Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Foto: Polícia Civil/ Divulgação
Foto: Polícia Civil/ Divulgação| Foto:

Nem todas as Ferraris e Lamborghinis que circulam pelo Brasil foram fabricadas na Itália. É possível que você já tenha cruzado com alguma unidade feita em Itajaí (SC). E é claro, sem o selo de originalidade das fabricantes.

Uma produção clandestina dos superesportivos foi descoberta pela Polícia Civil nesta segunda-feira (15) na cidade catarinense.

No local, no bairro Itaipava, foram apreendidas oito réplicas que estavam sendo montadas, além de chassis, moldes, ferramentas, fibras e peças falsificadas, como bancos e os emblemas das marcas.

>> Empresários negam falsificações de Ferrari e Lamborghini: “eram réplicas”

>> Polícia investiga funcionários públicos em caso de falsificação de carros de luxo

Os veículos eram construídos sob encomenda e a venda realizada até pelas redes sociais para todo o país. As falsificações custavam em média 8% do valor dos modelos originais. Enquanto os legítimos têm etiquetas entre R$ 1,5 milhão e R$ 3 milhões, as réplicas valiam de R$ 180 mil a R$ 250 mil.

No momento do flagra policial, boa parte das carcaças era do Lamborghini Huracán, que no Brasil é vendido em três versões, com valores de R$ 2,3 milhões a R$ 3,3 milhões.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Angelo Fragelli, a mecânica tinha origem em carros velhos. Numa das cópias encontradas no galpão era instalado o motor de um Chevrolet Omega.

>> Carro esportivo apreendido vira viatura policial em praia de SC

>> Série especial deixa Chevrolet Camaro mais potente que Bugatti

Os donos da fabricação caseira são pai e filho, que serão indiciados por crime contra a propriedade industrial, considerado um delito de menor potencial ofensivo.

Por isso após serem ouvidos pela polícia, juntamente com um funcionário, eles foram liberados. As identidades não foram reveladas.

Os clientes também serão investigados e caso constatado que tinham ciência de que o produto era alvo de ilegalidade serão indiciados pelo crime de receptação.

A denúncia à Polícia Civil foi feita pelas próprias marcas Ferrari e Lamborghini, por meio de seu representante em São Paulo. As empresas têm equipes que atuam em diversos países para descobrir operações ilegais. A investigação já ocorria havia dois meses.

SIGA O AUTO DA GAZETA NO INSTAGRAM

Ver essa foto no Instagram

SERIE 3 CONVERSA COM MOTORISTA A nova geração do Serie 3 que estreia no Brasil é repleta de tecnologia, com recurso herdados do irmão maior Serie 7. Destaque para o assistente pessoal inteligente, que permite ao motorista conversar com o carro e pedir alguns comandos como sintonizar rádio, resfriar os esquentar a temperatura do ar-condicionado, informar o clima em diferentes localidades ou acionar o GPS para levar ao destino pretendido. O sedã premium também oferece um sistema que registra os últimos 50 metros percorridos pelo carro para voltar de marcha ré automaticamente, sem a intervenção do condutor. É ideal para manobras em garagem e ruas apertadas. A sétima geração estará disponível no fim de março em duas versões: a 330i Sport, por R$ 219.950, e a 330i M Sport, a R$ 269.950. O modelo substitui o 328i. Além do visual mais agressivo, cheia de vincos. As rodas são de aro 18 (Sport) e 19 (M Sport). O motor é o 2.0 turbo, de quatro cilindros, que rende 258 cv (13 cv a mais que antecessor) e 40,8 kgfm de torque. O zero a 100 km/h ocorre em 5,8 s e a velocidade máxima alcança 250m km/h. As primeiras 1 mil unidades vêm da Alemanha e a partir de julho ele começa a ser produzido em Araquari (SC). #bmwserie3 #bmw330i #bmwbrasil #novageração #seda #esportiva #carros #automoveis #cargram #instacar #gazetadopovo #velocitta #turbo 🎥#renytrovao

Uma publicação compartilhada por Automóveis Gazeta do Povo (@autogazetadopovo) em

3 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]