Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
O procurador federal aposentado Sérgio Bartachevits é o responsável pela recuperação da viatura do Exército | Fotos: Walter Alves/ Gazeta do Povo
O procurador federal aposentado Sérgio Bartachevits é o responsável pela recuperação da viatura do Exército| Foto: Fotos: Walter Alves/ Gazeta do Povo
  • O trabalho de restauração durou mais de um ano e meio e a parte da pintura foi a mais difícil

Carro de colecionador é uma atração à parte. Quando passa pela rua é inevitável que as pessoas não torçam o pescoço e comentem sobre a conservação do veículo. Dentre essa galeria de relíquias sobre quatro rodas que trafegam por Curitiba, a ambulância militar VTE (Viatura de Transporte Especializada), modelo F81, tem obtido destaque. O responsável pela restauração da relíquia é o procurador federal aposentado Sérgio Bartachevits. Segundo ele, existem apenas quatro modelos preservados no país, sendo o dele o único no Paraná – os outros estão em São Paulo, San­­ta Catarina e Rio Grande do Sul.

A paixão por carros militares começou ainda quando criança. Bartachevits cresceu escutando as histórias do avô Frederico Dal­mann que lutou pela Alemanha na 1° Guerra Mundial e do tio Curt Dalmann que defendeu o Brasil na 2° Guerra Mundial. "Não cheguei a servir o Exército. Mas, tinha uma grande ligação com meu avô e meu tio, e ficava escutando as histórias. Foi aí que surgiu a paixão."

O projeto de ter mais um veículo militar – o procurador já possui um jipe – começou há três anos, durante viagem ao Rio Gran­­de do Sul. Bartachevits foi visitar um amigo colecionador de viaturas militares e se deparou com a ambulância, na época em estado precário e, por coincidência, à venda. O procurador não teve dúvida e arrematou o veículo por R$ 10,5 mil. "O estado do carro era de verdadeira miséria, mas a estrutura estava boa. Vi que a ambulância ficaria perfeita", diz.

O veículo ficou um ano parado em um estacionamento enquanto o procurador construía a oficina. Depois do local pronto, ao lado do especialista em funilaria e pintura automotiva Sandro Stremel, Bar­­tachevits começou o trabalho de manutenção que levaria mais um ano e meio e in­­vestimento de R$ 15 mil.

"A pintura foi o mais difícil e o que deu mais trabalho. Ver o resultado é gratificante. Agora está pronta para mais 30 anos", afirma, orgulhoso. "Já ofereceram até uma Hilux 2006 em troca. A ambulância é para uso pes­soal, não está a venda", garante.

Hoje, o proprietário realiza pou­­­­cos passeios pelas ruas da cidade. Na maior parte do tempo, a ambulância fica guardada, inclusive por questão de segurança pública, já que não deixa de ser um veículo militar autêntico com acessórios, capota e emblemas idênticos aos originais. Até mesmo a sirene e as quatro macas médicas na parte traseira do veículo foram restauradas. "Tem que ter limite para usar, pois o po­­vo não sabe distinguir e pode criar confusão", explica.

Os admiradores de carros antigos poderão conferir o trabalho em eventos do segmento, promete o proprietário. "Sempre que tiver oportunidade eu vou levar para exposição e eventos. É um veículo que precisa ser mostrado."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]