PUBLICIDADE

Turismo

Paraná vai ganhar maior parque aquático do sul do Brasil, inspirado em Orlando

Inspirado nos parques aquáticos de Orlando, nos Estados Unidos, o Blue Park terá 62 mil metros quadrados de área construída

Projeção de como será o Blue Park. Foto: Mabu/divulgação.

Inspirado nos parques aquáticos de Orlando, nos Estados Unidos, o Blue Park abrirá as portas em dezembro deste ano, próximo à rodovia que dá acesso às Cataratas do Iguaçu, na região oeste do Paraná. O projeto, tido como o maior do sul do Brasil, terá 62 mil metros quadrados de área construída e a terceira maior praia artificial de água termal do mundo, já que todo o complexo está localizado sobre o Aquífero Guarani.

O Blue Park está sendo construído ao custo de R$ 90 milhões, e poderá receber até 6 mil pessoas ao dia. De acordo com o presidente da rede de hotéis Mabu, Wellington Estruquel, o parque terá brinquedos elaborados pelos mesmos fabricantes das atrações de Orlando. “Todos os brinquedos são importados dos Estados Unidos, da mesma empresa que fabrica para os parques aquáticos da Disney e da Universal”, conta.

>> Foz de Iguaçu investe em turismo termal

Apesar do parque ser anexo ao resort da rede, quem não estiver hospedado lá também poderá se divertir nas atrações.

O Blue Park faz parte de uma nova área do resort, mas será aberto a quem não estiver hospedado lá. Foto: Mabu/divulgação.

Atrações

O Blue Park será entregue por etapas, sendo a primeira delas em dezembro deste ano. Na verdade, a previsão era ter a primeira fase pronta só no final de 2019, mas o projeto foi antecipado já para o próximo verão.

No final deste ano, os visitantes poderão se divertir na praia artificial de 11 mil metros quadrados. A temperatura será de 36° o ano todo, com ondas de até 1,20m de altura e nove formas diferentes.

Além disso, outras três atrações também estarão prontas já neste verão: o Whizzard, que é um conjunto de quatro toboáguas onde os banhistas deslizam de bruços em tapetes, por mais de 100 metros de percurso em alta velocidade; o Flat Line, que é um tobogã com quase 70 metros de extensão e uma descida íngreme de 17 metros; e o rio lento para as famílias relaxarem com os filhos. As estruturas de entrada, bilheteria, ambulatório, lojas e lanchonetes também serão entregues nesta primeira etapa.

Já no inverno de 2019 serão entregues as atrações infantis Aquababy e Aquaplay, que são atrações para bebês e jovens de até 15 anos, respectivamente. É um conjunto de corredeiras e tobogãs com jatos de água adequados à idade dos pequenos.

Por fim, o restante do Blue Park terá a construção iniciada no começo de 2020 com a chegada e um Aqualoop, que é um tobogã mais radical com um extenso looping de 360 graus, entre outras atrações ainda a serem confirmadas. Depois, um novo brinquedo deve ser instalado no parque a cada dois anos.

>> Foz do Iguaçu terá Mercado Municipal com 70 boxes e praça de eventos

A expectativa é de que os ingressos custem em média R$ 160, com descontos para crianças e visitas na baixa temporada. Os hóspedes do hotel terão as entradas já inclusas nas diárias.

O Aqualoop começará a ser construído no início de 2020. Foto: Mabu/divulgação.

Um parque internacional

A escolha de Foz do Iguaçu para construir o Blue Park se deu não apenas por conta do resort já existente, mas pela proximidade das Cataratas e da tríplice fronteira. Wellington Estruquel explica que os argentinos e os paraguaios já somam 35% da ocupação do hotel. “A gente espera que o parque aquático atraia turistas em um raio de 250 quilômetros, tanto dos países vizinhos como de outros estados do país”, explica.

A expansão do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu prevista para começar ainda neste ano, a criação dos combos de ingressos para visitar as Cataratas e Itaipu, além de melhorias na infraestrutura da cidade, também contaram para a instalação do complexo. A construção começou em agosto do ano passado.

Além da inspiração nos parques aquáticos de Orlando, o Blue Park também foi projetado para ser um “meio termo entre o Beach Park, que é referência no Brasil, mas com uma área muito menor e brinquedos muito próximos, e o Hot Park de Caldas Novas, que é muito maior mas demanda um esforço maior de caminhada dos visitantes”, completa o presidente da rede Mabu.

A atual praia de água termal, construída em 2015, continuará em funcionamento, mas estará disponível apenas para os hóspedes do resort.

LEIA TAMBÉM:

PUBLICIDADE