Pessoas

Fórum Econômico Mundial

Chef curitibano cozinha com ‘sobras’ para chefes de estado

David Hertz, presidente da ONG Gastromotiva, participa de palestras em Davos, na Suíça, e ainda apresenta o projeto que oferece cursos a jovens de baixa renda

por Andrea Torrente Publicado em 17/01/2017 às 12h
Compartilhe
chef david hertz da gastromotiva

O chef David Hertz é o criador da Gastromotiva, projeto que forma jovens de baixa renda no Brasil e no exterior. Foto: divulgação.

O Fórum Econômico Mundial que começou nesta terça-feira (17) e vai até sexta (20) em Davos, na Suíça, conta com a presença de um paranaense entre as personalidades convidadas. David Hertz, chef e fundador da Gastromotiva, ONG que oferece cursos de gastronomia e cidadania para jovens de baixa renda no Brasil e no exterior. Durante o encontro, ele participa de palestras e faz jantares para chefes de estado ao lado de Jamie Oliver e outros cozinheiros renomados.

Hertz, que participa pelo quarto ano consecutivo do evento, está na Suíça acompanhado de um dos jovens chefs brasileiros formados pela Gastromotiva: Luis Freire, 25 anos, morador do Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, e atual sous chef do Refettorio Gastromotiva, projeto social co-fundado durante as Olimpíadas do Rio por Hertz e pelo chef italiano Massimo Bottura, do premiado restaurante Osteria Francescana, em Modena, na Itália.

Para promover a Gastromotiva, Hertz vai preparar jantares reaproveitando “sobras” que iriam para o lixo. Nos menus oferecidos gratuitamente estão pratos tipicamente brasileiros como feijoada, galinhada e moqueca vegetariana, que serão servidos em torno de uma fogueira no meio da neve.

No primeiro dia do evento, no Jantar Global, evento que discute o combate à fome, Hertz cozinha para chefes de estado, ao lado do inglês Jamie Oliver, do americano Sam Kass, nutricionista de Barack Obama, e da chef Manal Al Alem, conhecida como a rainha da cozinha árabe.

“Enxergo em eventos como esse uma grande oportunidade de divulgarmos o Movimento da Gastronomia Social e ao mesmo tempo mobilizar recursos para atender ainda mais pessoas nos projetos da Gastromotiva que começaram no Brasil, mas já estão no México e chegando este ano na África do Sul e Argentina”, explica Hertz.

Gastromotiva
Criada em 2006, a Gastromotiva já formou milhares de alunos no Brasil – São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Curitiba – e no México. Este ano, o projeto estreia na África do Sul e na Argentina.

As aulas, que ensinam a prática e a teoria da gastronomia, como habilidades básicas de cozinha, panificação, cidadania, higiene, segurança alimentar e postura profissional, são voltadas para jovens entre 17 e 35 anos de baixa renda.

Depois de formados, os alunos são contratados nos restaurantes parceiros do projeto ou viram empreendedores, se tornando multiplicadores e gerando economia nas comunidades onde moram.

Compartilhe

8 recomendações para você