Blog Ricardo Amorim

Pensões para filhas solteiras com dinheiro público são privilégios. E eles têm de acabar


No ano passado, o Senado gastou mais de R$ 33 milhões com pensões de filhas solteiras de servidores da Casa. Isso vem acontecendo há muito tempo. A pensionista que recebe o benefício há mais tempo tem a pensão há 64 anos. E os valores são altos: podem chegar a R$ 28,8 mil por mês. Essa senhora já recebeu mais de R$ 22 milhões de uma pensão que é paga com dinheiro público. Num país em que mais de 100 milhões de pessoas não têm acesso a esgoto tratado, isso é uma barbaridade que não dá para entender como continua. Como é que o próximo presidente pode não acabar com isso? Isso é um dos exemplos mais assustadores dos privilégios criados no Brasil por um sistema que condena muitos a uma vida miserável enquanto outros recebem benefícios nababescos para a nossa realidade. Isso tem de acabar imediatamente.

8 recomendacões para você