Produtos & Ingredientes

Dicas

Veja como escolher um bom azeite de oliva para o bacalhau

Preço, origem, data de validade, local de envase e nível de acidez são importantes na hora da compra

por B Publicado em 22/12/2017 às 15h
Compartilhe

Com tantas informações sobre problemas de qualidade e adulteração dos azeites de oliva, a atenção tem que ser redobrada na hora da compra. Você sabe identificar um azeite de oliva de qualidade?  Confira os fatores que precisam ser analisados na hora da compra: origem, validade, idade, local de envase e acidez:

* O primeiro passo é escolher uma loja ou local de venda que tenha um bom fluxo de vendas. Dessa forma, as chances de o produto ficar muito tempo parado nas gôndolas é menor. Isso porque quanto mais novo o azeite, melhor será a qualidade.

* Leia as informações do rótulo. Verifique de que não há mistura de óleos refinados. 

* O processo é o inverso do que acontece com os vinhos, como atesta o ditado italiano “vino vecchio, olio nuovo” (vinho velho, azeite novo). Por isso, é bom prestar atenção na data de validade do azeite, que geralmente é de dois anos. Se ela estiver muito próxima, quer dizer que o azeite provavelmente não terá um sabor fenomenal.

* Outra característica importante é a origem do produto. Além disso, o local de envase do azeite também é relevante para saber se o produto é de qualidade. Ele precisa ser o mesmo lugar da produção, de modo que o azeite seja engarrafado logo após ser produzido. Se demorar demais ele pode ir oxidando e aumentar a acidez do azeite. A oxidação confere ao azeite um sabor metálico, avinagrado ou de ranço.

* PREÇO: os extravirgens geralmente são mais caros. Quando o preço é absurdamente barato, converse com algum vendedor para saber o motivo, se é alguma promoção, por exemplo. O custo mínimo de um azeite extravirgem é em torno de R$ 25.

>> VEJA A LISTA DE AZEITES APROVADOS E REPROVADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA

olive oil over spoon

Foto: Bigstock

Acidez

A porcentagem de peróxidos, índice que determina a acidez do produto, é geralmente a informação levada em consideração na hora de comprar um azeite.

– Produtos que apresentam até 0,8% de acidez são consideradas azeites extravirgens, os de melhor qualidade e geralmente mais caros.

– De 0,8% a 2% são azeites virgens

– Acima de 2% são considerados refinados.

Mas só a acidez não garante a qualidade do azeite de oliva. Outros fatores também devem ser analisados no rótulo.

Cor

O aspecto não interfere na qualidade. A cor não é sinal de qualidade. Ela depende muito do produtor e do tipo de azeitona utilizado para a produção. Um azeite feito com uma azeitona que foi colhida mais verde, por exemplo, tem cor mais escura e picância mais acentuada. Já uma azeitona mais madura confere ao produto cor amarelada e notas frutadas adocicadas.

Manutenção

A garrafa deve ser guardada em um local escuro, fresco e sem oscilação térmica (nunca na geladeira). Além disso, após abrir o azeite, o ideal é consumi-lo em até trinta dias.

Muitos componentes do azeite são termossensíveis, por isso armazená-lo perto do fogão não é uma boa escolha. As variações de temperatura nesse local alteram a constituição e o sabor do produto.

 

FONTE: sommelier Flávio Bin, da importadora Porto a Porto.

LEIA TAMBÉM:

>> Brasil tem produção de azeite de oliva pequena, mas premiada no mundo

>> Receita: pão de azeite de oliva com fermentação natural

Compartilhe

8 recomendações para você