Publicidade

Colunistas

Colunistas

Bar da Laje: comida de boteco com vista de cair o queixo!

por

O estabelecimento carioca oferece petiscos à moda brasileira e uma vista de tirar o fôlego

Compartilhe

Desde que cheguei ao Rio de Janeiro pra morar, minha curiosidade de conhecer alguma comunidade sempre esteve latente. Após a pacificação, a do Vidigal virou um dos “points” da capital fluminense e exemplo de luta e de produção cultural. A favela, que tem orgulho de ser a primeira a ter recebido a visita de um Papa, está localizada em meio a dois bairros luxuosos – Leblon e São Conrado – e tem o mar aos seus pés. A vista é realmente de tirar o fôlego!

Foto: Nadia Schiavinatto/Divulgação

Foto: Nadia Schiavinatto/Divulgação

A vontade de subir o morro aumentou ainda mais depois que ouvi falar do Bar da Laje, que se tornou o queridinho da vez. De lá, pode-se contemplar uma das vistas mais lindas do Rio. Só por ela, já vale a pena o passeio. Para chegar, como as ruas são bem estreitas, o melhor mesmo é optar pelo serviço das kombis do local. O preço da ida e volta é de R$ 20 por pessoa. Como só há espaço para um carro passar pelas ruelas – o que obriga o habilidoso motorista a desviar dos veículos que estão no sentido contrário – a subida até lá leva uns 25 minutos.

Inaugurado em maio de 2014, o da Laje, que fica ao lado do “Arvrão”, é simples, agradável e os funcionários, educados e prestativos, mas a alma da casa é mesmo a dona Gilda Brandão de Barros Pereira, mãe do empresário de artistas, Marcos Brandão, e proprietário do local. Tive o prazer de conhecê-la. Mulher viajada, extremamente simpática, é cheia de histórias para contar. As tardes e noites ali são regadas à cerveja gelada, petiscos de boteco e rodas de samba, das boas! Em menos de um ano e meio da abertura, a casa virou a sensação de turistas, muitos gringos, e brasileiros de todas as regiões do país, artistas e jogadores famosos.

Foto: Nadia Schiavinatto/Divulgação

Foto: Nadia Schiavinatto/Divulgação

“Nossa intenção é transformar o bar num local de encontro entre o pessoal da comunidade e turistas, reunindo o pessoal jovem e os mais velhos, e estamos conseguindo. Lá as pessoas se divertem, ficam felizes com a vista do Vidigal, e podem encontrar uma cerveja trincando e uma boa comidinha de boteco”, explica o empresário.

Somente aos sábados, a casa oferece feijoada, mas o forte mesmo são os petiscos à moda brasileira. Opte pelos bolinhos de abóbora com carne seca, ou de vaca atolada, de virado à paulista, de baião de dois, de bacalhau, de feijoada, ou pastéis, linguiça frita acebolada, caldinho de feijão ou filé aperitivo (acebolado, com aipim e farofa) e, claro, para acompanhar cervejas geladas ou caipirinhas. Os pratos são preparados pelo cozinheiro pernambucano Givaldo Cavalcanti (foto), de 26 anos, que mora há 14 anos no Vidigal e está no comando da cozinha há seis meses.

Brandão, que é paulista, conta que frequenta o Vidigal desde 1990 e que sempre quis ter um espaço por lá. “Em 2013 encontrei um terreno à venda e comprei. O lugar me faz muito bem. Depois que conheci o pessoal do grupo teatral ‘Nós do Morro’ comecei a levar muita gente pra lá e elas simplesmente adoraram.”

Foto: Nadia Schiavinatto/Divulgação

Foto: Nadia Schiavinatto/Divulgação

Onde
Rua Armando Almeida Lima, 8F, Vidigal (Arvrão), Rio de Janeiro (RJ) – (21) 3323-5807. Abre de terça a sexta-feira das 12 às 20 horas; sábado das 12 às 22 horas e domingo das 12 às 20 horas. Site. Contato para contratar a kombi que leva até lá: motorista Galo (21) 97581-2002.

Compartilhe
Publicidade

Assine a Gazeta do Povo e receba mensalmente o Bom Gourmet.