Bar do Celso

Bar do Celso

Você sabia que cerveja salgada e com fruta existe? Conheça 4 rótulos

Contemporary Gose, versão moderna de um dos estilos mais tradicionais de cerveja ácidas que temos notícia, é salgado

por Luis Celso Jr., especial para a Gazeta do Povo Publicado em 17/10/2019 às 17h
Compartilhe

Cerveja salgada e com fruta existe? Acredite, existe sim. Trata-se da Contemporary Gose, versão moderna de um dos estilos mais tradicionais de cerveja ácidas que temos notícia, o Leipzig Gose. Ambos são salgados, uma característica muito exótica no mundo cervejeiro.

Narcose Flip-Flops to Heaven (R$ 21 a R$ 32). Foto: Divulgação

O nome Gose vem do rio homônimo que corta a cidade de Goslar, localizada a 270 quilômetros da Berlim, capital da Alemanha. Sua água é salobra, o que deu sabor salgado para a cerveja feita com ela. Isso acontece lá pelo no século 11. Já a acidez era compulsória nas cervejas da época, sendo que só no século 19 ganharíamos o conhecimento e a tecnologia microbiológica necessária para isolar a levedura de
cerveja de outros micro-organismos que produzem acidez.

Uma outra característica interessante é a quantidade de vezes que o estilo ressurgiu das cinzas. Ele desaparece completamente com o tempo e é resgatado duas vezes por cervejeiros dos arredores de uma cidade próxima, Leipzig. A primeira vez no século 19, ganhando volume e reconhecimento, mas sua morte é decretada novamente no período da Segunda Guerra Mundial. A segunda ressuscitação acontece em 1989, após a queda do Muro de Berlim.

Way Beer Tropical Gose (R$ 20 a R$ 30). Foto: Divulgação

Além de ácida e salgada, a Leipzig Gose pode ser feita com parte de trigo não malteado ou aveia, e ainda aceita ser temperada com sementes de coentro. Já Contemporary Gose é mais popular nos Estados Unidos e pode ser adicionada de frutas, temperos, ervas e até outros micro-organismos, como leveduras selvagens. E que tal adicionar frutas brasileiras? Não só é possível como já está em prática por aqui.

>>> Cerveja envelhecida por um ano é eleita a melhor de Curitiba; assista à degustação

Cerveja artesanal sem álcool é uma delícia

Dádiva Golden Ale sem álcool (R$ 15). Foto: Divulgação

Uma das tendências que vem criando corpo nos Estados Unidos é da cerveja artesanal sem álcool. Um relatório da Global Market Insights divulgado em julho mostrou que o mercado de cerveja e vinho sem álcool por lá deve saltar de 20 milhões de dólares em 2018 para 80 milhões em 2025. Felizmente essa ideia já está chegando por aqui.

A cervejaria Dádiva lançou no começo de setembro a Dádiva Golden Ale sem álcool, que tem menos de 0,5% e muito sabor. O processo é novo. A fermentação ocorre por completo com a Pichia, um micro-organismo que produz pouco álcool com sabor muito semelhante ao da levedura de cerveja. Com a Golden, foi lançada também a Dádiva IPA sem glúten, feita por processo enzimático que quebra essa proteína na bebida pronta. Provei as duas e estão fantásticas.

Não há diferença perceptível no sabor em relação aos rótulos regulares. Também seguindo essa tendência, a cervejaria mineira Wäls fez a Session Free, versão do rótulo Session Citra abaixo de 0,5%.

VEJA TAMBÉM

>>> Cervejas com frutas e especiarias são a cara da primavera; conheça algumas

>>> Com puro malte em lata, Way Beer mira em popularizar o consumo de cerveja artesanal

Como foi a escolha da melhor cerveja de Curitiba pelo Prêmio Bom Gourmet 2019:

Compartilhe

8 recomendações para você