Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
A chef de cozinha Kika Marder em frente a azeites no Mercado Municipal | HEDESON ALVES/HEDESON ALVES
A chef de cozinha Kika Marder em frente a azeites no Mercado Municipal| Foto: HEDESON ALVES/HEDESON ALVES

Uma pesquisa realizada pela Associação Comercial do Paraná (ACP) mostra que os comerciantes esperam crescimento real de vendas de 1,2% em comparação com 2017. Já Associação Paulista de Supermercados (APAS) estima que os ovos de páscoa, especificamente, tenham crescimento de 5% nas vendas. Contudo, um segmento deve ter alta bem maior: o de azeite de oliva.

Segundo a Associação Brasileira de Produtores, Importadores e Comerciantes de Azeite de Oliveira (Oliva), a expectativa de crescimento de mercado nesta Páscoa está entre 25% e 30%, em comparação com o mesmo período do ano passado.

A entidade destaca que, tradicionalmente, acontece aumento da procura no período da Semana Santa, mas outros fatores favorecem o boom desse mercado.

“Esse crescimento se explica em parte pela recuperação econômica e o aumento do poder de compra do brasileiro, mas também reflete o quanto o azeite vem ganhando importância para o consumidor, tanto pelo seu sabor quanto pelos benefícios a saúde”, explica Rita Bassi, presidente da Oliva.

Crescimento em produção e exportações

Uma amostra por esse apetite é o volume de produção nacional, que deve atingir 150 mil litros em 2018, prevê o Instituto Brasileiro de Olivicultura (Ibraoliva). O número é 43% maior que a produção de 105 mil litros no país em 2017.

Outra prova disso é o volume de importações, que aumentou 52% no primeiro bimestre de 2018, em comparação com o mesmo período de 2017. Foram 8,2 mil toneladas do produto entrando no país, sendo Portugal o maior exportador (90%). Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]