|
| Foto:

Você vai ter um SUV. Você só não sabe qual. A avalanche de utilitários no Brasil está (muito) longe de acabar. Aqui, antecipamos modelos de todos os tamanhos e preços que chegarão em breve. 

VOLKSWAGEN TAREK

Para ocupar o gap entre o compacto T-Cross e o grande Tiguan AllSpaceVolkswagen terá mais um SUV. O europeu T-Roc está descartado. O modelo que ocupará essa lacuna é o Tarek ou Tharu, como a marca o chama internamente. 

Tarek é o mesmo nome usado pelo primeiro protótipo da marca a competir no Rally Dakar. Será produzido na Argentina em meados de 2020, com a plataforma MQB, e irá competir com o Jeep Compass, com tamanho e construção semelhante ao do Skoda Karoq.

>>Efeito turbo: os carros mais potentes com motor até 1.6

VOLKSWAGEN TIGUAN ALLSPACE

O pontapé inicial dos novos SUVs da VW no Brasil será dado pela versão alongada do Tiguan. O modelo usa a plataforma MQB com 2,79 metros de entre-eixos – 11 cm a mais que a nova geração do Tiguan, que também poderá chegar no futuro.

Com o sobrenome AllSpace, o utilitário de sete lugares vem importado do México no 1.º trimestre de 2018. A tarefa de mover o SUV deve ficar com o motor 2.0 TSI, de 220 cv, aliado ao câmbio automatizado DSG. A tração é integral.

VOLKSWAGEN T-CROSS 

Em 2018, provavelmente no último trimestre, a VW vai entrar (tardiamente) no segmento de SUVs compactos para brigar com Hyundai Creta, Honda HR-VJeep ReneageNissan Kicks. O representante será o novato T-Cross, na faixa entre R$ 70 mil e R$ 100 mil.

O jipinho usará a base do recém-lançado Polo, a MQB-A0. Não é difícil imaginar que os motores 1.6 MSI, de 120 cv, e 1.0 TSI, de 128 cv, também sejam utilizados pelo modelo. 

>>De novo Gol a Polo GTS: Volks revela todos os lançamentos até 2020

A produção ficará a cargo da fábrica em São José dos Pinhais (PR). As linhas serão inspiradas no conceito T-Cross Breeze, apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo de 2016, com dimensões perto dos 4,20 m de comprimento e algo em torno de 2,60 m de entre-eixos.

VOLKSWAGEN ATLAS

Vendido nos Estados Unidos e posicionado entre o Tiguan AllSpace e o Touareg, o SUV também é feito sobre a arquitetura MQB e tem quase 5 m de comprimento, além da capacidade para levar sete passageiros. 

Virá importado dos EUA. A dúvida é qual a motorização escolhida para cá. Pode ser o 2.0 turbo de 240 cv ou o 3.6 V6 de 280 cv. 

AUDI Q2 

O concorrente direto do Mercedes-Benz GLA e do futuro BMW X2 está no radar da Audi do Brasil (e, dependendo da aceitação, ser fabricado em São José dos Pinhais, Paraná, onde a Audi compartilha a linha de montagem com a Volkswagen). 

SUV compacto é construído sobre a mesma plataforma do hatch, a versátil MQB, e usa a mesma base mecânica do A3. Com seus 4,19 m de comprimento, o Q2 é 5 mm mais curto que o A3 e mantém os mesmos 2,60 m de entre-eixos. 

Quem empurra o Q2 é o motor 1.4 TFSI de 150 cv associado a transmissão S-Tronic, de duas embreagens e sete marchas. Por aqui, o utilitário deve beirar os R$ 130 mil.

FIAT TORO SUV

A Fiat não confirma, mas já trabalha em uma variante SUV da Toro – para substituir a finada Freemont. Ela será produzida junto da picape em Goiana (PE). A carroceria passará por quase nenhuma mudança na dianteira, a não ser uma possível inserção de apliques cromados para amplificar a sensação de requinte do SUV

Da coluna B para trás, ele deve trazer portas iguais às da picape, mas ganhará uma coluna C de caimento suave. As lanternas também serão as mesmas que estão hoje na Toro, o que facilita a produção em escala e reduz os custos de produção e desenvolvimento. 

O desenho da tampa traseira trará um simples degrau de vinco único e, logo abaixo, o logotipo da Fiat. Os motores 1.8, 2.4 e até o 2.0 diesel serão compartilhados.

RENAULT DUSTER

A segunda reestilização do Duster apareceu na Alemanha pela mãos da romena Dacia. O remodelado SUV ganha aparência inflada com mais alguns milímetros no para-lamas e capô alto. 

Os para-choques com uma espécie de proteção lembram os veículos 4x4 que estão prontos para fazer estrepolias off road. Os faróis novos de alguma maneira ainda lembram o antecessor. 

>>Os 10 carros mais velhos ainda à venda no Brasil

Já as lanternas parecem um ‘Ctrl C + Ctrl V’ do Jeep Renegade. O perfil terá rodas de 17” nas versões mais caras. O utilitário renovado pode aparecer no segundo semestre de 2018 no Brasil. Mas não se espante se o robusto utilitário ficar para 2019.

BMW X2

O conceito do X2 foi exibido no Salão de São Paulo do ano passado. Na ocasião a BMW confirmou que o SUV seria vendido no Brasil – com possibilidade de ser feito em Araquari (Santa Catarina). De lá para cá (quase) nada mudou. 

Quem esperava que a versão final do X2 aparecesse no Salão de Frankfurt se frustrou. Para não desviar as atenções do recém-lançado X3, a BMW não levou seu SUV para a Alemanha. 

BMW X3

A filial brasileira da BMW não perdeu tempo e já cravou a chegada da nova geração durante a estreia mundial no Salão de Frankfurt (Alemanha). O X3 desembarca entre março/abril do ano que vem. O SUV é feito sobre a plataforma modular CLAR, já usada no Série 5 e Série 7. 

Os benefícios aparecem nas dimensões, como entre-eixos 5 cm maior e na redução de peso – 100 kg frente ao antecessor. A BMW ainda não decidiu quais versões serão importadas ao Brasil.

Lá fora, a xDrive20i e xDrive30i usam o quatro cilindros 2.0 turbo com 184 e 262 cv, respectivamente. A novidade é a versão esportiva M40i, com o seis cilindros 3.0 turbo de 360 cv – todas com tração integral e câmbio automático de oito marchas.

HONDA CR-V

A quinta geração do CR-V estará rodando nas ruas brasileiras no primeiro semestre de 2018. O desenho repaginado e em linha com a atual identidade da Honda se junta ao 1.5 turbo sob o capô – o mesmo que estreou na versão Touring do Civic por aqui. Porém, em vez de 173 cv do sedã, o motor do SUV é calibrado para gerar 192 cv. 

A transmissão é automática do tipo CVT. O CR-V também está maior 4 cm na distância entre-eixos e o comprimento chega a 4,66 m. Por dentro, a configuração do painel de instrumentos é igual à encontrada no Civic.

RENAULT KOLEOS

Problemas na homologação fizeram a Renault adiar a estreia do Koleos em solo brasileiro. Previsto para esse ano, o SUV vai ficar para 2018. A missão do utilitário é dar uma sofisticada na gama da Renault, que cresceu no país graças aos seus carros romenos da Dacia (Sandero, Logan e Duster). 

Feito na Coreia do Sul, o Koleos vai disputar espaço com Hyundai New TucsonKia SportageHonda CR-V. Ou seja, espere um valor na casa dos R$ 150 mil. O motor é o quatro cilindros 2.5 de 170 cv. A lista de equipamentos é generosa: seis airbags, alerta de ponto cego, central multimídia com tela de 8,7”, park assist, teto solar panorâmico e som Premium.

CHERY TIGGO2 

O início da produção do Tiggo2 na planta de Jacareí (SP) estava previsto para outubro passado, com o seu lançamento ainda neste ano. Mas a greve na fábrica e a negociação com a CAOA, que comprou a operação da marca no país, adiaram a chegada do susbtituto do Tiggo.

O lançamento do crossover com jeito de SUV ficou para 2018, ainda sem data de estreia definida. O modelo vai girar na faixa dos R$ 70 mil para brigar com Honda WR-VJAC T40 e incomodar as versões mais baratas de Renault DusterFord EcoSport. O motor é o 1.5 flex de 113 cv, com câmbio manual.

CITROËN C4 CACTUS

SUV compacto deve, finalmente, começar a ser vendido no Brasil em março de 2018 já com produção em Porto Real (RJ). Virá equipado, em um primeiro momento, apenas com o motor 1.6 THP flex, capaz de gerar 173 cv e 24,5 kgfm de torque. 

Lançado na Europa na linha 2015, o C4 Cactus já se prepara para uma reestilização de meia-vida (ainda não apresentada oficialmente), e o carro brasileiro também virá com esses detalhes renovados. 

KIA STONIC

Projeto compartilhado com o Hyundai Kona, o Stonic é o utilitário compacto da Kia. A marca, inclusive, vai vender o carro no Brasil – só não sabe quando. Apostamos em algum momento do ano que vem, já que a sobretaxação de 30 pontos percentuais sobre carros importados vai acabar junto com 2017. 

Kia foi uma das marcas mais prejudicadas pelo super IPI e limite de cota. O SUV de 4,14 m deriva da plataforma do Rio (que também virá ao Brasil). O Stonic quer ser uma alternativa a Ford EcoSportRenault Duster. O motor deve ser o conhecido 1.6 de 128 cv. Lá fora, o carro usa o novo 1.0 três cilindros turbo de 120 cv.

KIA KX3

Antes da confirmação do Stonic, a marca coreana prometeu importar do México o KX3. O modelo vem para encarar versões mais sofisticadas e com etiquetas de preços mais avantajadas do segmento de SUVs compactos.]

As dimensões se aproximam do Honda HR-V e o desenho, do Spotage vendido atualmente por aqui. O trem de força pode ser composto pelo motor 1.6 de 128 cv e transmissão automático de seis marchas.

VOLVO XC40

Volvo é mais uma a entrar no ramo dos SUVs compactos premium. Seu representante, o inédito XC40 estreia a Compact Modular Arquitecture (CMA), que será a base de todos os futuros veículos da série 40, incluindo carros totalmente eletrificados. 

Em termos de design, o SUV traz a identidade dos irmãos maiores, XC60XC90, com os faróis em led no estilo martelo de Thor. A traseira, porém, tem personalidade. Apesar das tradicionais lanternas verticais, elas têm a disposição diferente dos outros utilitários. 

XC40 começou a ser produzido na Bélgica e o debute no Brasil está previsto para março de 2018. A motorização escolhida deve ser a T5 ou o 2.0 turbo de 245 cv. 

TOYOTA C-HR

Parece que o livro sobre o utilitário compacto vai ganhar mais alguns capítulos. O modelo que estava previsto para aparecer no Brasil em 2018 importado da Turquia deverá ficar para 2019. A demora do C-HR vir ao país vai desde a demanda mundial até o processo de homologação por aqui – e, claro, fator financeiro também.

Feito na moderna plataforma TNGA, o Toyota virá primeiro na versão híbrida – mesmo conjunto mecânico do Prius. A explicação da motorização é para a conta fechar, já que carros ecologicamente corretos pagam menos impostos de importação e ICM. 

Em 2019, há a possibilidade de o modelo se tornar nacional, já que o queridinho Corolla terá a base TNGA. O C-HR impressiona pelo design que deixa todo o conservadorismo estético inerente a marca japonesa para escanteio. O desenho é talhado e agressivo. 

JAGUAR E-PACE 

Parece que a Jaguar foi picada pelo mosquito dos SUVs. Depois do F-Pace, a marca prepara o lançamento de seu segundo utilitário no Brasil. O E-Pace vai brigar no segmento de SUVs compactos premium e fazer com que compradores de BMW, VolvoAudiMercedes-Benz mudem de ideia. 

O E-Pace desembarca no primeiro semestre de 2018 nas configurações standard (S e SE), R-Dynamic (S, SE e HSE) e First Edition. 

A motorização é sempre a 2.0 turbo a gasolina com potência de 240 cv ou 300 cv – esta última a mesma do Jaguar F-Type.

PORSCHE CAYENNE

Mostrado ao mundo pela primeira vez durante o Salão de Frankfurt, a terceira geração do Cayenne vai demorar um pouco a desembarcar no Brasil. O best-seller da marca chega apenas no segundo semestre de 2018. 

O desenho da dianteira lembra ainda o antecessor, mas a traseira segue a linha do Panamera Sport Turismo. Inicialmente, o SUV virá em três versões: a primeira tem motor seis cilindros 3.0 turbo de 340 cv. O Cayenne S usa o V6 2.0 biturbo encontrado nos Audi RS4 AvantRS5 Coupé: são 440 cv. 

A configuração Turbo traz um V8 4.0 biturbo de 550, que catapulta o utilitário aos 100 km/h em 4,1 s. As versões têm tração integral e câmbio automático de oito marchas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]