Pessoas

Confeiteira curitibana vence Que Seja Doce

Priscila Bertholdo, do Petit Pop, surpreendeu os jurados com três receitas e ganhou todas as provas do programa da GNT transmitido na última sexta (10)

por Bruna Covacci Publicado em 13/06/2016 às 16h
Compartilhe
Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

A paranaense Priscila Bertholdo foi a vencedora invicta na edição da última sexta-feira, 10, do Programa “Que Seja Doce”, transmitido pelo canal GNT. Com o tema Festa de Reis, a pâtisserie foi escolhida a melhor pelos jurados nas três provas. Orientados pelo chef e apresentador Felipe Bronze os participantes passaram por caminhos de obstáculos, surpresas e dificuldades em que o objetivo era apenas um: deliciar os jurados Lucas Corazza, Carole Crema e Roberto Strongoli.

Outros curitibanos também ganharam um episódio do programa. Em maio, foi a vez da chef Lívia Medvid, enquanto em outubro do ano passado o vencedor foi Diego Prado, da Prado’s Bakery e Alisson Jory, da Alisson Jory Patisserie.

>>>Entrevista com Lucas Corazza, jurado do programa Que Seja Doce

>>> Conheça 5 grandes confeiteiros do mundo

>>> Confeitaria brasileira une técnica europeia e ingredientes locais

Na primeira prova, chamada de Doce Cartão de Visitas, em que os participantes tiveram que preparar uma espécie de apresentação para os jurados, Priscila fez um torrone com um mix de amêndoas, macadâmia, pistache e cramberry. Por unanimidade, a curitibana foi escolhida a melhor. No programa, a pâtisserie se disse realizada e feliz com a sua rotina: “Eu só trabalho com comemorações, casamentos, festas… Doces estão associados a alegria. A realização é muito boa”.

Na segunda prova, os concorrentes precisavam apresentar um doce inspirado no torrone, com merengue e uma leve abrasileirada, com amendoim. Como havia vencido a primeira etapa do programa, Prscila trocou o amendoim por castanha de caju. “Preciso preparar algo surpreendente porque não posso repetir o mesmo preparo”, disse. Ela optou por fazer um gelato com base de torrone, chocolate, pistache, amêndoas e praliné de castanha-de-caju. O doce foi servido em taça, como um verrine. Ela foi, novamente, considerada a melhor, apesar de ter pesado no açúcar, nos ingredientes e texturas.

A última prova exigiu o preparo de um bolo de rei abrasileirado. “É um grande desafio, pois nunca fiz um bolo desses”, disse a candidata. Para o preparo, ela escolheu usar frutas secas. Entre as dificuldades, apontou a necessidade de ter de rechear o bolo ainda quente. Dentro do bolo feito com massa de especiarias, nozes e frutas secas, recheado com creme diplomata e cobertura de merengue, ela ainda colocou algumas “prendas”. Segundo eles, por conta do excesso de gordura o bolo não desenvolveu e tinha muita baunilha. Ainda assim, o resultado foi interessante.

A pâtisserie Priscila Bertholdo comanda, em Curitiba, a Petit Pop, empresa especializada festas infantis, mesas de casamentos, eventos corporativos e aniversários.

Compartilhe

8 recomendações para você