Restaurantes

Em Curitiba

Com 114 anos, Bar Stuart está à venda por mais de R$ 1 milhão

Após dez anos sob a administração de Nelson Ferri, o bar procura a “quinta geração” para assumir o balcão

por Flávia Schiochet Publicado em 23/04/2018 às 17h
Compartilhe

Pela quarta vez em 114 anos, o Stuart Bar está à venda. É pelo cansaço de estar diariamente, pela manhã, no balcão que o atual proprietário, Nelson Ferri, colocou o tradicional boteco no mercado. O empresário cobra R$ 1,1 milhão e “disposição de maratonista” do próximo dono.

Salão do Bar Stuart. Foto: Brunno Covello/Arquivo Gazeta do Povo

Salão do Bar Stuart. Foto: Brunno Covello/Arquivo Gazeta do Povo

“Enjoei, sabe? Estou cansado. Tive dois cânceres malignos nos últimos anos, sou maratonista, não fumo nem bebo. Preciso diminuir o ritmo”, disse Nelson Ferri ao Bom Gourmet, que vai se dedicar apenas ao restaurante de carnes argentinas no segundo andar do mesmo imóvel em que funciona o Stuart desde 1954, na Praça Osório.

> Leia também: Conheça os pratos preferidos da clientela nos restaurantes mais antigos de Curitiba

Fachada do Stuart Bar, que funciona no mesmo endereço desde 1954. Foto: Brunno Covello/Arquivo Gazeta do Povo

Fachada do Stuart Bar, que funciona no mesmo endereço desde 1954. Foto: Brunno Covello/Arquivo Gazeta do Povo

Nelson não tem pressa de vender o bar e garante que não fechará as portas mesmo que o comprador demore a aparecer. “Não se pode fechar um bar desse”, garante.

Testículos de touro ao molho, prato que entrou no cardápio do Stuart em 1974. Foto: Aniele Nascimento/Arquivo Gazeta do Povo

Testículos de touro ao molho, prato que entrou no cardápio do Stuart em 1974. Foto: Aniele Nascimento/Arquivo Gazeta do Povo

O Stuart é famoso na cidade não apenas por ser o bar mais antigo da capital paranaense — na fachada se lê “famoso desde 1904” –, mas também pelas carnes e porções raras que mantém no cardápio. É possível pedir testículos de touro à milanesa ou ao molho, por exemplo, carne de rã, cascudo, coelho à passarinho (R$ 60, aproximadamente 50 g) e rabo de jacaré (R$ 120, 400 g).

Carne de onça, servida com broa e cheiro verde, dobradinha, sanduíche de pernil, empadinhas, bolinho de carne seca ou de bacalhau e pastel também estão no cardápio.

Pedaço de história curitibana

Frequentado há décadas por clientes fieis, sentaram-se à mesa do Stuart políticos, poetas, jornalistas e toda a sorte de boêmios. Seu primeiro endereço foi na Rua Comendador Araújo, de 1904 a 1927, aberto por Joseph Ritcher. Depois, ocupou um imóvel na Boca Maldita. Em 1938, os irmãos Afonso e Leopoldo Mehl assumiram o bar e mudaram-no para o atual endereço em 1954, na esquina da Praça Osório com a Alameda Cabral.

> Leia também: Conheça a história do Buffet Ilha do Mehl, que realizou mais de 8 mil casamentos em 40 anos

Dino Chiumento, 83 anos, trabalha desde os 14 anos no Bar Stuart, na praça Osório. O bar completou 114 anos e teve em sua história clientes dos mais variados meios, de jornalistas à políticos passando por artistas como Paulo Leminski. Foto: Brunno Covello/Arquivo Gazeta do Povo

Dino Chiumento, 83 anos, trabalha desde os 14 anos no Bar Stuart, na praça Osório. O bar completou 114 anos e teve em sua história clientes dos mais variados meios, de jornalistas à políticos passando por artistas como Paulo Leminski. Foto: Brunno Covello/Arquivo Gazeta do Povo

Dino Chiumento, italiano que chegou em Curitiba com 14 anos em 1949 trabalhou por décadas como garçom do Stuart e comprou o bar em 1974. Mesmo em 2008, quando Chiumento vendeu Stuart para Nelson Ferri, seguiu trabalhando no balcão, e tira chopes até hoje no balcão mais histórico de Curitiba.

Serviço

Compartilhe

8 recomendações para você