i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
estratégia

Brasil importa carne e leite da Europa para impedir novos embargos

Ministro da Agricultura envia carta à União Europeia autorizando a importação de uma série de produtos

    • Genebra
    • Agência Estado
    • 20/07/2017 11:11
    Gado holandês, em Castro, no Paraná: Brasil deve importar carne europeia e outros produtos lácteos. | Albari Rosa/Gazeta do Povo
    Gado holandês, em Castro, no Paraná: Brasil deve importar carne europeia e outros produtos lácteos.| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

    Como possível estratégia para impedir novos embargos à carne brasileira e amenizar críticas, o Governo ofereceu aos países da União Europeia uma maior abertura do mercado agrícola.

    Há dez anos, os europeus vêm insistindo para que o Brasil aceite a importação de determinados produtos agrícolas. Uma lista preliminar apontava para o interesse em expandir bens como frutas, alguns cortes de carnes e, principalmente, produtos do setor lácteo.

    Num primeiro gesto, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, enviou uma carta ao comissário de Saúde da União Europeia, Vytenis Andriukatis, informando a decisão do Brasil de atualizar a lista de produtos de origem animal que o governo autorizaria a importação da Europa.

    O governo também facilitou as exigências sanitárias aos bens exportados pelos europeus ao Brasil. Até agora, para cada planta que quisesse vender ao mercado brasileiro, uma missão de fiscais tinha de ser enviada para a Europa para examinar as condições de produção e certificar a venda.

    Pela nova proposta, essa exigência será flexibilizada. Se uma das plantas daquele país já estiver habilitada, as demais indústrias do mesmo setor interessadas em vender ganhariam automaticamente o direito de entrar no mercado brasileiro, sem o envio de uma nova missão de fiscais brasileiros para a Europa. O novo exportador vai precisar apenas solicitar às autoridades europeias que o adicionem à listagem geral.

    Mercado

    No ano passado, a Europa vendeu para o mercado brasileiro US$ 1,7 bilhão em produtos agrícolas e alimentos. Mas Bruxelas quer expandir esse mercado. Ao fim de 2016, o Brasil tinha exportado cerca de US$ 14 bilhões em produtos agrícolas para a Europa. Neste ano, até junho, o Ministério da Agricultura informou que os europeus exportaram para o mercado brasileiro US$ 1,1 bilhão em alimentos.

    O diretor do Departamento Econômico do Itamaraty, Pedro Miguel da Costa e Silva, confirmou a iniciativa. “Enviamos na semana passada uma série de autorizações para facilitar a entrada de produtos agrícolas ao Brasil”, afirmou. “Isso tem um valor econômico impotante e atendemos a pedidos dos europeus justamente na área sanitária”, explicou. Costa e Silva, porém, garante que a autorização não tem relação direta com a crise da carne. “São coisas diferentes”, garantiu.

    À reportagem, a Comissão Europeia confirmou que recebeu a carta e que, neste momento, avalia seu conteúdo. Mas fontes em Bruxelas confirmaram que a iniciativa foi recebida de forma positiva e interpretada como um sinal de que o Brasil quer reciprocidade no mercado de carnes, hoje sob tensão depois da Operação Carne Fraca.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

      Receba Nossas Notícias

      Receba nossas newsletters

      Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

      Receba nossas notícias no celular

      WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

      Comentários [ 0 ]

      O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.