Bebidas

Novidade

Coquetelaria de classe em novo bar curitibano

O Tiger Cocktails, sociedade entre o premiado bartender Igor Bispo e o chef Marcelo Amaral, serve drinques clássicos e criações inusitadas que primam pela qualidade

por Andrea Torrente Publicado em 02/10/2014 às 02h
Compartilhe
O balcão é o melhor lugar para acompanhar a habilidade dos bartenders. Foto: Fernando Zequinão/Gazeta do Povo

O balcão é o melhor lugar para acompanhar a habilidade dos bartenders. Foto: Fernando Zequinão/Gazeta do Povo

O premiado bartender Igor Bispo gosta de repetir: “Na minha profissão, o céu é o limite” . O seu trabalho é assim: ele pensa em algo diferente, mistura os ingredientes e por fim experimenta. “Se deu certo, faço a ficha técnica”. Afinal, não é tarefa simples se lembrar dos mais de 300 coquetéis que ele aprendeu ou inventou ao longo da carreira. Sem contar os que virão.

O Tiger Cocktails, bar especializado em drinques localizado na Rua Saldanha Marinho, tem uma boa amostra no cardápio: os drinques listados são 45, mas sempre há novidades e promoções que não estão no menu. A casa, que inaugurou em junho, funciona numa sala anexa ao Lagundri – a entrada é a mesma do restaurante e o chef Marcelo Amaral é sócio do empreendimento junto com Bispo. O local tem capacidade para 40 pessoas e abre somente à noite. Um longo balcão ocupa a parede principal, a luz é suave e o clima informal.

A aposta do bar são os drinques clássicos como Americano (R$ 18), Manhattan (R$ 25), Dry Martini (R$ 26) e Mojito (R$ 18), além das criações dos próprios mixologistas. Algumas releituras, como o Daiquiri Smoked (defumado) e o Monkey Negroni, feito com cachaça de banana, nem sempre estão disponíveis e o preço deve ser conferido no local.“Fazemos uma coquetelaria sofisticada, mas numa atmosfera descontraída”, frisa Bispo. Além dele, a equipe de bartenders conta também com Vinicius Kodama e Gustavo Smolinski.

O nome do local é inspirado nos chamados Tiger Blinds, bares que funcionavam às escondidas durante a época da Lei Seca nos Estados Unidos (nos anos 1920). Hoje, pelo contrário, tudo é feito, com certa dose de malabarismo, na frente do cliente. Por isso, para se encantar com a alquimia dos preparos e a habilidade dos bartenders, o balcão é o melhor lugar para sentar. Ainda porque alguns coquetéis são preparados ou apresentados de forma inusitada. O Fianchetto (R$ 28), com vodca citron, bitters, xarope de hibisco e creme de aceto balsâmico, é a assinatura de Igor. Ele é servido numa minitaça em cima de um azulejo decorado e vem acompanhado de um bule com o resto do drinque.Outro coquetel que chama atenção é o Japanese Slipper (R$ 32) preparado com a técnica a vácuo: o melão cortado em cubos é embebido numa mistura de licor de melão, licor de laranja e limão-taiti e colocado numa máquina que tira o ar da fruta. O espaço é preenchido pela bebida, o resultado é um coquetel para comer.

Boa parte da matéria-prima utilizada nos preparos também é produzida no local. “Bitters, infusões, xaropes, sucos. Tudo que dá para fazer, é feito aqui. Temos também uma horta e nosso objetivo é nos tornarmos autossuficientes em hortelã, alecrim e outros temperos nos próximos seis meses ”, explica Bispo.

O cardápio conta também com sanduíches e petiscos preparados na cozinha do Lagundri. The Tiger Buns  (R$ 12), o sanduíche com barriga de porco, catchup defumado, cebola roxa, pepino defumado ou jalapeño opcional
é o carro-chefe da casa. Outra boa pedida é o cascudo de siri  (R$ 15) – seis bolinhos de siri, acompanhados de dois molhos, tamarindo e jalapeño. O local promove também eventos e noites especiais, como o Tiger for Ladies (ou quarta das meninas) com drinques a preço promocional para as mulheres, como o Agnes (R$ 18), com rum branco, purê de maracujá e curry madras e o Cindy (R$ 18) – gin, purê de frutas vermelhas, gengibirra e sal marinho.

Serviço

Compartilhe

8 recomendações para você