PUBLICIDADE

Moda e beleza

30 dias sem xampu e um cabelo incrível; veja relato de quem aderiu ao No Poo

Trocar o xampu por produtos mais suaves ou apenas água? A estudante de jornalismo Monique Portela aderiu e conta o resultado

A estudante passou 30 dias lavando os cabelos apenas com água. Foto: Albari Rosa / Gazeta do PovoA estudante passou 30 dias lavando os cabelos apenas com água. Foto: Albari Rosa / Gazeta do Povo

A primeira vez que ouvi alguém falar sobre quebrar uma rotina de higiene e beleza tão consolidada — o hábito quase mecânico de usar xampu — foi no blog da francesa Bea Johnson. Há 9 anos ela decidiu parar de produzir lixo, inspirando centenas de pessoas a repensarem seus hábitos. Nisso tudo, o que me incomodou no xampu, além da embalagem e dos químicos que iam pelo ralo, era a quantidade de substâncias químicas que eu passava na cabeça todos os dias. Será que o xampu era realmente um mal necessário, em nome da higiene?

“A verdade é que com a maioria dos xampus que você tem hoje no mercado, a limpeza é excessiva. Você limpa aquilo que não deveria limpar, limpa a parte boa”, explica a cabeleireira Graziela Ribeiro. Há dois anos ela trabalha com técnicas que ficaram famosas depois do lançamento do livro “O Manual da Garota Cacheada: O Método Curly Girl”, em 2001: o Low Poo, traduzido para Xampu Leve e o No Poo, que significa Sem Xampu.

Na técnica do No Poo há três opções de substitutos para o xampu: condicionadores sem sulfatos, silicones insolúveis em água e derivados de petróleo; o combo bicarbonato de sódio e vinagre de maçã (como a Bela Gil) ou apenas água, rotina chamada de “water-only, a qual eu testei durante um mês.

Dá para viver sem xampu?

Da noite para o dia, eu diria que é difícil. Em uma primeira tentativa frustrada no início de 2016, meus fios ficaram pesados, extremamente oleosos, e em 48 horas eu já havia me rendido ao xampu novamente. Mas isso faz parte do “círculo vicioso” que os produtos tradicionais criam: os petrolatos contidos nas fórmulas só são retirados de imediato com o uso de um sulfato forte que existe na maioria dos xampus.

“Esse é o foco principal do No e Low poo: não colocar substâncias pesadas que vão precisar de um detergente forte para serem removidos. E não é que os petrolatos façam mal. É que eles criam a necessidade do uso dos sulfatos”, explica Graziela.

Para minimizar os impactos da ausência de xampu, é importante passar por um período de transição que geralmente leva cerca de seis semanas, de acordo com a farmacêutica e bioquímica especialista em cosmética natural, Eliziane Pozzagnolo. Além de o novo método não conseguir retirar em poucas lavagens os petrolatos e silicones acumulados nos fios, o cabelo também precisa de um período para regularizar a oleosidade. “A oleosidade era produzida em maior quantidade devido a retirada em excesso pelos surfactants comuns, e agora a produção deve se adequar a nova demanda”, comenta Eliziane.

A técnica não é só sobre os fios: o couro cabeludo também precisa estar saudável. Ele não pode ter oleosidade em excesso, formação de massa branca, caspas ou a sensação de coceira. Foto: Albari Rosa / Gazeta do Povo
A técnica não é só sobre os fios: o couro cabeludo também precisa estar saudável. Ele não pode ter oleosidade em excesso, formação de massa branca, caspas ou a sensação de coceira. Foto: Albari Rosa / Gazeta do Povo

Em síntese: sim, é possível, mas é preciso ter paciência. Eu comecei trocando meu xampu tradicional pelas fórmulas suaves indicadas para bebês. Depois, busquei um xampu sem sulfatos e derivados de petróleo, mas continuei com os silicones. Por fim, troquei pelo xampu em barra feito com produtos naturais, até poder lavar apenas com água e obter um bom resultado —  fios saudáveis, bonitos e soltinhos na maior parte dos dias. O segredo está na mecânica: “Você pode usar menos xampu na sua vida e caprichar mais na massagem. Você consegue fazer uma higienização bem melhor com menos, só dando uma caprichada na massagem”, explica Graziela.

É saudável?

Trinta dias depois de ter largado o xampu, fui ao Cabelô Ateliê para que a Graziela analisasse meus fios. Ela olhou a porosidade, a maciez, a oleosidade da raiz e constatou: sim, meu cabelo e couro cabeludo estavam muito saudáveis! Mas o resultado, ela me explicou, não é parâmetro: cada cabelo é diferente e vai demandar cuidados específicos. O water-only pode funcionar para quem tem pouca oleosidade, mesmo assim a prática ininterrupta não é recomendada.

“A oleosidade, assim como grande parte da sujeira acumulada nos cabelos são componentes lipofílicos, ou seja, sem afinidade com a água, então é necessário ter algum tipo de componente que absorva ou remova a gordura”, aponta Eliziane. A prática mais recomendada por ambas as especialistas é o Low Poo, na qual o xampu continua a ser parte da rotina, mas apenas se tiver uma fórmula liberada para o método, ou seja, sem sulfatos e surfactantes pesados, petrolatos, parafinas e óleos minerais.

O processo para se adaptar ao Low Poo é o mesmo para o No Poo: é preciso passar pela fase de transição, prestando atenção na fórmula de todos os produtos que você utilizar nos cabelos, do creme de pentear ao condicionador. Caso queira uma transição mais rápida, a dica é usar um xampu anti-resíduos antes de começar a nova rotina.

Lembre-se, talvez seu cabelo não vá ficar incrível de cara, mas é apenas questão de tempo até que você conheça seus fios e possa realmente tratá-los ao invés de maquiá-los com produtos químicos, como explica a cabeleireira. “Às vezes você vêm maquiando o seu cabelo há tanto tempo que ele parece saudável, e de repente, quando você resolve começar a usar a técnica, você vê o seu cabelo como ele realmente é. Aí às vezes pode rolar um susto, e pode demorar um tempo até que ele fique realmente saudável”.

PUBLICIDADE