i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Bom Gourmet Stage

Startup do litoral do PR conecta pescadores artesanais a restaurantes e consumidores

  • PorBom Gourmet com Click Textos
  • 07/12/2020 09:12
Pesca Olha o Peixe
A Olha o Peixe fomenta a pesca artesanal no litoral do Paraná e contribui para a geração de renda em comunidades pesqueiras.| Foto: Olha o Peixe/divulgação

Os brasileiros nunca consumiram tanto peixe como na atualidade. Segundo o Anuário 2020 divulgado pela Peixe BR – Associação da Piscicultura, apenas no ano de 2019, o Brasil produziu 722.560 toneladas de pescados, gerando uma receita de aproximadamente R$ 5,6 bilhões.

O consumo dessa proteína nobre também aumentou mundialmente. O relatório bianual da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura) sobre Pesca e Aquicultura Mundial indicou que a produção global de peixes chegou à marca de 179 milhões de toneladas e que, até o ano de 2030, a demanda por pescados crescerá no mundo todo.

No Brasil, apesar de ser um mercado importante para a economia, muitas vezes, há uma desvalorização do produto fornecido por comunidades pesqueiras locais. Muitos pescadores artesanais chegam a passar mais de 12 horas em alto mar e, quando voltam com o produto fresco, precisam vender rapidamente, reduzindo seu poder de negociação.

Para mudar esse cenário e contribuir com as comunidades pesqueiras do litoral do Paraná, a startup Olha o Peixe vem desenvolvendo há dois anos um serviço de impacto social. De acordo com Bryan Müller, proprietário da empresa, o negócio tem como objetivo valorizar a pesca artesanal e o trabalho dos pescadores locais.

“Vivenciei durante anos a rotina desses pescadores e uma das maiores dificuldades relatadas por eles era a comercialização dos pescados. Então, nós desenvolvemos e implantamos o projeto com um objetivo social, já que os pescadores, até então, dependiam de intermediários que não pagavam valores justos e atrasavam os pagamentos por meses, o que caracterizava uma situação de vulnerabilidade socioeconômica”, afirma.

Do mar para a mesa do consumidor 

A Olha o Peixe criou um novo modelo para a comercialização de pescados no Paraná, que coloca os pescadores como protagonistas em todo o processo, da pesca à venda direta. Os pilares da empresa são a pesca artesanal, negociações mais justas e pescarias mais seletivas.

Funciona assim: os clientes, que podem ser pessoas físicas ou jurídicas, fazem as encomendas dos pescados online e podem optar por entregas semanais ou pelo clube de assinatura mensal, recebendo o produto em casa, direto dos pescadores.

Na venda para os estabelecimentos, a empresa prioriza o atendimento a restaurantes que trabalham com frutos do mar e que valorizam os produtos locais e a alimentação saudável.

O modelo de negócio tem vários benefícios, como a fidelização do cliente, que passa a receber produtos exclusivos, brindes e até descontos. Atualmente, a Olha o Peixe trabalha em 10 comunidades do litoral do Paraná.

Foco nos objetivos

Ao promover a venda direta do pescado, do pescador para o consumidor, a Olha o Peixe fortalece as comunidades pesqueiras, contribui para o consumo consciente, gera renda para famílias e recupera estoques pesqueiros. Tudo isso está alinhado aos objetivos de desenvolvimento sustentável estabelecidos pela ONU (Organização das Nações Unidas), que, entre outras coisas, fomenta a redução das desigualdades e a promoção da produção e do consumo responsáveis no mundo.

O modelo de negócio da empresa também é estratégico para os consumidores, que sabem a exata procedência dos peixes que compram e recebem um produto de melhor qualidade.

“O projeto busca ser um elo entre quem produz e consome o pescado, inclusive o consumidor curitibano. Hoje, já participam 92 famílias de pescadores e enviamos peixes para cerca de 30 restaurantes. Já fizemos mais de 3 mil vendas, sempre com uma preocupação muito grande com a origem e a qualidade do pescado e com o meio ambiente”, afirma Müller.

Segundo o proprietário da empresa, Bryan Müller, o negócio já gerou interesse fora do Brasil. “Pessoas de outros países gostaram do nosso modelo de negócio. Já conversei com uma pesquisadora do Canadá e pessoas de Angola”, revela o empreendedor.

Bom Gourmet Stage

A Olha o Peixe é uma empresa paranaense que usa a tecnologia para gerar impacto social e renda para comunidades pesqueiras locais. O negócio está em fase de expansão e a meta é alcançar outras regiões litorâneas do Paraná no próximo ano.

A empresa foi selecionada para fazer parte do Bom Gourmet Stage, programa de aceleração de startups do setor de food service desenvolvido pelo Bom Gourmet Negócios. O programa foi lançado no mês de novembro como uma continuidade do Hack pela Gastronomia, que desenvolveu mais de 70 ideias inovadoras de produtos e negócios para o segmento.

Ao todo seis startups participam da aceleração com mentoria e mídia. Por fim o Bom Gourmet promoverá uma rodada de negócios para atrair investidores, em março. A Gold Food Service; Jasmine; Connecty Pay; Compagas; Ouro Fino; e Paganini patrocinam o Bom Gourmet Stage.

Para saber mais sobre a Olha o Peixe e seu clube de assinatura de pescados, basta acessar o site oficial da empresa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.