0

Público escolhe a próxima novela do Canal VIVA

O Canal VIVA bem que tentou – e por duas vezes – mas o público realmente não quer assistir de novo à novela “Pecado Capital”, exibida em 1998, às 18h. Escrita por Gloria Perez, o remake, que passou por diversos problemas na exibição original, também não agradou aos telespectadores na época. Apesar disso, o VIVA tinha escalado a novela para substituir “Felicidade”, no ano passado, e depois voltou atrás, colocando “Anjo Mau”, outro remake, mas desta vez bem sucedido e estrelado por Gloria Pires, exibido em 1997.

collage

Público poderá escolher a novela que substituirá “História de Amor” em votação no site do canal.

Desta vez, o canal já tinha anunciado que a trama entraria no ar em 10 de novembro, substituindo “História de Amor”, mas novamente o VIVA voltou atrás.  Especula-se que a pressão das redes sociais – onde o canal é extremamente popular – pesou na decisão de cancelar novamente a exibição de “Pecado Capital” 98. Mas também já há quem diga que é apenas uma estratégia de programação e que a versão original da novela, exibida em 1975 com Betty Faria e Francisco Cuoco nos papéis principais, e recém lançada em DVD, será exibida no ano que vem. Caso seja verdade, seria a primeira novela de Janete Clair a estrear no Viva. Segundo o canal, “por questões estratégicas do canal, o VIVA decidiu, no momento, não exibir a novela ‘Pecado Capital'”.

De qualquer forma, tomara que o canal tenha desistido definitivamente da exibição de “Pecado Capital” 98. Existem outros títulos bem mais queridos pelo público.

Votação

Para não ser alvo de críticas novamente, o Viva lançou mão de um recurso já testado antes. Será o público quem vai escolher, através de uma votação no site oficial do canal, qual título irá ao ar no lugar de “História de Amor”. A mesma estratégia havia sido usada na época do fim de “Rainha da Sucata”. O público escolheu “Água Viva”. Na época, também concorriam “Fera Ferida”, “A Indomada” e “O Dono do Mundo”. Uma ótima solução e que deveria ser usada sempre pelo canal.

Para substituir “História de Amor”, o canal oferta como opção “Lua Cheia de Amor”, “Despedida de Solteiro” ou “Tropicaliente”. Destas, apenas “Lua Cheia de Amor” não ganhou uma segunda exibição no “Vale a Pena Ver de Novo”. Uma pena que “Mico Preto”, da mesma época de “Lua Cheia de Amor”, não entrou na disputa.

Relembre abaixo as tramas:

Lua Cheia de Amor – 1990

Remake da novela Dona Xepa, de Gilberto Braga, exibida na TV Globo em 1977 – por sua vez inspirada na peça homônima escrita por Pedro Bloch – Lua Cheia de Amor tem como personagem central Genuína Miranda (Marília Pêra), uma mulher batalhadora, sem instrução, que trabalha como ambulante para sustentar a família. Dona Genu, como é conhecida, faz qualquer sacrifício pelos filhos Rodrigo (Roberto Bataglin) e Mercedes (Isabela Garcia). Apesar da dedicação da mãe, eles sentem vergonha por ela ser uma mulher pobre e simples. Foi exibida entre dezembro de 1990 e julho de 1991 com 191 capítulos. O remake teve autoria de  Ana Maria Moretzsohn, Ricardo Linhares e Maria Carmem Barbosa, com supervisão de Gilberto Braga.

Despedida de Solteiro – 1992

A trama tem início em 1985, na fictícia cidade de Remanso, quando os amigos Pedro (Paulo Gorgulho), Pasqual (Eduardo Galvão) e Xampu (João Vitti) se reúnem para a despedida de solteiro de João Marcos (Felipe Camargo). A farra termina numa cachoeira, onde Salete (Gabriela Alves), uma das jovens que estava no grupo, é assassinada. Durante a cerimônia de seu casamento com Lenita (Tássia Camargo), João Marcos é levado preso, junto com os três amigos, e todos são condenados a 21 anos de prisão pelo assassinato de Salete – crime que não cometeram. Escrita por Walther Negrão, a trama foi produzida às pressas para substituir “Felicidade”. “Mulheres de Areia” era a primeira opção, mas Gloria Pires engravidou e autora Ivani Ribeiro pediu para adiar a exibição da histórias das gêmeas Ruth e Raquel. Exibida em junho de 1992 e janeiro de 1993, foi reprisada em 1996, no “Vale a Pena Ver de Novo”.

Tropicaliente – 1994

O litoral cearense serviu de pano de fundo para histórias de amor marcadas pelas diferenças de classe. No início da novela, a rica e rebelde Letícia (Silvia Pfeifer) tem 17 anos e, contrariando a vontade do pai, o industrial Gaspar (Francisco Cuoco), abandona a família e o conforto em que vive para morar em uma cabana de praia com seu grande amor, Ramiro (Herson Capri), um pescador sete anos mais velho do que ela. Um dia, Ramiro sai para pescar e acaba passando três meses em alto-mar. Certa de ter sido abandonada por seu amor, Letícia decide voltar para a casa dos pais e terminar os estudos fora do Brasil. Quando Ramiro retorna, não encontra Letícia e conclui que o romance entre os dois não passara de um capricho de uma jovem rica e mimada. Exibida entre maio e dezembro de 1994, teve o final antecipado para dar início às comemorações dos 30 anos na Globo, em 1995. O último capítulo da trama foi exibido no dia 31 de dezembro. Também de Walther Negrão, foi reprisada, sem sucesso, no Vale a Pena Ver de Novo em 2000.

 

 *Post atualizado às 12h51 para acréscimo de posicionamento do canal.

8 recomendacões para você