0
 
PUBLICIDADE

Animal

Nem só de peixe vive um aquário

O aquarismo cresce no Brasil e espécies bastante exóticas já podem ser levadas para casa, com tudo regularizado

Se antes era preciso usar máscara e oxigênio para mergulhar e ver algumas espécies exóticas de peixes e outros bichos marinhos, agora o fundo do mar pode estar em sua casa. Com alguns cuidados extras, é possível montar um aquário com caramujos, camarão, lagosta e até pepino-do-mar e ouriço. Quem gosta de espécies diferentes, pode adotar como pet uma moreia, uma enguia ou, quem sabe, um ofiúro, que faz às vezes da estrela-do-mar, que não pode ser comercializada. Entre crustáceos, moluscos, corais e anêmonas existem cerca de 2,5 mil espécies de água doce e salgada. O único cuidado na hora de montar o seu aquário é não misturar espécies predadoras umas das outras.

A moreia, por exemplo, come todos os peixes que são menores que a sua boca, por isso o indicado é colocar junto com ela peixes maiores que, no máximo, poderão ser beliscados de vez em quando, sem grandes prejuízos. “Como a moreia se mexe muito dentro do aquário, não é recomendado colocar corais ou anêmonas, porque eles vão se quebrar”, explica o proprietário da loja Kribensis, Aldo Paim Horta. A moreia, ao contrário do que muitos pensam, não dá choques, mas algumas têm dentes venenosos que, ao morder, podem infeccionar o ferimento. Apesar de, à primeira vista, elas parecerem estranhas, são divertidas, se exibem no aquário e algumas são muito coloridas. Uma das espécies, a moreia bananinha é toda amarela e tem a boca azul. O único problema é que elas pegam impulso na água, por isso o aquário precisa ficar sempre tampado, caso contrário, elas pulam para fora.

Além de diferentes, alguns desses bichos cumprem um papel importante no aquário, porque comem a sujeira e, assim, deixam a água limpa por um tempo maior. É o caso do ofiúro, dos caramujos e de camarões como o limpador. “Esse camarão, além de limpar o aquário, tira até parasitas de peixes doentes”, explica o proprietário da loja Moby Dick, Ednaldo Duque. O preço dele, porém, é um pouco salgado: cerca de R$ 360. Já o preço das moréias é mais acessível, R$ 170.

Os bichos diferentes mais vendidos acabam sendo os caramujos, devido ao preço baixo: tem a partir de R$ 1. Mas existem alguns moluscos, como o tridacna, que podem custar R$ 1,1 mil.

As lagostas, antes usadas no aquarismo com certa frequência, agora são mais difíceis de encontrar. Isso porque algumas foram importadas e tornaram-se invasoras no ecossistema brasileiro, o que forçou o Ibama a proibir a comercialização de algumas espécies. Mas se a ideia é apostar no exótico, uma outra sugestão encontrada em lojas especializadas é a enguia de água doce, parecida com a moreia, que pode chegar a 25 centímetros. Por produzir uma descarga elétrica pequena, é possível mantê-la em um aquário junto com outros animais.

Profissional

Na hora de se arriscar no aquarismo, porém, é preciso consultar um profissional da área, porque cada espécie exige um conjunto de condições necessárias para a sobrevivência, como tamanho do aquário, companheiros, parâmetros da água e nutrição. Alguns corais são de água profunda, por exemplo, então precisam de um ambiente com mais nutrientes e iluminação branda. Há, por outro lado, um peixinho (conspicilium) que costuma comer corais, por isso não pode viver com eles, e algumas espécies de anêmonas que queimam os peixes. A composição da água também é fator importante para a sobrevivência dos bichos: as curbículas (caramujos) necessitam de uma água mais alcalina para que a casca não se deteriore.

Interatividade

Que animal exótico você colocaria no aquário? Por quê?
Escreva para
cadernoanimal@gazetadopovo.com.br

Serviço:

Moby Dick (41) 3023-7230. Kribensis (41) 3023-5574. Azoo Marine (41) 3332-3262. Aquabetta (41) 3264-9536.

A moreia pintada se movimenta bastante e faz diversas graças como pegar impulso na água. Custa R$ 170 e vive cerca de 5 anos

PUBLICIDADE