Receitas & Pratos

Rio Grande do Sul

Na terra do rodízio no espeto, churrascarias inovam com menu degustação de cortes nobres

A tradição ainda domina, mas restaurantes começam a se adaptar aos novos tempos

por Anderson Hartmann, do Rio Grande do Sul especial para Gazeta do Povo Publicado em 08/03/2018 às 19h
Compartilhe

Com um importante papel na história e identidade dos gaúchos, o churrasco retrata o simbolismo deste povo. Ao longo dos anos, este prato típico disseminou-se e hoje, além de ser o queridinho do Rio Grande do Sul, faz parte da culinária de todo o país. Mas qual foi a evolução do modo tradicional de preparo desta iguaria até chegar aos dias atuais?

CONHEÇA O BOM GOURMET: NOTÍCIAS DE GASTRONOMIA, RECEITAS, DICAS E MUITO MAIS

Bife ancho é um dos cortes disponíveis na NB Steak House. Foto: Divulgação

Quem quiser conhecer o tipíco churrasco gaúcho, a pedida obrigatória é viajar até os Campos de Cima da Serra, mais precisamente na cidade de Lagoa Vermelha, conhecida como Capital Nacional do Churrasco e da Comida Campeira.

O assador Joel de Araújo, responsável pela casa de carnes do Centro de Tradições Gaúchas Alexandre Pato, nos conta alguns detalhes da técnica pioneira de preparo deste tradicional prato: “O churrasco lagoense se inicia com a escolha do animal, sendo este criado e engordado no campo nativo – o que garante um sabor único e um acabamento de gordura perfeito à carne. Costela de ripa, chapéu de bispo, capa do colchão, picanha e contrafilé são alguns dos cortes preferidos. O tempero utilizado é somente o sal grosso e a carne é assada na brasa de lenha e não de carvão, em espetos de madeira. Tudo isso confere um sabor sem igual ao nosso churrasco serrano”, revela.

>> Os cinco segredos de um típico churrasco gaúcho

  • Picanha ainda é servida nos moldes tradicionais na NB Steak House. Foto: Divulgação
  • O novo conceito “Menu Degustação” permite que o cliente experimente uma seleção de cortes de carne, saladas servidos à francesa. Foto: Divulgação
  • No churrasco lagoense o tempero utilizado é somente o sal grosso e a carne é assada na brasa de lenha e não de carvão, em espetos de madeira. Foto: Divulgação
  • Ambiente mais requintado garante uma atmosfera mais globalizada. Foto: Divulgação
  • Diferentes opções de saladas são servidas à francesa. Foto: Divulgação

Apostando em um público mais exigente e reinventando o molde atual de churrascarias, recentemente o rodízio mais premiado de Porto Alegre renovou-se com a chegada de um novo administrador. O gaúcho Arri Coser propôs um novo posicionamento à NB Steak House: aliou à fama de excelência do tradicional rodízio gaúcho um toque de refinamento mais globalizado: “O novo conceito chamado de “menu degustação” permite que o cliente experimente uma seleção de cortes de carne, saladas – tudo isso servido à francesa em um ambiente de padrão internacional”, garante.

O sucesso deste formato é tanto que a NB Steak House já conta com seis unidades da churrascaria espalhadas pelo Brasil, três delas em São Paulo, duas em Porto Alegre e uma em Florianópolis: “Ao todo são mais de doze cortes premium de gado de raças britânicas. A exceção são as clássicas picanha e fraldinha, que ainda são servidas no espeto. Todos os cortes são temperados com sal grosso – exceto as carnes suínas, o cordeiro e o galeto –, e preparados na churrasqueira a carvão, seguindo o padrão atual”, conta.

Do espeto de madeira ao menu degustação de cortes nobres uma coisa é unanimidade: o churrasco é sinônimo de celebração e apreciação de um prato considerado clássico nacional, onde reinam a alegria, a amizade, o amor e a fartura. Justamente por isso é considerado um dos eventos sociais mais queridos não só do povo do Sul mas de todo o Brasil. Agora resta a dúvida, qual a melhor opção? O churrasco já é uma ótima opção, a maneira de apreciá-la você escolhe!

LEIA TAMBÉM:

  >> 5 erros mais comuns na hora de fazer churrasco

>> O que a casca de pão e o sabor da carne assada têm em comum?

Compartilhe

8 recomendações para você