Bebidas

Dicas

Abriu um vinho e não tomou tudo? Veja como conservar a garrafa aberta

Acessórios para manter a qualidade das garrafas abertas podem ser dispensáveis com técnicas simples e a escolha de rótulos de melhor qualidade

por Bom Gourmet, com agência do The Washington Post Publicado em 30/10/2018 às 10h
Compartilhe

Um dos maiores mitos sobre vinho é que ele começa a se deteriorar assim que abrimos a garrafa. É claro que um vinho bem envelhecido pode dar um respiro e morrer assim que entrar em contato com o ar, mas com que frequência abrimos um desses? A premissa de que o oxigênio é o inimigo do vinho é irrelevante no consumo diário da bebida, porque isso não acontece tão rápido.

>> 4 dicas para não errar na hora de escolher um vinho no restaurante

taça vinho tinto com decanter

Foto: Alexandre Mazzo/Gazeta do Povo

Essa é uma ótima notícia, já que a maioria de nós não termina uma garrafa toda noite. Existem diversos produtos que a indústria do vinho quer te vender caso você seja uma dessas pessoas que só quer tomar uma taça durante o jantar. De latas de gás inerte (nitrogênio ou argônio) que você esguicha na garrafa para cobrir o vinho restante e protegê-lo do oxigênio, ao popular Vacu Vin – rolhas de borracha e uma bomba que permitem a criação de um vácuo que protege o vinho por vários dias. Esses itens garantem que o restante do seu vinho vai se manter tão puro como quando você o abriu pela primeira vez.

>> Vinho Reserva ou Reservado: qual é o melhor?

O Vacu Vin é fácil de usar e o assobio leve que ele dá quando se puxa a rolha de borracha da garrafa é um sinal reconfortante de que o vácuo realmente protegeu o vinho. Mas será que esse simples passo é realmente necessário? A simples vedação da garrafa com a sua tampa original ou tampa de rosca funciona perfeitamente bem para proteger o vinho, por pelo menos vários dias. Funciona tanto para vinhos que ficam dentro da geladeira como para os que ficam em cima do balcão na cozinha. Vinhos com tampas de rosca, que criam uma vedação estanque, podem durar semanas e ainda se manter bons.

Mas há uma ressalva: o vinho precisa ser bom desde o início. Um vinho forte e saudável não vai apenas sobreviver alguns dias após ser aberto: pode ficar até melhor em dois ou três dias. É um método bastante informal e não científico, mas funciona. Já os vinhos de má qualidade tendem a perder sabor depois de abertos, e ter suas falhas acentuadas.

Essa é outra razão para procurar por vinhos de boa qualidade, e não apostar somente nos mais baratos. Infelizmente, não há preço mínimo que garanta qualidade. Precisamos encontrar bons vinhos por nós mesmos – outra boa razão para pedir conselhos a especialistas locais.

Mesmo que a indústria dos vinhos queira nos vender diversos itens para preservar uma garrafa de vinho metade vazia, existem muitas opções para aqueles que querem tomar apenas uma ou duas taças durante o jantar. Latas, bolsas e vinhos em caixas oferecem flexibilidade no dimensionamento das porções, e vinhos de melhor qualidade estão cada vez mais disponíveis nesses formatos. A indústria, finalmente, está empacotando o vinho para combinar com o modo como muitas pessoas o bebem.

LEIA TAMBÉM

>> Perfumados e frutados: 8 vinhos rosé a partir de R$ 28 para curtir a primavera

 

Compartilhe

8 recomendações para você