eventos Karyna Lamy e a coelha Lilly

coelha_lilly_e_sua_dona

Lilly veio para o apartamento onde Karyna vive com o marido com 45 dias.

A produtora de eventos Karyna Lamy, é tutora da vira-latas Lilly, de 4 anos. Lilly é a quinta coelha que passou pela vida de Karyna desde a infância. “Coelhover” de carteirinha, a produtora de eventos trouxe Lilly para o apartamento que divide com o marido quando ela tinha 45 dias, depois de passar por um aviário Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba.

“Nós estávamos voltando da casa de um amigo e paramos para ver uma ninhada de coelhos numa gaiola em um aviário. Quando entramos na loja para ver outras coisas, percebemos que tinha um coelhinho no nosso pé. Era a Lilly. Ela tinha fugido da gaiola e veio atrás da gente. Ela nos escolheu”, conta.

Lilly pesa 3,5 kg e utiliza o banheiro social do apartamento do casal como casa. Ali é o espaço dela, com toca, alimentação, brinquedos e espaço para fezes e urina. “No começo nós compramos gaiola, mas como ela cresceu decidimos utilizar o banheiro como a casa dela”, conta Karyna. A porta do banheiro tem uma grade protetora, daquela comum para animais.

Apesar do bom espaço, Lilly tem carta branca para passear pelo apartamento quando Karyna está em casa. “Ela adora carinho. Quando ela quer, vem e bate em mim com o nariz, pedindo. Mas é quando ela quer. Chamar pelo nome às vezes ela não atende. Então, nesse aspecto, lembra um pouco um gato”, diz.

Leia mais

Dr. Pet lembra: todo animal deve ser cuidado, mas existe um limite

Vista já! Apostas da São Paulo Fashion Week 2017

5 lições que aprendemos com a Bela e a Fera

PUBLICIDADE