PUBLICIDADE

Moda e beleza

Deu branco na cabeça

Cabelos brancos são tidos como sinal de maturidade e experiência. Geralmente, eles aparecem antes da maioria das pessoas desejar exibir esse perfil. Mas há também quem assuma os brancos e até mesmo quem pinte os fios para deixá-los com efeito grisalh

Fios diferentes


A bióloga Elaine convive com os fios brancos desde a adolescência. Apesar de já ter visto caras feias, adora o seu visual

Uma olhadinha descompromissada no espelho e lá está ele. Um fio branco pode ser chamado de muitas coisas, menos de discreto. Ele cresce rebelde, espetado, cheio de frizz e aparentemente mais espesso que os outros. Na verdade, a diferença é que o fio branco não tem melanina, proteína que dá a cor ao cabelo e pelos. A perda da hidratação nos fios acontece com o envelhecimento e isso pode levá-los a ficar mais secos e com menos brilho.


A performática cantora norte-americana Lady Gaga assumiu um visual acinzentado nos próprios fios e em perucas

Camuflando o prateado


A manicure Janaina Vieira, 24 anos, percebeu que com a tintura preta os fiozinhos brancos eram ressaltados. Agora, depois de descolorir todo o cabelo, ela aderiu ao louro acinzentado

Dependendo da espessura do fio e da quantidade, é possível avaliar o processo de tintura e os produtos a serem usados. Alguns tonalizantes podem não cobrir os fios brancos, funcionando apenas como uma maquiagem que confere nuance e brilho às madeixas. Se a intenção é cobrir totalmente os fios brancos, devem ser consideradas tinturas mais escuras em tonalidades fechadas. “Hoje há produtos, como o Color Supreme da L’Oréal, com os quais não se precisa misturar tons para dar a cobertura, o que é necessário com outras tintas. Com a tecnologia, temos cada vez mais cobertura e durabilidade”, conta o cabeleireiro Grego, do salão Jacques Janine Curitiba.

As causas do embranquecimento

O esbranquiçar do cabelo é chamado de canície. Quando a produção de melanina se esgota, bye bye cor natural. O que vai definir o fim dessa produção é a genética, embora haja estudos que comprovem a ligação entre o estresse e o aparecimento acelerado de cabelos brancos. A explicação é que situações estressantes levariam à produção de substâncias químicas e hormônios, que alteram o comportamento das células produtoras do pigmento. Doenças e medicamentos também podem ter efeito na cor dos cabelos, mas isso acontece de forma rara.

Arranca um, nascem mais sete

Não é verdade que ao arrancar um fio branco, na sequência – e como por uma maldição –, outros fios nascerão brancos. Um fio arrancado não pode influenciar a pigmentação dos fios que estão ao seu redor, pois cada fio de cabelo tem seu próprio conjunto de células que produzem a melanina.

Branqueou geral! Tem de cuidar?

Naturais ou tingidos, cabelos brancos exigem hidratação. Há produtos, como xampus, indicados para este tipo de cabelo, e que trazem mais vitaminas e aminoácidos.

Fio arrancado é um problema a menos – ou a mais?

Há quem diga que ao arrancar o cabelo podemos danificar a produção de novos fios. O dermatologista Jesus Rodriguez Santamaria explica que isso é conversa fiada. “Quando se arranca um fio com uma pinça, naquele local vai nascer outro, pois ao puxar retiramos a haste e não o bulbo, onde é produzido o cabelo. A exceção é o uso do laser, que destrói o bulbo.”

Cabelo branco envelhece o visual?

Quem assume os cabelos brancos naturais ainda tem de conviver com o estranhamento alheio. Que o diga a bióloga Elaine Camacho, 35 anos. Apesar de já ter ouvido muitos elogios às suas mechas brancas, presentes desde os seus 15 anos, ela diz que já viu gente torcer o nariz. “Falam que eu deveria pintar os cabelos porque eles me deixam com um ar envelhecido. Eu não me importo, a velhice não está no cabelo, mas no espírito de cada um”, diz. Aliás, ela não pode nem pensar em pintar, ou vai enfrentar cara feia do marido. “Ele gosta dos meus cabelos brancos, diz que acha charmoso.”

Os brancos nas etnias

Dependendo do tom da sua pele, você pode ter a cabeça branca mais cedo ou mais tarde. É claro que há grandes variações, dependendo da genética ou saúde, mas em geral há uma faixa de idade que serve para exemplificar como os cabelos mudam de acordo com a etnia. Se a sua pele for branca, é provável que o processo comece por volta dos 35 anos. Orientais costumam descobrir os brancos com 50 anos e quem tem a pele negra deve ver os fiozinhos esbranquiçados surgirem lá pelos 55.

Homens grisalhos

Engana-se quem pensa que os homens não se preocupam com os fios grisalhos. Na verdade, até mesmo aqueles que mantêm o visual esbranquiçado tomam seus cuidados se quiserem um cabelo bonito. Uma das técnicas usadas é o reflexo invertido, pelo qual são feitas mechas escuras. Fica natural e disfarça a quantidade dos brancos. George Clooney que o diga.

Revertendo o embranquecimento

Estudos sugerem que os “melanócitos adormecidos” poderiam ser reativados para produzir melanina novamente. “Mas ainda não há consenso na literatura científica sobre isto. Provavelmente o avanço da ciência e da tecnologia vão proporcionar melhor esclarecimento sobre estas questões”, afirma a dermatologista Kátia Purim.

Tintura só quando não tiver mais jeito…

Antes era comum ouvirmos que quanto mais demorássemos para pintar o cabelo, melhor seria. Na verdade, esse conselho era dado porque as tinturas de outrora danificavam os cabelos. Hoje, as fórmulas contêm nutrientes e proteínas, que ajudam a tratar e hidratar os fios. Agora, não dá para esquecer que, assim que alguém se propõe a mudar a cor dos cabelos, terá de fazê-lo com frequência, o que exige tempo, disciplina e dinheiro.

Fontes

Dermatologistas Kátia Sheylla Malta Purim, professora de Dermatologia da Universidade Positivo e Jesus Rodriguez Santamaria, professor de Dermatologia da UFPR; e Hair stylist Grego, do salão Jacques Janine Curitiba.

* * * * *

Interatividade

Você deixaria seus cabelos brancos naturalmente?

Escreva para leitor@gazetadopovo.com.br

As cartas selecionadas serão publicadas na Coluna do Leitor.

PUBLICIDADE