PUBLICIDADE

Turismo

A vida em quatro rodas: veja o que fazer para viver na estrada

Conheça a história de pessoas que largaram tudo para viver viajando a bordo de um motorhome. Saiba o que você precisa para fazer o mesmo

O programador Dimas Gabriel e a estudante de engenharia ambiental Aline Costa investiram as economias para comprar o motorhome. (Foto: arquivo pessoal)O programador Dimas Gabriel e a estudante de engenharia ambiental Aline Costa investiram as economias para comprar o motorhome. (Foto: arquivo pessoal)

Viajar e garantir o conforto do lar, gastando pouco com hospedagem,  é o sonho de muita gente. Dispensar idas e vindas com malas grandes e reservas de hotéis pode ser uma vantagem quando se escolhe um modelo de viagem mais compacto, com motorhomes, trailers, vans ou até mesmo ônibus. Adaptados com tudo o que uma casa tem, de cozinha a chuveiro aquecido, eles são uma opção para quem quer explorar um pouco do mundo a cada dia. Para encarar a aventura, porém, é preciso ter disposição e capacidade de lidar bem com imprevistos. A sensação de liberdade vale a pena.

Casa sobre rodas

O programador Dimas Gabriel, 30, e a estudante de engenharia ambiental Aline Costa, 27, venderam o carro e investiram todas as economias para comprar um motorhome. Desde dezembro de 2015, o casal vive na casa sobre rodas e já passou por países como Argentina, Uruguai e Chile. Hoje, o Mercedes A365 dos anos 90, que funcionou como ônibus escolar por uma década, já rodou quase 50 mil quilômetros.

“Víamos muitos estrangeiros fazendo isso e achávamos legal. Como nossa rotina era muito agitada, decidimos fazer uma mudança radical”, conta Gabriel. Sem perspectivas de voltar para sua terra natal, o Rio Grande do Sul, o casal agora se aventura pelo interior do Brasil e depois planeja seguir pelas estradas da América Latina.

Para começar a vida de motorista viajante, Gabriel precisou ter duas semanas de aula, além de uma prova, para alterar a habilitação para a categoria D, de ônibus. Segundo ele, o processo, na época, custou R$ 1 mil. Depois disso, solicitou a PID, a permissão internacional de direção, ao Detran. “Até hoje, só apresentei a minha CNH nos países e não tive problema”, diz.

O motorhome do casal conta com placas de energia solar capazes de carregar geladeira e tevê. Nos dias nublados, eles usam um gerador de energia. Os destinos do casal estão na fanpage no Facebook “Quintal no Mundo”.

Gastos do casal

Gabriel e Aline gastam, em média, R$ 170 por dia para rodar cerca de 200 quilômetros, incluindo alimentação. “Mas isso depende muito do tipo do veículo. Como o nosso é grande e mais antigo, ele consome mais diesel. Mas embora veículos menores sejam mais econômicos, comprar um desses é bem mais caro que um antigo”, diz Gabriel.

Quando param em um camping, as diárias custam em torno de R$ 15 a R$ 25 por pessoa, aí esse valor diário diminui e eles acabam não gastando os R$ 170 com diesel e alimentação. “Quando encontramos lugares públicos onde podemos estacionar acabamos não pagando nada.” Eles contam que já ficaram em muitos lugares públicos, como estacionamentos e até mesmo em áreas de praia, sem nenhum problema.

Família pelo mundo

Há 10 meses, o casal Fernando Carvalho Duarte, de 38 anos, e Carla Damiani, 35, está vivendo em um motorhome com os dois filhos, Leonardo e Raphael, de 14 e 8 anos. A família mineira já passou por 11 países, partindo da Bolívia, e atualmente está no México.

familia motorhome
Família Damiani Duarte: ser minimalista é um dos segredos para conseguir viver nesse tipo de carro-casa. (Foto: arquivo pessoal)

 

O planejamento para mudar radicalmente de vida levou seis meses e incluiu trocar a caminhonete que tinham por um furgão, reformado para servir de casa móvel, vender móveis e eletrodomésticos e, por fim, alugar a casa para complementar a renda durante a viagem. Para não perder nenhum ano escolar, os filhos foram matriculados em uma escola norte-americana que permite o estudo à distância e todas as aventuras da família são registradas diariamente em vídeos publicados em seu canal do YouTube, “Van Com Tudo”.

Ser  minimalista é um dos segredos para conseguir viver nesse tipo de casa. “Estamos em uma cultura de muito consumismo e quando escolhemos passar um tempo na estrada percebemos que nossos valores estão bem invertidos. Descobrimos que muito do que achávamos imprescindível é algo desnecessário.”

Os Duarte gastam R$ 150 por dia, o que inclui a escola dos filhos (R$ 250 mensais para cada um). Seu principal gasto é com alimentação, seguido por combustível.

Segurança

Na hora de dormir, os viajantes podem estacionar o motorhome em campings ou em estacionamentos de postos de gasolina. Nestes casos, a vantagem é que fica fácil de abastecer a caixa d’água. A família Duarte também procura por locais próximos a postos policiais e bombeiros.

Aluguel

Alugar motor homes e trailers  não é uma prática muito comum no Brasil, mas algumas empresas oferecem o serviço, como a Vandão. A empresa, localizada em São Paulo, recebe clientes de diversas regiões do país e faz locação a partir de três diárias. De acordo com o website da locadora, os destinos estrangeiros permitidos são Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai. Os pacotes contam com toda a infraestrutura, incluindo seguro total do veículo e a documentação necessária. Além disso, não é preciso apresentar outra categoria da habilitação para dirigir os veículos da locadora.

Confira os documentos necessários para viajar assim:

Veículo – Certificado de registro e licenciamento de veículo (CRLV);

Identificação – Carteira de Identidade;

Saúde – Cartão internacional de vacinação com vacina de febre amarela válida – é gratuito e pode ser retirado em aeroportos internacionais;

Com animais – Cartão de vacinação do pet, se ele estiver a bordo – a vacina anti-rábica precisa estar em dia. Além disso, é necessário ter em mãos um atestado, emitido por um médico veterinário, de que o bichinho está apto para viajar.

Outros documentos – Passaporte (para países fora do Mercosul);

Internacional – Permissão Internacional de Direção (PID) – o requerimento é feito através do site do Detran e custa em média R$ 150. A PID é entregue pelos Correios em até 10 dias úteis;

Obrigatório – Seguro Carta Verde – o documento é obrigatório para motoristas que circulam nos países do Mercosul e pode ser feito no Banco do Brasil ou em algumas seguradoras;

Segurança- Seguro DPVAT – em alguns países, o seguro é adquirido na fronteira.

 

Leia também:

Bariloche vai oferecer desconto para brasileiros nas férias de julho

Programe suas férias de julho para o Brasil e exterior com até R$ 3 mil

Primeiro trem de luxo noturno da América Latina começa a operar

 

PUBLICIDADE