i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Só energia limpa

Brasil pode banir das ruas carros movidos a gasolina, diesel e gás 

Medida está em análise no Senado e segue o movimento que já acontece na Europa

    • Gazeta do Povo
    • 20/10/2018 10:16
    Segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o setor automotivo é responsável por 15% das emissões de gases do efeito estufa no mundo. | / Divulgação
    Segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o setor automotivo é responsável por 15% das emissões de gases do efeito estufa no mundo.| Foto: / Divulgação

    Na Europa Alemanha, França e Reino Unido já definiram que carros de passageiros com motor a combustão serão proibidos de trafegar pelos países a partir de 2040. E o Brasil dá o primeiro passo para engrossar essa lista.

    Foi aprovado na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado um Projeto de Lei que pretende tirar das ruas no futuro veículos com motorização convencional.

    O banimento dos veículos movidos a gasolina, diesel ou gás ocorreria de forma gradativa até a total proibição em 2060. 

    >> Caça supersônico da FAB à venda custa menos que um carro popular

    O projeto começaria a ser implantado em 2030 com uma limitação de 90% do total de emplacamentos de veículos zero-quilômetro para os que utilizam esses combustíveis.

    Então o índice cairia para 70% em 2040, 10% em 2050 até a proibição total em 2060. Seriam incluídos na lei automóveis de passeio ou veículos comerciais, pesados ou leves movidos por combustíveis fósseis (gasolina, diesel, gás natural e afins), e também híbridos ou dotados de motor flex.

    Automóveis 100% elétricos e movidos apenas a biocombustível, como o etanol, continuariam sendo permitidos. 

    >> As estradas mais legais do mundo para conhecer de carro

    O proposta, de autoria do senador Telmário Mota (PTB-RR), referencia a movimentação similar na Europa. Para ele num país onde a frota de veículos cresceu de 32 milhões para 93 milhões no período de 2001 a 2016, é necessária uma redução de combustíveis e o incentivo ao uso de energia limpa. 

    Devemos lembrar que o Brasil possui uma produção de eletricidade relativamente limpa e a troca dos veículos movidos a combustíveis fósseis por veículos elétricos, nesse contexto, será ambientalmente vantajosa.

    Telmário Mota (PTB-RR), senador responsável pelo Projeto de Lei.

    O relator do texto, senador Cristovam Buarque (PPS-DF) concorda com o projeto. "Teria colocado prazo mais ainda mais curto, [de proibição], para 2030".

    Em seu relatório, citou um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) que aponta o setor automotivo como responsável por 15% das emissões de gases do efeito estufa no mundo.

    >> Dez opções de carros com sete lugares, novos e usados

    A proposta agora será analisada pela Comissão de Meio Ambiente para decisão terminativa. O que significa que se for aprovado será encaminhado para a Câmara dos Deputados para apreciação, sem necessidade de passar por votação em plenário.

    O Senado está promovendo uma consulta pública para saber a opinião da população. Até o momento, resultado parcial é favorável ao fim dos veículos à combustão.

    SIGA O AUTO DA GAZETA NO INSTAGRAM
    Visualizar esta foto no Instagram.

    GRUPO FCA ESTÁ TRABALHANDO EM NOVA PICAPE⠀ ⠀ A Fiat já trabalha num modelo que será montado sobre chassi, o que significa que não será uma derivação da Toro (feita na estrutura monobloco).⠀ ⠀ A nova picape terá o porte da Toyota Hilux, Chevrolet S10, Ford Ranger e Volkswagen Amarok, modelos que dominam o mercado brasileiro atualmente.⠀ ⠀ A futura picape média será vendida pela Ram, marca de veículos de carga do grupo, como uma espécie de sucessora à famosa Dakota (foto), que deixou de ser fabricada em 2011 nos EUA.⠀ ⠀ #cargram #carros #cars #gazetadopovo #instacar #veículo #fca #fiat #ram #dakota #picape ⠀ ⠀ 📷: @dodgeofficial⠀

    Uma publicação compartilhada por Automóveis Gazeta do Povo (@autogazetadopovo) em

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.