Assinaturas Classificados
Assinaturas

Publicidade

 / Ivonaldo Alexandre/ Gazeta do Povo Ivonaldo Alexandre/ Gazeta do Povo
Capa

Vida com vista para o mar

Conheça as histórias de quem largou tudo na cidade pelo sonho de morar na praia. No litoral, nem tudo é “sombra e água fresca”, mas a mudança significa uma rotina com mais saúde, qualidade de vida e realização pessoal

Publicado em 30/11/2008 |
  • Comentários

Quem nunca pensou em jogar tudo para o alto para morar na praia? Sinônimo de sol, férias, diversão e descanso, viver a poucos metros do mar é o sonho de consumo de muitos.

Nas próximas páginas, vamos conhecer algumas pessoas que realizaram esse sonho mudando-se para o litoral do Paraná. Eles abdicaram de bons empregos, do conforto e da comodidade dos centros urbanos em nome de uma vida mais simples, saudável e tranqüila.

Embora a distância entre as cidades litorâneas e Curitiba seja pequena – cerca de 100 quilômetros –, a rotina se transforma completamente. E para se adaptar ao novo “habitat”, é necessário fazer concessões e buscar uma nova forma de enxergar a vida.

Durante este processo, muitos descobrem diferentes aptidões, iniciam novas carreiras e passam a valorizar os pequenos prazeres. “Em Curitiba, a minha vida girava em torno do consumo. Trabalhava cada vez mais e gastava boa parte do meu salário com supérfluos.

Aqui não sinto mais essa pressão”, conta o administrador de sites Edson Fylyk, que mora há 11 anos em Matinhos.

A mudança serviu também para que ele se aproximasse mais da família. “Hoje, escolho a hora que eu quero trabalhar, o meu filho pode brincar na rua com tranqüilidade, respiramos um ar mais puro e aproveitarmos melhor o tempo.”

Problemas

Mas nem tudo são flores nas praias do Paraná. A estudante do curso de Fisioterapia da Universidade Federal do Paraná (UFPR Litoral), Mirieli Lourenço dos Santos, 22 anos, que veio de Cruzeiro do Oeste para estudar em Matinhos, reclama da falta de infra-estrutura das cidades litorâneas.

“Como tem chovido muito, as ruas ficam alagadas. Quem tem casa ou apartamento próximo à praia não percebe as péssimas condições da cidade, mas quem mora no Tabuleiro sofre com a saúde deficitária e com a falta de saneamento”, lembra, se referindo ao bairro da periferia da cidade.

A também estudante Hellaine Thozolino, 22 anos, diz que a falta de opções de lazer é o que mais a incomoda. “A maioria das lojas do centro de Matinhos só abre quando faz sol. Não tem cinema, livraria... Por isso, não temos muito o que fazer por aqui”, explica.
Para Edson Fylyk, a pior época do ano para se viver no litoral é durante a temporada.

“O que me incomoda não é o movimento, mas a falta de respeito do turista com o morador. A maioria dos que chegam aqui solta foguete, liga o som no último volume de madrugada e pensa que os moradores existem para serví-lo”, lamenta.

Já o comerciante Carlos Alberto Kuhner, que vive na Ilha do Mel há 17 anos, reclama justamente da época em que os turistas desaparecem. “É muito difícil manter-se no litoral durante o inverno. Por isso, é preciso trabalhar muito mais durante os meses do verão para garantir o resto do ano”, explica.

Apesar dos problemas, todos concordam que os benefícios de viver com os pés na areia faz tudo valer a pena. Ninguém pensa em voltar para a cidade. Ter de enfrentar o trânsito, a violência e a correria não está nos planos. “Adormecer ouvindo o barulho das ondas e poder ver o mar todas as manhãs quando abro a janela do meu quarto compensa qualquer coisa”, diz a estudante Rosane Contador de Mendonça.

      • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
      • QUEM MAIS COMENTOU
      Publicidade
      Publicidade
      «

      Onde e quando quiser

      Tenha a Gazeta do Povo a sua disposição com o Plano Completo de assinatura.

      Nele, você recebe o jornal em casa, tem acesso a todo conteúdo do site no computador, no smartphone e faz o download das edições da Gazeta no tablet. Tudo por apenas R$ 49,90 por mês no plano anual.

      SAIBA MAIS

      Passaporte para o digital

      Só o assinante Gazeta do Povo Digital tem acesso exclusivo ao conteúdo do site, sem nenhum custo adicional ou limite.

      Navegue com seu celular ou baixe todas as edições no tablet - um novo jeito de ler jornal onde você estiver.

      CLIQUE E FAÇA PARTE DESSE NOVO MUNDO

      »
      publicidade