Baixa Gastronomia

Opinião

No prato e no pão: dois clássicos com mignon que você deve conhecer

Pratos indicados pelos colunistas da Baixa Gastronomia estão no Maia Box e Bar Palácio

por colunistas Rafael Martins e Guilherme Caldas Publicado em 13/08/2018 às 11h
Compartilhe

Sempre teremos o Bar Palácio

Tem tanto bar, restaurante e birosca novo pipocando na cidade que por vezes nos esquecemos dos clássicos. Uma injustiça, é claro.

Churrasco Paranaense do Bar Palácio. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

O velho e bom Bar Palácio, por exemplo, nunca nos decepciona. Nesses dias frios, nada como passar lá no fim da noite para esquentar os ossos numa mesa próxima à churrasqueira instalada dentro do salão, enquanto nos aventuramos pelo extenso cardápio da casa.

Sim, o Palácio é famoso pelo Churrasco Paranaense (na foto), um pedaço de contra-filé grelhado na brasa, escoltado por arroz, farofa de ovo e salada de cebolas) e o tradicionalíssimo Mineiro de Botas. Mas nós somos também fãs dos mignons que a casa serve. O Completo vem acompanhado de arroz, fritas e ovo frito. Nós sempre pedimos para trocar a porção de arroz por mais uma de fritas, porque as batatas do Palácio, amigo, são coisa de louco — uns cubinhos do legume furados no meio, pois aproveita-se o que sobra do corte das batatas griset. Ainda não comemos melhores em Curitiba.

Como as de qualquer baixa gastronomia que se preze, as porções do Palácio são generosas. Apesar de “bem servidos” para uma pessoa, em geral os pratos bastam tranquilamente para duas.

Serviço: Churrasco paranaense a R$ 46,90. Mignon completo a R$ 75,90.

***

Um sanduba clássico do Mercado Municipal

Sanduíche do Chef, do Maia Box, no Mercado Municipal. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

Desde que iniciou suas atividades, no já longínquo ano 2000, o Maia Box figura entre os preferidos da Equipe Baixa Gastronomia (EBG). Começou como um box no meio daquela bafunda que havia antes da gourmetização que varreu o Mercado Municipal há alguns anos. Depois, mudou-se para uma das garagens, junto com outros restaurantes er lanchonetes queridos por esta coluna, enquanto o Mercado era reformado. Após a reforma, estabeleceu-se num dos mezaninos e lá ainda se encontra. O box mudou bastante de lugar, mas algumas coisas permaneceram inalteradas.

Uma delas é simpatia e bom atendimento da Maia e do Mauro e de seus funcionários. Outra, é o Sanduíche do Chef, nossa pedida em 11 de cada 10 vezes que visitamos o Mercado. A combinação de mignon, queijo fundido e cebola empanada é uma adaptação do sanduba criado pelo chef Andrew Bushee, professor de Mauro no Senac de Águas de São Pedro (SP). “Já tinha ido estudar lá com a ideia de abrir o box”, Mauro nos contou outro dia. “Um dia eu cheguei para o Andrew e disse que ia levar a receita dele para Curitiba, […] ele não só não se opôs, como ainda me incentivou”, completou. Sorte nossa.

LEIA TAMBÉM:

>> Alta gastronomia não existe, entenda por quê

>> Baixa Gastronomia indica: bife em duas versões, no pão e à parmegiana

Compartilhe

8 recomendações para você