Receitas & Pratos

Sem erros

Batata murcha e arroz empapado nunca mais! Veja dicas de preparo

Pelas redes sociais, os leitores do Bom Gourmet contaram seus maiores dramas na cozinha. Confira conselhos dos chefs para acertar sempre

por Flávia Schiochet Publicado em 13/11/2014 às 06h
Compartilhe

Muita gente não está satisfeita com o resultado de suas habilidades no fogão em preparos básicos. O Bom Gourmet perguntou aos leitores quais destes pratos eles consideram mais difícil de acertar: arroz, batata frita ou bife? Ganharam os comentários sobre a batata murcha e o arroz empapado. Confira as dicas de como prepará-los para não errar mais:

Arroz soltinho

Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

A chef Patrícia Skvira, da escola Versadas, ensina o passo a passo: refogar o arroz e respeitar a proporção de água e tempo de cozimento. Uma xícara de arroz pode ser refogada em uma colher de sopa de óleo vegetal e cozida com duas xícaras de água fervente. Quando levantar fervura, tampar a panela e deixar 15 minutos cozinhando em fogo brando. Assim que o tempo acabar, desligar o fogo e deixar o arroz descansando na panela tampada por mais dez minutos. Isto vai ajudar o arroz a soltar e secar a água que porventura estiver no fundo da panela. “Lavar o arroz ou refogar com temperos antes de acrescentar a água não influencia no resultado final. Esses passos servem tanto para o arroz parboilizado quanto para o branco, integral, sete grãos, negro, selvagem e basmati”, garante a chef.

 ***

Batata frita crocante

Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

Mesmo fria – isso a equipe do Bom Gourmet constatou in loco –, a batata frita que a chef Angela Muraro prepara permanece crocante. O petisco não está no menu do La Rauxa Cafè i Bistrot, mas é algo que ela gosta de preparar em casa. “Para que fique sequinha e não murche, eu cozinho em água a batata Asterix (que retém menos água), cortada em palitos, até subir aquela espuma branca. Daí retiro e seco em papel toalha ou em um pano limpo”, ensina. Na sequência, ela frita as batatas em óleo a 180 graus C e seca novamente em papel toalha antes de servir. Outra maneira é pré-cozinhar as batatas em óleo a 140 graus C até elas ficarem esbranquiçadas. Este, relata a chef, é o mesmo processo pelo qual passam as batatas congeladas que compramos no supermercado. “Dá até para cozinhar em óleo ou água uma quantidade grande e congelar em porções menores para fritar outro dia. Para “ressuscitar” batatas frias que murcharam, cinco minutos no forno a 180 graus C resolvem, segundo a chef.

Batatas bravas

Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

Para fazer a batata brava, a chef Angela Muraro, do La Rauxa Cafè i Bistrot, assa as batatas cortadas em uma forma tampada com papel-alumínio por 20 minutos e depois mais 15 minutos sem o papel em forno a 180 graus C. Isso faz elas ficarem com a casquinha crocante e formam “bolhas”. Também pode-se finalizar na frigideira com um pouco de manteiga depois de assarem por 20 minutos e temperar com salsinha fresca.

 

*Quer dicas de algum preparo específico? Mande para bomgourmet@gazetadopovo.com.br

Compartilhe

8 recomendações para você