PUBLICIDADE

Saúde e Bem-Estar

Por que as mulheres sentem mais frio que os homens?

Entenda porque homens tomam banho em temperatura mais fria e costumam dispensar as cobertas ao dormir

Relaxation Concept.

Há quem diga que dormir a dois é uma maravilha. Outros que dividem o colchão, porém, nunca entram em consenso sobre a quantidade suficiente de cobertores para passar uma noite aconchegante. Em vez de transformar a cama em campo de batalha, o jeito é o casal entender as diferenças fisiológicas de cada um e tentar se adaptar a elas da melhor maneira possível.

Aquela crença de que as mulheres sentem mais frio e os homens mais calor na hora de dormir, por exemplo, é verídica. Isso porque a testosterona, hormônio predominante nos homens, acaba promovendo um maior trabalho muscular, fazendo com que o corpo produza mais calor em comparação às mulheres. Durante a menopausa, ocorre o inverso: graças aos “calorões” provocados pela alteração dos hormônios femininos, elas é que ficam longe dos cobertores.

Outro fator determinante para uma noite de sono feliz é o peso. “A gordura corporal também retém o calor dentro do corpo, então uma pessoa com sobrepeso tende a sentir mais calor e isso vale para homens e mulheres”, explica a endocrinologista Myrna Campagnoli.

Quem é você no relacionamento, o encalorado ou o friorento? A especialista dá dicas para amenizar os sintomas dos dois perfis e equilibrar a temperatura do casal, confira:

Friorentos:

- prefira realizar exercícios físicos no fim do dia. Assim, o organismo produz mais calor e mantém o corpo aquecido até à noite. Mas, claro, nada de atividades muito intensas, caso contrário o sono pode ficar comprometido;

- muitas vezes, o frio pode significar falta de comida. Quando comemos menos, o corpo tenta poupar energia. Procure manter uma alimentação que supra a quantidade necessária de calorias para o dia.

Encalorados:

- quanto mais hidratado você estiver durante o dia, melhor. Dessa forma, o metabolismo tem material suficiente para fazer a termorregulação à noite. A tendência é que a temperatura corporal baixe durante o sono, mas para isso o organismo precisa de água para liberar o calor. Só não vale deixar para beber tudo antes de dormir, viu?

Ainda não resolveu?

Se nenhuma das tentativas funcionarem e a diferença de calores continuar atrapalhando os sonhos do casal, o jeito é separar – calma, não precisa pensar em divórcio! – os cobertores. Assim, cada um usa o que considerar suficiente para garantir o máximo de conforto a dois.

Fique atento!

Excesso de calor ou de frio também pode indicar alterações hormonais. Neste caso, é importante procurar um especialista.

Fontes: Myrna Campagnoli, endocrinologista pediatra e diretora do laboratório Frischmann Aisengart e Adriane Zonato, médica coordenadora do Laboratório do Sono do Hospital IPO.

Leia também:

Placebo pode ser usado contra depressão em crianças e adolescentes?

Não escovar os “dentes” após a última mamada do bebê é um erro

Quanto tempo é preciso esperar entre uma gravidez e outra?

 

PUBLICIDADE