Restaurantes

Setor

Como o incêndio em um restaurante mostra a força do associativismo

Empresários do setor de alimentação em Curitiba fazem vaquinha e organizam evento para arrecadar fundos para reabertura do restaurante que pegou fogo

por Flávia Schiochet Publicado em 05/11/2019 às 15h
Atualizado em 05/11/2019 às 17h
Compartilhe

Apesar de deixar um rastro de cinzas e tristeza, o incêndio no restaurante Dedo de Moça, na última sexta (1), mostrou a solidariedade nunca antes vista dos donos de restaurantes em Curitiba. O grupo de mais de 300 empresários da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Paraná (Abrasel – PR) organizou, em pouco menos de 48 horas, uma vaquinha e um evento para arrecadar fundos para Maria Guimarães Freitas e Izaq Bueno da Silva, o casal proprietário do estabelecimento. A ação é inédita no mercado gastronômico de Curitiba.

Alguns empresários também colocaram móveis e equipamentos que não estão em uso à disposição do Dedo de Moça. “A associação tem trabalhado muito a questão de olhar para o entorno, pensar coletivamente, na cidade, no desenvolvimento do setor. O associativismo é importante para colocar isso em prática”, defende Luciano Bartolomeu, diretor executivo da Abrasel – PR.

Bombeiros apagam fogo do restaurante Dedo de Moça, no Alto da XV. Foto: Mellanie Anversa/Gazeta do Povo

Bombeiros apagam fogo do restaurante Dedo de Moça, no Alto da XV. Foto: Mellanie Anversa/Gazeta do Povo

O Encontro Solidário ao Restaurante Dedo de Moça será na terça, 12 de novembro, a partir das 20h, no Buffet Nova Curitiba, espaço de eventos no bairro Mossunguê, e será aberto ao público. “Os donos de restaurantes vão cozinhar voluntariamente e todo o dinheiro arrecadado será para pagar as férias dos funcionários enquanto procuram um ponto para reabrir. O mais difícil é essa parte financeira”, afirma Bartolomeu.

O ingresso custa R$ 50 por pessoa, com direito a provar todas as comidinhas. Até o final de tarde de segunda, estavam confirmados os restaurantes Velho Oriente, Spring, Godines Grill, Outback, Quintana, Dona Helena, Babilônia, Bar do Alemão, Pescara, Happy Burger, Tatibana, Pimenta Brasserie, Cantina do Délio, Zapata, Cervejaria Asgard e Limoeiro. O local tem capacidade para 500 pessoas.

O restaurante Dedo de Moça após incêndio. Foto: Reprodução/Facebook

O restaurante Dedo de Moça após incêndio. Foto: Reprodução/Facebook

Ao mesmo tempo, os empresários combinaram de depositar uma quantia por restaurante na conta do casal. “A sugestão de alguém foi de R$ 500 a R$ 1 mil por pessoa e até agora cerca de 40 pessoas contribuíram”, conta Bartolomeu. Nesse meio tempo, o casal retirava equipamento e móveis do local, alheios à movimentação dos colegas.

Foi apenas no sábado que Divaldo Maciel, sócio do Limoeiro Restaurante junto da chef Vânia Krekniski, resolveu ir até o restaurante para ver se os encontrava. “Estavam limpando entulho e bagunça, desamparados. Não os conhecia, nunca havia falado com eles”, diz.

“Eu achei que minha vida tinha acabado ali: tudo molhado, aquele lugar sem luz, com cheiro de fumaça, todo mundo sujo”, relembra Maria. “No outro dia cedo, recebi um monte de mensagem e fiquei emocionada. Nem consegui conversar com ninguém direito, ainda nem consegui ver do que vamos precisar”, completou.

A tarde do incêndio

Maria tomava café na varanda do casarão de seu restaurante quando alguém saiu da cozinha gritando ‘fogo!’, na tarde de sexta. O Restaurante Dedo de Moça tinha tido um ótimo movimento no almoço e naquela hora, os funcionários terminavam sua refeição antes de finalizar o expediente.

Buffet do restaurante Dedo de Moça. Foto: Reprodução/Facebook

Buffet do restaurante Dedo de Moça. Foto: Reprodução/Facebook

O foco de incêndio começou no sótão do restaurante por uma falha elétrica, e o fogo se alastrou rapidamente pela estrutura de madeira antiga. “Eu fiquei transtornada, em estado de choque. Não conseguia nem ligar para o Corpo de Bombeiros, foi a cozinheira quem ligou”, relembra Maria.

Apesar de o estrago no imóvel ter sido grande, a cozinha não foi atingida, o que evitou uma explosão maior. “Consegui recuperar alguns equipamentos, como fogão, fritadeira e geladeira. Mas um freezer e todos os utensílios do bar foram perdidos, e tudo o que estava no sótão: travessas, panelas, toalhas, pratos e itens usados para eventos”, lista Maria.

Vivendo o sonho

Inaugurado em abril de 2015 em um imóvel na Rua Amintas de Barros, no Alto da XV, o restaurante havia sido mudado para o casarão da Avenida Souza Naves há um ano e meio. Com buffet de almoço de segunda a sábado e realizando eventos, o negócio vinha em uma crescente de reconhecimento.

Pernil ao molho de rapadura do restaurante Dedo de Moça, finalista do concurso O Quilo é Nosso, da Abrasel. Foto: Divulgação

Pernil ao molho de rapadura do restaurante Dedo de Moça, finalista do concurso O Quilo é Nosso, da Abrasel. Foto: Divulgação

Poucos dias antes do incêndio, Maria e Izaq haviam buscado o certificado de finalistas do concurso O Quilo É Nosso, promovido pela Abrasel em outubro. O prato que os tornou um dos três finalistas do concurso que elegeu o melhor restaurante por quilo do estado foi o pernil com molho de rapadura. “Eu estava vivendo um sonho: o reconhecimento profissional. E foi tudo muito rápido”. Alguns meses antes, eles haviam tentado iniciar um processo de seguro incêndio, mas como eram locatários, não conseguiram concluir o requerimento.

Serviço

Encontro Solidário ao Restaurante Dedo de Moça
Terça, 12 de novembro, a partir das 20h
Buffet Nova Curitiba – Rua Paulo Gorski, 510, Mossunguê
R$ 50 por pessoa, lista de restaurantes ainda em confirmação
Ingressos à venda na hora

VEJA TAMBÉM

Combate Barreirinha abre filial em Curitiba do frango assado empanado no fubá


Compartilhe

8 recomendações para você