Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Foto: Alexandre Mazzo/Gazeta do Povo
Foto: Alexandre Mazzo/Gazeta do Povo| Foto: Gazeta do Povo

Em 2015 falei para vocês aqui nesse mesmo espaço que cervejas ácidas eram uma tendência que estava começando a aparecer aqui no Brasil. E também um desafio ao paladar, já que muitos torcem o nariz para aquilo que é azedo. A segunda parte continua verdade. Já a primeira merece ser atualizada.

De lá para cá o mercado amadureceu, cresceu e hoje as Sour Beers são uma realidade palpável em bares, empórios e mesmos nos supermercados. Talvez um dos fatores desse aumento seja que, diferentemente das previsões, essas cervejas estão sendo apreciadas não só pelos fãs da cerveja mais assíduos como também por aqueles mais novatos, que buscam algo leve e refrescante.

Normalmente quando falamos em Sours estamos nos referindo a vários estilos de cerveja que têm em comum a acidez. Ela é gerada por diversos microrganismos que fazem fermentação ácida e que são inseridos propositalmente na cerveja, como bactérias láticas, acéticas e outros.

De certa forma pode-se dizer que nesse tipo de processo se contamina a bebida, só que de forma controlada e previsível. Para completar a cerveja podem ser usadas frutas, madeiras e até outros microrganismos, resultando em uma bebida ainda mais complexa.

É o caso da cerveja Gasoline Sour da Morada Cia Etílica, de Curitiba, uma Flanders Red Ale. O estilo pede que além de acidificação por bactérias láticas, seja maturada por períodos longos em barricas onde ganha sabor da madeira e por vezes notas ascéticas. Essa foi a vencedora como Melhor Cerveja no Prêmio Bom Gourmet do ano passado.

Aqui no Brasil há, inclusive, a promessa do que poderá ser o primeiro estilo brasileiro de cervejas, o Catharina Sour, que se encaixa nessa linha de cervejas. É uma Berliner Weisse, cerveja de trigo ácida de tradição alemã, com frutas. A ideia surgiu entre as cervejarias de Santa Catarina.

Mas por que fazer isso? Porque é delicioso. A acidez, depois que aprendemos a apreciá-la, é um gosto vívido e saboroso. E para começar basta arriscar.

5 melhores Sour Beers do Brasil

Lohn Bier Catharina Sour com Uva Goethe

Ácidas e azedas, as Sour Beers ganham adeptos no Brasil

Estilo: Berliner Weisse com fruta
Embalagem: 330 ml
Teor Alcoólico: 3,4%
Origem: Lauro Müller (SC)
Preço: entre R$ 13,90 e R$ 23

***

Morada Gasoline Sour

Ácidas e azedas, as Sour Beers ganham adeptos no Brasil

Estilo: Flanders Red Ale
Embalagem: 750 ml
Teor Alcoólico: 6,7 %
Origem: Curitiba (PR)
Preço: entre R$ 84,90 e R$ 129

***

Dogma Branca de Brett

Ácidas e azedas, as Sour Beers ganham adeptos no Brasil

Estilo: Mixed-Culture Brett Beer
Embalagem: 750 ml
Teor Alcoólico: 5,5 %
Origem: São Paulo (SP)
Preço: entre R$ 75 e R$ 98

***

Treze Caipirinha Sour

Ácidas e azedas, as Sour Beers ganham adeptos no Brasil

Estilo: American Sour
Embalagem: 473 ml
Teor Alcoólico: 7%
Origem: São Paulo (SP)
Preço: entre R$ 23,90 e R$ 35

***

Way Beer Tropical Gose

Ácidas e azedas, as Sour Beers ganham adeptos no Brasil

Estilo: Contemporary Gose com fruta
Embalagem: 473 ml
Teor Alcoólico: 3,9%
Origem: Curitiba (PR)
Preço: entre R$ 24 e R$ 33,90

LEIA TAMBÉM:

>> 5 dicas certeiras para fazer um peixe na brasa perfeito

>> Roteiro: conheça as cervejarias artesanais da região de Curitiba que têm visitas guiadas

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]