i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
fim da linha?

Tata Nano, “carro mais barato do mundo”, deve sair de produção após 10 anos

Grande aposta da Tata Motors, Nano não resistiu ao mercado competitivo, às baixas vendas e à má reputação por conta de incêndios e baixa qualidade

  • PorGazeta do Povo
  • 12/07/2018 16:23
 |
| Foto:

Tata Nano chegou às lojas da Índia em 2009 com a promessa de ser o carro mais barato do mundo. À época, mais de 200 mil pessoas compraram unidades na pré-venda. Porém, quase dez anos e muitos problemas de segurança e qualidade depois, a história do modelo parece estar chegando ao fim.  

O fim da produção ainda não foi anunciado oficialmente pela empresa, mas de acordo com um levantamento feito pela agência Bloomberg, é só uma questão de tempo: em junho deste ano, apenas uma unidade foi fabricada, ante 275 no mesmo período do ano passado. Os emplacamentos do mês também foram baixíssimos: somente três - e nenhum exemplar foi exportado. 

>> T-Cross: teste na Europa revela características internas do SUV da VW

Inicialmente, a meta da Tata Motors era de vender 250 mil exemplares por ano, mas o melhor período de vendas do Nano foi em 2011, quando 74.527 unidades foram emplacadas. Em 2016 e 2017 o número chegou apenas a 7.591 exemplares. 

Além disso, fontes internas afirmaram à agência que não há condições de manter a produção para além de 2019. A única saída seria colocar novos investimentos no modelo.

O compacto foi projetado para ser o primeiro carro das famílias indianas. O motor do Nano rendia 35 cv e 4,9 kgfm. O carro custava 100 mil rupias, cerca de R$5 mil. Contudo, o baixo custo tinha um preço: o modelo não tinha ar-condicionado e alguns equipamentos de segurança, como airbags e freios ABS. No porta-malas, o espaço era suficiente apenas para uma maleta.

Aos poucos, surgiram também os casos de incêndio e baixo desempenho em testes de colisão, que prejudicaram a imagem do modelo e frustraram os planos de levá-lo para outros mercados, como o americano e o europeu.

Em 2015 a montadora tentou reverter a situação, produzindo uma versão reestilizada com melhorias - mas ainda sem airbags e freios ABS. Batizada de GenX Nano vinha com direção elétrica, computador de bordo e sistema de som com bluetooth. O modelo recebeu pequenos retoques e vinha em opções com câmbio automático de cinco marchas ou manual de 4 marchas. O consumo prometido era de  21,9 km/l.

Para o futuro, a montadora tinha planos para produzir uma versão elétrica do carro, mas, pelo menos por enquanto, parece que eles terão que ficar na gaveta.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.