Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
A área de trabalho da cooperativa está nos segmentos de soja, milho, trigo, feijão e café, além da produção de leite e suínos. | Brunno Covello/Gazeta do Povo
A área de trabalho da cooperativa está nos segmentos de soja, milho, trigo, feijão e café, além da produção de leite e suínos.| Foto: Brunno Covello/Gazeta do Povo

Nem a crise de 2016, que abalou praticamente todos os setores da economia – inclusive na agropecuária -, foi suficiente para atrapalhar um dos melhores desempenhos do cooperativismo paranaense. Seguindo a toada de outras cooperativas do estado, como a Coamo e a C.Vale, A Capal Cooperativa Agroindustrial, de Arapoti, registrou aumento de 32% em seu faturamento no ano de 2016. O faturamento bruto foi de R$ 1.298.451.000 e marca a conquista do primeiro bilhão faturado pela cooperativa.

“Foi um marco importante para a história da cooperativa, ultrapassar a barreira de um bilhão em faturamento, porém, acima de tudo, o importante é crescer de forma consistente e é isso que estamos fazendo, pois além do faturamento, também crescemos 35% nos resultados”, ressalta Adilson Roberto Fuga, superintendente da Capal.

O resultado líquido ficou em R$ 42 milhões. A Capal também teve evolução em seu quadro social, fechando o ano com 2.616 cooperados, 23% a mais do que em dezembro de 2015.

Ao todo, as sobras para os associados totalizaram R$ 14,7 milhões. “Se imaginarmos que o País vem atravessando uma grave crise econômica, com muitas empresas enfrentando grandes dificuldades, até mesmo de manter suas estruturas, a Capal demonstra solidez para continuar crescendo e se desenvolvendo”, complementa Adilson.

Com atuação no Paraná e em São Paulo, a Capal emprega 700 funcionários de forma direta. A área de trabalho está nos segmentos de soja, milho, trigo, feijão e café, além da produção de leite e suínos. Em 2016, a Cooperativa investiu R$ 29 milhões. Para os próximos dois anos, a expectativa é triplicar os investimentos, alcançando R$ 91 milhões.

Em Londrina, Integrada bate a meta e fatura R$ 2,7 bilhões

Na assembleia que será realizada nesta quarta-feira (22), a partir das 16h, a Cooperativa Integrada, de Londrina, vai apresentar o balanço de 2016 aos quase 9 mil associados.

No ano passado, a cooperativa atingiu a expectativa de faturamento de R$ 2,7 bilhões, crescimento de 17,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. Para 2017, a Integrada colocou como meta de faturamento de R$ 3,15 bilhões. Em sobras disponíveis para os cooperados, irão ser colocadas à disposição R$ 23,51 milhões, ante R$ 17,71 milhões em sobras disponibilizadas em 2015. Vale lembrar que a Cooperativa Integrada antecipou no final do ano passado R$ 8 milhões em sobras aos seus cooperados.

Para elevar o seu índice de crescimento, a Integrada ampliou sua capacidade de armazenagem de 921,3 mil toneladas de grãos em 2015 para 985,9 mil toneladas em 2016. A capacidade de secagem de grãos também saltou de 6.200 toneladas/hora em 2015 para 6.445 toneladas/hora em 2016. Em 2016, o total de investimentos da Integrada foi de R$ 55 milhões.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]