Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
contactless food delivery to customers home. Delivery service worker with thermal backpack quick delivering food at doorstep in quarantine from restaurant, supermarket or cafe . Online ordering food
contactless food delivery to customers home. Delivery service worker with thermal backpack quick delivering food at doorstep in quarantine from restaurant, supermarket or cafe . Online ordering food| Foto:

No dia 1º de janeiro de 2021, entrou em vigor na cidade de São Paulo a lei que proíbe o fornecimento de pratos, talheres e copos de plástico nos restaurantes e bares. A medida foi sancionada pelo prefeito Bruno Covas e tem como objetivo reduzir a geração de lixo na capital paulista.

De acordo com a regulamentação, estabelecimentos que descumprirem a lei podem ser multados em valores que variam de R$ 1 mil a R$ 8 mil. A regra também é válida para hotéis, padarias, clubes noturnos, buffets e eventos culturais e esportivos.

A nova lei ainda determina que todos os utensílios de plástico sejam substituídos por materiais biodegradáveis, reutilizáveis ou compostáveis. Segundo a Prefeitura de São Paulo, atualmente 16,9% de todos os resíduos que vão parar nos aterros públicos da cidade são plásticos.

Além de promover uma mudança no comportamento do consumidor, exigir a adequação dos estabelecimentos e criar uma maior consciência ambiental na população, a medida também está alinhada às principais tendências mundiais para a preservação do meio ambiente e já desperta o interesse de startups como a Turtle Box, que trabalha com uma solução logística sustentável para o setor de food service, oferecendo embalagens retornáveis.

“Como a lei é recente, muitos restaurantes de São Paulo ainda estão perdidos sobre que tipo de embalagem colocar no lugar dos descartáveis. Nós entendemos que a Turtle Box é a solução perfeita para eles. A embalagem é um fator de extrema importância para garantir uma boa experiência ao cliente. Ela tem que cumprir alguns requisitos mínimos, como proteger, manter a qualidade e garantir uma boa apresentação do prato. Nossa solução oferece tudo isso”, afirma Igor da Cunha Felix, um dos idealizadores da empresa.

Uma realidade mais sustentável

Leis como a aprovada em São Paulo abrem caminho para um futuro mais sustentável e com menos degradação ambiental. Iniciativas semelhantes já são adotadas em outras nações, como no Canadá e em países da União Europeia.

A eliminação progressiva do plástico é um dos principais requisitos para a construção de uma realidade mais ecologicamente correta.

“Entendemos que essa lei muda completamente a realidade dos restaurantes, que agora precisam procurar por embalagens que cumpram os requisitos e sejam sustentáveis. Portanto, nesse período de mudança, além de oferecermos nossas embalagens Turtle Box, também estamos dispostos a ajudar os estabelecimentos na transição”, explica Igor da Cunha Felix.

Conheça a Turtle Box

A Turtle Box é uma startup que trabalha com um modelo logístico no qual os restaurantes recebem gratuitamente as embalagens retornáveis e só pagam depois que elas são vendidas ao cliente final.

Neste sistema de logística reversa de embalagens de delivery retornáveis, a empresa fornece, coleta, higieniza e as retorna para os restaurantes parceiros, oferecendo uma solução ecologicamente correta e que melhora o fluxo de caixa dos estabelecimentos. A embalagem retornável da Turtle Box pode ser reutilizada cerca de 500 vezes. A startup faz parte do programa de aceleração Bom Gourmet Stage, que fomenta negócios inovadores do mercado de food service no Brasil. Para saber mais sobre a empresa, acesse o site oficial.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]