PUBLICIDADE

Saúde e Bem-Estar

Mortes por trombose aumentam no Paraná, anticoncepcional é uma das causas

Entre 2014 e 2016, o número de mortes no estado por trombose aumentou 11,6%. De causas multifatoriais, a trombose exige atenção

Foto: BigsstockFoto: Bigsstock

De 2014 a 2016, o estado do Paraná registrou um aumento de 11,6% no número de mortes causadas pela trombose venosa profunda. Foram, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, 241 óbitos registrados nos últimos três anos e as causas para esse número vão do sedentarismo ao uso do anticoncepcional associado a maus hábitos.

Quando a mulher, uma das principais vítimas, associa o anticoncepcional ao cigarro, o risco para que a trombose ocorra aumenta. Sozinho, o medicamento não causa o mesmo efeito deletério, visto que boa parte dos anticoncepcionais vendidos atualmente é de baixa dosagem hormonal.

“Outro fator que aumenta o risco da trombose é o sobrepeso. Em pacientes jovens com sobrepeso, que não fazem qualquer exercício físico e nem têm hábitos de vida saudáveis, esses estão mais propensos a ter a condição, mas também a desenvolver varizes, hipertensão, diabetes, entre outras doenças crônicas”, explica José Fernando Macedo, médico especialista em angiologia, cirurgia vascular e endovascular do Instituto de Angiologia e Cirurgia Vascular de Curitiba.

Sem cuidados médicos, a trombose, dependendo da extensão, pode levar a uma embolia pulmonar – e, então, à morte. “Esse é o maior risco. Por isso é importante procurar o quanto antes o médico, especialmente entre quem sente dor nas pernas ou tem edemas nos membros inferiores”, reforça Macedo.

Mesmo meninas que, ainda jovens, descobrem varizes nas pernas ou têm esses sintomas, é essencial que se procure o especialista. A partir da consulta, é comum que se faça uma série de exames de imagem, como ecografia e ressonâncias a fim de identificar o risco.

Fatores de risco para a trombose podem ser prevenidos:

Confira abaixo uma lista de fatores de risco conhecidos para a trombose:

>> Sedentarismo;

>> Tabagismo;

>>  Repouso prolongado, depois de um procedimento cirúrgico, por exemplo, que exige longas horas de recuperação em repouso;

>> Traumas;

>> Neoplasias: tumores cancerígenos geram infecções e um estado pré-coagulante maior no organismo;

>> Jovens que tiveram abortos espontâneos: pode indicar uma trombofilia;

>> Anticoncepcionais orais, especialmente associados a tabagismo.

>> Genética: existe ainda o fator da hereditariedade. Procure um médico se tiver casos na família de trombose, edemas ou varizes.

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE