PUBLICIDADE

Filhos

Meu filho não fica parado!

Crianças agitadas são saudáveis quando têm sono tranquilo e aumentam poder de concentração progressivamente

Davi e a mãe Daniella Nery: ela sabe que é normal da idade não ficar um minuto parado. (Foto: Letícia Akemi)Davi e a mãe Daniella Nery: ela sabe que é normal da idade não ficar um minuto parado. (Foto: Letícia Akemi)

Chega uma fase que eles acham que podem fazer qualquer coisa: buscar brinquedos lá no alto da estante, voar de um sofá para outro, fazer todos os bonequinhos passearem pela casa. Eles querem mexer em tudo, falar de tudo, perguntar tudo.
É na fase dos 3 aos 8 anos que as crianças têm energia de sobra. A professora Daniella Nery, mãe do pequeno Davi de apenas cinco anos, que o diga. “Ele acorda cedo, já querendo brincar. Logo de manhã ele vai para a escola e não para de falar um minuto. Ele também tem uma coisa corporal dele mesmo, não fica parado”, comenta a mãe.
Daniella disse que desde bebê, Davi era curioso e inquieto. Para ela, a agitação do filho é natural da personalidade, com isso Daniella se adaptou à personalidade dele. “Tenho que ficar de olho sempre, ele acha que se equilibra em tudo, que pode ficar pendurado em qualquer coisa”, conta.
Mesmo com o filho espevitado, Daniella disse que nunca foi atrás de um profissional para saber se a energia de sobra de Davi é normal. Para ela, a inquietude é natural da idade. Mas nem todas as mães são assim. De acordo com a psicóloga infantil Priscila Badotti, muitos pais acreditam que a agitação normal da idade seja um sinal de hiperatividade ou déficit de atenção – um transtorno neurobiológico que aparece na infância. “Eu te digo por experiência, grande parte das crianças que são medicadas e diagnosticadas com hiperatividade são saudáveis”, alerta a profissional.
Para Priscila, o problema está na falta de paciência dos adultos com as crianças. “Muita gente tem a ideia de que a criança tem que se comportar como gente grande e acabam colocando os pequenos em inúmeras atividades, enchendo a agenda deles. Criança tem que extravasar”, comenta a psicóloga.

LEIA TAMBÉM

Crianças devem lutar

Crianças ativas no recreio aprendem mais

Brincadeiras arriscadas trazem benefícios às crianças

Hiperatividade ou meninice?

Se criança é agitada mesmo, brinca bastante e tem energia de sobra, como é possível saber se eles têm hiperatividade? Segundo a psicóloga infantil, crianças saudáveis têm sono tranquilo e dormem bem. O alerta está se, mesmo em um dia bastante movimentado, o pequeno, mesmo esgotado, não tiver uma noite tranquila.
Outro sinal importante é se a concentração deles aumenta com o passar dos anos. “Com cinco anos é possível assistir a um filme inteiro. Eles param para ouvir e prestam atenção. Mesmo uma criança mais ativa vai ter momentos de concentração cada vez maiores”, esclarece.
Alguns jogos eletrônicos, dependendo do conteúdo, podem deixar a criança mais agitada ou agressiva. Por isso, o ideal é sempre ficar atento à classificação indicativa.

Com carinho e afeto

O professor da Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa, o português Carlos Neto, afirma estranhar que muitos pais cheguem em casa estressados e com pouca disponibilidade para dar atenção aos seus filhos. “As crianças necessitam de atenção, afeto e um ambiente familiar estável e seguro. Mas necessitam também de ser ativas e os pais brincarem regularmente com elas. Essa relação emocional vem através do brincar de faz de conta, em lutinhas, jogos de construção ou simplesmente com contações de história”, salienta.
Não há segredo. Poder brincar em casa e de preferência com os pais é uma condição fundamental para o equilíbrio emocional da criança.

PUBLICIDADE