Produtos & Ingredientes

Conheça

Nugali, a marca de chocolate de Pomerode que ganhou o mundo

A fábrica catarinense produz chocolate fino, bean to bar, com ingredientes naturais e cacau brasileiro

por Juliana Gomes, de Santa Catarina, especial para Bom Gourmet Publicado em 05/08/2018 às 14h
Compartilhe

Acostumados com uma jornada intensa de viagens internacionais a trabalho, o casal de engenheiros Maitê Lang e Ivan Blumenschein vivia encarregado de trazer chocolates importados para os colegas de trabalho. Até que um acidente com as barras, que sujaram todos os itens da mala de viagem, fez a empresária mudar o rumo de sua carreira. Maitê decidiu encerrar a função de transportadora de chocolates e procurar uma marca nacional que produzisse um bombom de qualidade. Não encontrou e decidiu abrir a própria fábrica, em parceria com o marido.

Linha de bombs Nugali para levar pra casa. Foto: Divulgação

Depois de 14 anos no mercado, a Nugali tornou-se uma pequena gigante. Pequena uma vez que não tem a pretensão de produzir em grande escala e trabalha com apenas 30 funcionários. Gigante porque possui 750 pontos de vendas em todas as regiões do país, além de exportar para o Japão, Emirados Árabes, França, Estados Unidos e Peru.

As exportações alavancaram depois que a marca ganhou, em 2016, a medalha de prata no International Chocolate Awards, a premiação mais prestigiada da área, na categoria chocolates finos puros. O responsável pelo prêmio é o tablete Serra do Conduru 80% cacau, que ficou em segundo lugar entre os concorrentes da América e em terceiro lugar no ranking mundial. Trata-se da primeira empresa brasileira a chegar na final da competição. No entanto, Maitê e Ivan querem mais. Neste mês, a empresa busca a medalha de ouro na mesma premiação.

  • Processo de fabricação de bombons. Foto: Divulgação
  • Há chocolates com amêndoas e bananas também. Foto: Lucio Signore/Divulgação
  • Estante de chocolates na loja da fábrica Nugali. Foto: Lucio Signore/Divulgação
  • Processo de fabricação dos bombons de amêndoas. Foto: Divulgação
  • O serra do conduru 80% é o chocolate Nugali que recebeu a medalha de prata no Internacional Chocolate Awards. Foto: Divulgação
  • Bombons Nugali para acompanhar o espresso. Foto: Lucio Signore/Divulgação
  • Amêndoas de cacau no processo de fabricação. Foto: Divulgação
  • A Nugali oferece fondue meio amargo e chocolate leite. Basta aquecer no microondas. Foto: Divulgação

O maior desafio dos sócios foi encontrar o cacau perfeito, produzido no Brasil. Depois de testar vários produtos nacionais e estrangeiros, o casal de proprietários firmou parcerias com fazendas da Bahia e do Pará e acompanha todo o processo de produção, do plantio à fermentação das amêndoas. Ao todo, a Nugali compra cerca de 34 toneladas de cacau por ano.

“Antes de criar a Nugali, visitamos várias fábricas de produção artesanal na Europa, mas ninguém contou pra gente qual era o pulo do gato. O segredo é a qualidade do insumo. Não dá pra fazer um chocolate bom com qualquer cacau. E é importante conduzir o ingrediente durante todo o processo também, pra garantir o controle da umidade e da acidez, por exemplo”, relata Maitê Lang.

A massa de cacau é colocada em forminhas para adquirir o formato de bombons. Foto: Divulgação

Chocolate puro e de qualidade

A fermentação é um dos processos mais importantes da produção. Se for curta, entre 5 e 7 dias, resulta em um chocolate mais leve, com toque cítrico. Depois desse período, o produto ganha notas amadeiradas, como explicam os proprietários. Assim que as amêndoas fermentadas chegam à fábrica de Pomerode, uma barra de chocolate costuma levar 10 dias para ser embalada e vendida.

Outro diferencial da marca está na própria filosofia: produzir um chocolate verdadeiro, que leva poucos ingredientes na composição. As barras acima de 60% cacau não levam leite ou outro produto de origem animal. Além de massa de cacau, chamada de líquor, os chocolates Nugali recebem adição de açúcar, e extrato de baunilha, feito artesanalmente na fábrica, com as favas importadas de Madagascar. Até os corantes são naturais, feitos a base de urucum, de beterraba ou espinafre.

Entre os produtos com maior sucesso de vendas está o tablete de 70% cacau e a linha brasilidade, que investe na mistura dos chocolates Nugali com ingredientes brasileiros. “Fazer chocolate com avelã é muito europeu, não faz parte da nossa essência. A gente quer lançar chocolates com algum tipo de significado, que tenham história, façam sentido”, explica a proprietária da marca.

Tablete de pimenta rosa. Foto: Divulgação

Além dos tabletes com crocantes de açaí e cupuaçu, a Nugali acaba de lançar a versão 63% cacau com pimenta rosa, o fruto da aroeira que também é nativo do Brasil. O processo de testes para desenvolver um novo produto chega a levar um ano de duração. Os paladares acostumados com chocolates menos açucarados também não vão se decepcionar com a opção ao leite, chocolate branco ou com recheio de caramelo, que não lembram em nada as versões das marcas populares.

A novidade da empresa catarinense é a construção da nova fábrica, que estará aberta à visitação e deve ser inaugurada no ano que vem. Por enquanto, é possível encontrar os chocolates Nugali nos pontos de vendas de todo o país, principalmente nos estados do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo, além da loja de fábrica, na cidade de Pomerode.

Serviço: Loja: Avenida Quinze de Novembro, 290 – Centro, Pomerode – SC. Fábrica: Rua Presidente Costa e Silva, 2250, Pomerode – SC.

LEIA TAMBÉM:

>> O fim do chocolate ao leite? Mercado aposta em versões amargas e saborizadas

>> Suflê de chocolate: dicas, truques e uma receita para não errar o preparo

>> Aprenda 4 incríveis coberturas de bolo de chocolate

 

Compartilhe

8 recomendações para você