PUBLICIDADE

Comportamento

Estudantes paranaenses são finalistas em competição da Nasa

A competição envolveu 25 mil alunos de 69 países. Agora eles vão competir nos Estados Unidos

Raul Guedes Carlessi é um dos alunos finalistas da Hackathon (Foto: Divulgação)Raul Guedes Carlessi é um dos alunos finalistas da Hackathon (Foto: Divulgação)

Cinco estudantes do Colégio Estadual Arlindo Carvalho de Amorim, em Curitiba, foram classificados em primeiro lugar na competição tecnológica Space Apps Challenge, promovida pela agência espacial dos norte-americana, a Nasa. No segundo semestre, Raul Guedes Carlessi, Marquistei Medeiros, Marcos Mateus Garrido de Mello, Daniel Marques e Paloma Lecheta embarcam para os Estados Unidos para  competir com equipes do mundo todo. Se saírem vencedores terão a chance de participar de um programa da agência americana.

O projeto dos alunos foi o Rádio Juno, um dispositivo que utiliza dados captados por um satélite da Nasa que transmite as coordenadas de focos de incêndios e queimadas aos aparelhos de radiodifusão.“O nosso projeto foi construído para ajudar incêndios que normalmente acontecem em pontos onde as pessoas não tem conexão com a internet. Por isso escolhemos o rádio, um aparelho comum na casa dos brasileiros”, afirma Raul, que é aluno do 9° ano do ensino fundamental.

O interesse de Raul por ciência não é novo. Ele e a equipe já haviam participado de outras competições. Juntos eles desenvolveram um alarme para prevenir vandalismo em escolas. “Mas nada comparado à Nasa”, diz.

Como funciona o Rádio Juno?

Quando as informações dos focos de incêndio chegam ao banco de dados da Nasa, o rádio converte as coordenadas do local em sons e facilita a localização do incêndio. A ideia é simples: quanto antes for encontrado, mais facilmente as equipes de bombeiros conseguem erradicar o fogo.

Votação popular

O projeto VR TREE dos alunos Jennifer Gabriela Jetka, Duncan Crowley, Trenton Roncato Juraszek, Eduardo Yutaka Nakanishi, Guilherme Dias da Silva e Bruna Paese ficou em primeiro lugar em uma votação popular nacional. Agora eles concorrem na escolha pública internacional, que termina em 22 de maio. A votação acontece no site do desafio.

O VR TREE consiste em um sistema que projeta, a partir de um aparelho de celular, imagens da Síria antes da guerra e tem como objetivo mostrar o lado esquecido do país envolvido em uma guerra civil, promover o respeito ao próximo e o fim do conflito. “Quando perguntamos a algum refugiado sírio onde ele queria estar, de pronto eles respondem que queriam estar lá, na Síria”, disse Jennifer Gabriela Jetka, de 13 anos, do 8° ano do ensino fundamental do mesmo colégio.

O Nasa Space Apps Challenge é uma maratona de tecnologia da informação que reúne pesquisadores e estudantes com interesse pela área tecnológica. O evento contou com desafios proposto pela Nasa com o objetivo de incentivar a criatividade e promover o desenvolvimento de softwares inovadores. A competição, que aconteceu no final do mês de abril, foi simultânea em 69 países e reuniu 25 mil participantes.

Leia mais

Rapper Nicki Minaj anuncia que vai pagar estudos de alunos que tirarem só nota 10

Depois de vencer o câncer, marceneiro vira “homem de ferro” em Curitiba

Jovem curitibano consegue verba para construir cozinha beneficente na África

PUBLICIDADE