Bebidas

Disputa

Bartender curitibano é finalista de campeonato brasileiro de coquetelaria

Igor Bispo, do Lagundri, venceu a etapa Sul do Grey Goose Vive La Révolution e segue para final em São Paulo

por Mariana Sanchez, especial para a Gazeta do Povo Publicado em 04/10/2013 às 13h
Compartilhe
Walter Alves / Gazeta do Povo

A quinta edição de um dos principais campeonatos de coquetelaria premium do Brasil, o Grey Goose Vive La Révolution, revelou nesta segunda (30) os finalistas da etapa Sul. Igor Bispo dos Santos, do restaurante Lagundri, conquistou o primeiro lugar com o drinque Taza Apricot (confira receita).

A prova, realizada no Rosário Resto-Lounge, na capital gaúcha, contou com 15 bartenders de Porto Alegre, Florianópolis e Curitiba, que tiveram uma hora para preparar suas criações e apenas cinco minutos para servir dois coquetéis aos jurados.

Formado por Alex Mesquita – eleito bartender do ano no Rio de Janeiro segundo a Veja Rio –, Jean Ponce (DOM), Marcelo Serrano (Brasserie des Arts), Marco de la Roche, especialista em mixologia e Tony Harion, embaixador da marca Grey Goose no Brasil, o júri avaliou quesitos como aroma, sabor, textura, equilíbrio e apresentação do coquetel, além da criatividade e das habilidades técnicas do bartender.

Na profissão desde 1999, o curitibano Igor Bispo, 34 anos, participou de quatro das cinco edições da competição, tendo chegado à final em todas elas – em 2009, conquistou o terceiro lugar geral e, no ano passado, o quinto. “Preparar coquetéis em um concurso é complicado porque você precisa aplicar técnicas mais elaboradas, que nem sempre usa no dia a dia”, diz.

Ingredientes artesanais

Segundo Igor, esta é uma das competições mais difíceis do país, pois exige que pelo menos um dos ingredientes seja produzido de forma totalmente artesanal. Igor, no entanto, criou artesanalmente todos os elementos de sua Taza Apricot. “Eu queria usar o damasco como um espessante, não como agente de sabor. Então, fiz um creme de damascos secos batidos com laranja, doce de banana caturra e mexerica, uma fruta muito comum no Paraná, mas pouco valorizada como ingrediente. A ideia era tirar este preconceito e usá-la para criar um sabor sofisticado”, explica.

O resultado é um drinque com amargor, doçura e acidez equilibrados, que combina ingredientes locais e exóticos.

O bartender também produziu um vermute a partir da infusão de florais em vinho Chardonnay, um bitter aromatizado com Thai Basil (manjericão tailandês) e uma infusão concentrada de hibiscus (300g de folhas para um litro de água) com xarope de tamarindo.

A vice-liderança da etapa Sul ficou com Jucemar Ferreira, do Kabutz, de Florianópolis. Agora, ele e Igor seguem para a grande final, que será disputada pelos 12 melhores bartenders do país. A prova terá como tema a França, país de origem da vodka patrocinadora, e acontece no dia 18 de novembro, em São Paulo.

 

Compartilhe

8 recomendações para você