Bebidas

Entrevista

A cerveja perfeita existe? Documentário brasileiro tenta descobrir

Com estreia marcada para esta quinta-feira (18), filme do diretor Heitor Dhalia percorre o Brasil, a Bélgica e a Alemanha em busca da origem dos ingredientes e dos diversos estilos de cervejas pelo mundo

por Guilherme Grandi Publicado em 17/07/2019 às 19h
Compartilhe

Estreia nesta quinta-feira (18) um documentário que pretende descobrir como é produzida a cerveja perfeita – se é que ela existe. “Em busca da cerveja perfeita” é fruto de uma jornada de mais de 10 mil quilômetros feita pelo premiado diretor pernambucano Heitor Dhalia. Ao longo de um ano, ele percorreu o Brasil, a Bélgica e a Alemanha em busca da origem dos ingredientes e das diversas escolas e estilos da bebida.

>>> Milho e arroz na cerveja: qualidade da bebida vai diminuir com decreto de Bolsonaro?

Heitor Dhalia

Embora não tivesse conhecimento sobre o universo cervejeiro, Heitor Dhalia topou o desafio e percorreu mais de 10 mil quilômetros em três países buscando a cerveja perfeita. Foto: divulgação.

O documentário faz um mergulho no universo da cerveja, resgatando técnicas seculares de produção entre as mais importantes culturas cervejeiras do mundo. Para isso, Dhalia contou com a participação de 22 especialistas como sommeliers de cerveja, mestres-cervejeiros e historiadores – entre eles o sommelier e colunista do Bom Gourmet, Luis Celso Junior.

Consagrado pelo premiado filme “O Cheiro do Ralo”, lançado em 2006, e pelo documentário “On Yoga: Arquitetura da Paz”, disponível na Netflix, Heitor Dhalia conta a seguir como surgiu a ideia de produzir um documentário sobre a produção cervejeira do mundo.

Bom Gourmet: Como surgiu a ideia de fazer este documentário?

Heitor Dhalia: Veio de um convite da Ambev [patrocinadora da obra], no sentido de que existia um desejo de fazer um documentário sobre cerveja, uma ideia, mas não existia um caminho. A partir daí foram surgindo ideias de conceito. Eu não conhecia o universo cervejeiro. Fui me aprofundando nisso e começamos a desenhar uma hipótese de conceito. É uma jornada tentando entender o que é essa cerveja perfeita, que na verdade não existe. A perfeição é uma busca inglória, porque você nunca vai chegar de verdade nela. E, cada vez que você chega, sempre vai ter uma outra perfeição a ser buscada.

>>> 4 cervejas clássicas que você não pode deixar de beber

Então a partir desse conceito a gente encontraria personagens, lugares, escolas, ingredientes, histórias. E a partir desse tema a gente foi entendendo o que seria esse documentário, e o que ele poderia trazer pra gente em termos de história, de trocas de experiências e de conhecimento a partir do assunto.

BG: Quais são alguns destes especialistas que participaram das gravações?

Dhalia: Entre os brasileiros estão a Cilene Saorin, mestre-cervejeira e presidente da Associação Brasileira dos Profissionais de Cerveja; Luis Celso Júnior, do Bar do Celso, referência em cerveja no país e um dos juízes de cerveja no Brasil, certificado pelo Beer Certification Program; Célio Gutstein, mestre-cervejeiro da Cervejaria Wäls; e Daniel Bauman, diretor do maior Centro de Inovação e Tecnologia Cervejaria do mundo.

Para citar alguns estrangeiros, podemos falar de Wouter Gys, Mestre Cervejeiro da Leffe, Willy Buholzer, suíço e um dos maiores especialistas do mundo em lúpulo; Charles Nouwen, Mestre em Engenharia de Malte e produção de cerveja. Ele é uma das poucas pessoas que possuem um dos certificados cervejeiros mais importantes do mundo, o Cicerone.

Assista ao trailer do documentário:

BG: Ao longo deste um ano de produção, o que te chamou a atenção na jornada?

Dhalia: O mais curioso foi a ligação da cerveja com a história humana, como se coliga em vários momentos-chave como nos egípcios, no começo da agricultura, nas guerras, nas pestes da Europa. Como a bebida esteve presente na história do homem muito fortemente e era muito associada com grandes momentos da história.

Eu não tinha essa noção, que era uma bebida tão relacionada com a história humana e por isso então popular. Também me chamou a atenção a ligação da bebida com a troca de experiências humanas, assim como a dramaturgia e a literatura, que contam histórias. A cerveja tem isso o tempo todo, porque ela favorece o compartilhamento de histórias, narrativas e momentos.

BG: Quais foram algumas das cervejas descobertas mais curiosas?

Dhalia: Foram muitas. Eu particularmente gosto das lupuladas, das IPAs, são as minhas favoritas. Eu bebia cerveja, mas não era um cervejeiro. Quando cheguei nas cervejas artesanais, as craft beers, comecei a gostar mais. Das cervejas com mais personalidades, mais encorpadas. Minha educação em cerveja está evoluindo e o documentário foi ótimo, me fez aprender muitas coisas. Gostei muito das belgas também, o corpo que vem da levedura.

BG: E os personagens?

Dhalia: Vários me intrigaram. Alguns me chamaram atenção por serem enciclopédicos, pelo conhecimento que têm. Mas todos pela paixão. Isso é uma coisa rara, ver tantas pessoas apaixonadas pelo que fazem. E eu curti muito ver essa paixão por diferentes ângulos e perspectivas, por um lado mais criativo ou de excelência de execução, ou mesmo pelo lado técnico científico.

Com 61 minutos de duração, o documentário “Em busca da cerveja perfeita” chega aos cinemas brasileiros a partir desta quinta-feira (18), com exibições previstas em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Porto Alegre, Salvador e Belo Horizonte nas redes Kinoplex, Espaço Itaú, Multiplex e Cine Belas Artes.

VEJA TAMBÉM

Brasileiro cria fast food robotizado que prepara comida em 2,5 minutos

Jeronimo muda cardápio e passa a ter sanduíches do P ao GG a partir de R$ 7,90

5 dicas para não errar na hora de escolher o vinho

Compartilhe

8 recomendações para você