A rua que não é tão 24 horas assim

Versões em inglês (english) e espanhol (castellano/español)

Walter Alves / Gazeta do Povo
Entradas da Rua 24 Horas ficam nas ruas Visconde de Nácar e Visconde do Rio Branco.

Olá pessoal!

Hoje vamos falar de um ponto turístico de Curitiba que teve seu auge na década de 1990 – a Rua 24 Horas. Localizada entre as ruas Comendador Araújo e Emiliano Perneta, a galeria tem entradas nas ruas Visconde de Nácar e Visconde do Rio Branco. O espaço passou por uma restauração recente e foi reinaugurado em novembro de 2011, depois de quatro anos fechado.

Nos anos 90, a Rua 24 Horas era o “point” de turistas e curitibanos, que lotavam as mesas dos bares e restaurantes do logradouro para comer, beber e curtir apresentações musicais. Contudo, todavia, porém, entretanto… desde que voltou a funcionar, a Rua não tem feito jus ao seu maior diferencial e pioneirismo no Brasil – não está funcionando 24 horas por dia. Uma pena!

Nesta semana, a pedidos, levei um amigo de Belo Horizonte para conhecer a tão famosa rua. Ao chegarmos à galeria, por volta das 23 horas, ela estava vazia e fechada. Por enquanto, a dica é essa: para conhecer a Rua 24 Horas, vá durante o dia ou começo da noite. A entrada é franca e as lojas ficam abertas das 9 às 22 horas.

Lá, você encontra restaurantes, lojas de souvenir, correio, centro de informações turísticas, lanchonetes, papelaria, entre outras. Não deixe de reparar nos arcos e no relógio que marca 24 horas!

Albari Rosa / Gazeta do Povo
Relógio da rua marca as 24 horas.

O que você acha da rua não funcionar 24 horas? O que você mais aprecia no local?

Siga-nos no Facebook e no Twitter (@turistandoctba).

8 recomendacões para você