Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
A bandeira quadriculada em branco e pink é a marca registrada do Ford Coupé Cinco Janelas. O desenho recebeu um efeito de movimento que deixou o carro ainda mais personalizado | Antônio More/ Gazeta do Povo
A bandeira quadriculada em branco e pink é a marca registrada do Ford Coupé Cinco Janelas. O desenho recebeu um efeito de movimento que deixou o carro ainda mais personalizado| Foto: Antônio More/ Gazeta do Povo

Dentre os 200 veículos dos estilos hot rod, customs e muscle cars que participam neste fim de semana do 3.º Encontro Brasil Curitiba Roadsters de Hot Rods, um deles ganhou um atributo a mais para atrair os olhares de quem circula pelo Pavilhão de Exposições do Par­­que Barigui: o de ser o "carro mais hot" do evento, segundo um concurso virtual promovido pela Gazeta do Povo, em parceria com a P1 MKT/COM, organizadora da exposição, entre os dias 24 de outubro e 7 de novembro. O Ford Coupé Cinco Janelas, ano 1930, recebeu 725 votos de um total de 2.379, mais que o dobro do segundo colocado, um Ford Tudor, ano 1931, conhecido no meio roadster como "Old Dog", que obteve 249 cliques. Em terceiro ficou um outro Tudor, ano 1931, batizado de "Pinguim", com 169 votos.

O hot preferido para 30% dos internautas/eleitores pertence, desde 2009, a Sthepanie Villela Loet­ter, 21 anos, uma estudante de Curi­­tiba que cresceu no universo dos clássicos customizados. "O com­­bustível corre nas veias dela", resume o pai, Gilmar Loetter, um colecionador desse tipo de veículo, que integra o Clube Curitiba Roadsters, idealizador do encontro nacional na capital paranaense e considerado o maior do gênero no Brasil.

E foi do pai que Stephanie herdou o Ford Coupé Cinco Janelas, aliás, uma tradição no segmento. Ela conta que quando ganhou o Ford o desejo era trocar a pintura preta pela pink, sua cor favorita. "Meu pai não gostou da ideia, achava que ficaria muito chamativa", lembra. Acabou mantendo o preto da carroceria, mas deu um jeito de incluir o pink. A tonalidade aparece no quadriculado da bandeira que se "movimenta" do topo do capô a lateral do veículo. Desenho que o namorado bolou e o artista curitibano Benê Costa, do Studio BSC, se encarregou de estilizar na carroceria.

Mas não foi só por fora que o Ford recebeu o toque mais feminino de Stephanie. No interior, a pintura flame que "incendiava" o pai­­nel deu lugar à cor preta. "Pretendo em breve mudar também a manopla do câmbio", adianta.

O projeto de customização do Ford Cinco Janelas foi elaborado pela Bonneville Custom Garage, de Curitiba. Entre as modificações feitas no sedã norte-americano estão o rebaixamento do teto em 10 centímetros, a inclusão de grade em inox do Ford 1932, rodas Ame­­rican Racing de 15 polegadas e portas com acionamento elétrico sem trincos externos – os vidros também são elétricos.

O interior é bastante sóbrio. O preto que predomina em toda a cabine é quebrado apenas pelo painel de instrumentos em alumínio com borda pink e o tom cromado na manopla, pedaleira e conjunto da direção. Os bancos individuais em couro trazem a inscrição V8, numa referência ao "coração" oito cilindros dispostos em "V" que pulsa sob o capô. Apesar de toda a modernidade implementada, o "banco da sogra" na parte traseira – uma segunda fileira de assento, só que do lado externo –, remete à nostalgia dos clássicos modelos da primeira metade do século passado. O acionamento deste compartimento é elétrico.

Como todo street hot (categoria de hot na qual se encaixa o Ford de Stephanie), a parte mecânica também recebeu uma preparação es­­pecial, com alterações do eixo rígido, rebaixado em 10 cm, melhorias na suspensão (four link) e freios dianteiros emprestados do Chevrolet Camaro.

O motor V8 302, tirado de um Mustang, foi apimentado com carburador quadrijet 750 CFM Edel­brock, coletor de admissão Cobra 67, tampas de válvulas Billet Spe­cialities e distribuidor eletrônico MSD. O propulsor é acoplado a um câmbio automático C4, utilizado por modelos como Ford Landau e Maverick. O resultado é um bloco que despeja 300 hp de potência. Um lança-labaredas, localizado na saída do escape, aumenta a mistura "explosiva" do carro.

No entanto, um hot nunca está completo se não tiver um apelido. Stephanie ainda procura um nome para o seu Ford 1930. "Aceito sugestões", avisa. Por enquanto, nos encontros de hot e nos passeios que realiza nos fins de semana pelas ruas de Curitiba, ele é chamado de "o carro da menininha", diz a proprietária.

Serviço:

3º Encontro Brasil Curitiba Roadsters de Hot Rods.

Horário: sábado, das 10 às 21 horas, e domingo, das 10 às 20 horas. Ingresso: R$ 10 diário ou R$ 15 (credencial válida para os dois dias).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]