Logotipo Futebol 2019
Blog André Pugliesi

Náutico volta ao caldeirão dos Aflitos. Tchau, arena fria de Copa!

Foto de 2018 do Estádio dos Aflitos. Albari Rosa/Gazeta do Povo
Foto de 2018 do Estádio dos Aflitos. Albari Rosa/Gazeta do Povo

O Náutico reabriu o Estádio dos Aflitos no último domingo (15/12). Retorno do Timbu ao velho lar, lacrado desde que o clube embarcou na aventura da Arena Pernambuco, o estádio de Recife para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Sob toda sorte de promessas no melhor estilo soccer business, o alvirrubro deixou o velho e trepidante caldeirãozinho, localizado em área nobre da capital, e passou a ser mandante a mais de 20 quilômetros dali, já em outro município, São Lourenço da Mata.

LEIA MAIS

Henrique mostra que não é só futebol, nem Athletico é só soccer business

Evidentemente, não funcionou. O público da equipe minguou, o clube perdeu o prumo e atualmente se encontra na Série C do Brasileirão. Foram cinco anos sem o batizado Eládio Barros de Carvalho, que recebeu mais de 17 mil pessoas no retorno.

Não tenho conhecimento suficiente de futebol pernambucano para tratar com profundidade das perdas e ganhos do Náutico longe de casa, embora saiba dos problemas que enfrentou. O fato é que eu nunca entendi porque o Timbu abandonou o seu bunker.

Impressão clara por causa de uma chance que tive de conhecer o Aflitos, em 2008. O Atlético brigava contra o rebaixamento e foi pegar o Timbu, também ameaçado pela degola, fora de casa. Eu e o fotógrafo Albari Rosa fomos deslocados ao Nordeste para cobrir o jogo. A foto acima é da empreitada.

LEIA MAIS

Ao enterrar o Atlético, Petraglia mostrou que é mesmo homem do seu tempo

Melhor ou pior? Conheça projeto do novo Athletico rejeitado por Petraglia

Mesmo há 10 anos eu já tinha uma rodagem considerável de bancada e, confesso, fiquei impressionado. Primeiro, a localização excelente. Depois, as arquibancadas bastante próximas ao gramado. E, especialmente, poucas vezes vi uma torcida exercer tanta pressão.

Ao final dos 90 minutos, o Náutico virou sobre o Furacão, por 2 a 1. No embalo de uma galera, considerando o maçarico ligado que é o calor de Recife, quase que literalmente em chamas no concreto armado. Vitória na bola e no bafo do povo.

Sim, eu sei da necessidade de modernização, de viabilizar novas fontes de renda, de toda a conversa soccer business. Além disso, sei que o Náutico também tinha públicos ruins no Aflitos. Agora, repito, nunca entendi como o clube trocou tamanho trunfo local para entrar na onda das arenas.

Já sobre a Arena Pernambuco, terá o destino merecido, o da obsolescência, ao custo de quase R$ 800 milhões. Nada surpreendente para um estádio construído em área distante de tudo e numa cidade em que os três times principais já tinha suas casas.

Que a volta aos Aflitos seja excelente!

LEIA MAIS

Na Colômbia, diretoria do Atlético viu o que é realmente “torcida humana”

Com ‘torcida humana’, torcedores do Atlético não teriam ‘copado’ o Maracanã

“Torcida humana” dá errado e polícia improvisa em Atlético e Corinthians

Ao falar de torcida, Petraglia vem para confundir, não para explicar

Petraglia ou John Lennon? Quem compôs a a carta aberta do Atlético sobre torcida única?

8 recomendacões para você

 
 

mais comentadas da semana